Mamão com Açúcar

────────────────

Tradução do Livro EasyPeasy

Por @Desafiador e @ENOC

────────────────

EasyPeasy
Hackauthor²

28-12-2020

Prefácio

NÃO SALTE CAPÍTULOS

Abandone a pornografia imediatamente, sem dor, sem força de vontade ou qualquer sensação de privação ou sacrifício.

Esta é uma versão reescrita de uma adaptação da EasyWay Pare de fumar de Allen Carr’s para pornografia. Também é totalmente gratuito e de código aberto. Não sou o autor original de nenhum desses livros, sou o Hackauthor².

É muito eficaz, mas fundamental para o seu sucesso e requer que você:

NÃO SALTE CAPÍTULOS

Ao abrir um cofre, você deve inserir os números na ordem correta. O vício não é diferente.

Pessoalmente, a versão original do Google Sites: https://sites.google.com/site/hackbookeasypeasy/ (que não foi escrita por mim) mudou minha vida. Se você for como a maioria das pessoas, você descobriu pornografia quando era relativamente jovem e a usa desde então. Até tropeçar na avassaladora - embora um tanto censurada - relatos alertando sobre os perigos de seu uso. Como eu, você provavelmente teve sucesso com streaks de vários tamanhos, mas sempre sucumbiu a impulsos ilusórios. Tenho o prazer de relatar que este método funciona de maneira totalmente diferente e tem sido o único método que funcionou.

Ou talvez, você tenha sido vinculado a este livro por uma parte interessada e esteja cético. Em primeiro lugar, obrigado por pelo menos olhar para ele. Isso será expandido em breve, mas por favor, lembre-se brevemente da primeira vez que você viu pornografia. Você esperava que resultaria para o resto da sua vida? De acordo com meus próprios estudos informais sobre o assunto (importunando amigos para ler este livro), EasyPeasy é tão eficaz para o usuário casual de pornografia quanto para os viciados. Não é terrivelmente longo, com grandes chances, grandes ganhos, então eu imploro que você continue lendo.

O método descrito neste hackbook é:

  • Instantâneo.

  • Tão eficaz quanto para o usuário pesado e casual.

  • Não causa dores de abstinência.

  • Não precisa de força de vontade.

  • Não requer tratamento psicológico, ajudas ou truques.

  • Não fará com que você substitua esse vício por outros vícios, como comer demais, fumar ou beber.

  • Permanente

Você pode achar isso impossível de acreditar, mas esse sentimento é repetido por muitas pessoas.

“This is the seminal work on porn addiction”
“Este é o trabalho seminal sobre o vício em pornografia”
— Um cara no reddit que não consigo encontrar, acho que o trocadilho foi intencional.

“Fiquei viciado por 10 anos. Naqueles 10 anos, estive paralisado de depressão, dúvida, ansiedade e medo de que meu segredo fosse revelado. Depois de cada sessão, eu me odiava, e depois de cada dieta pornográfica eu estava de volta ao vício. No entanto, este livro me ajudou a parar. Eu sempre estive na defensiva contra a pornografia no passado. Agora, depois de ler este livro duas vezes, estou na ofensiva. A pornografia não tem controle sobre mim e agora parece uma piada de mal gosto”.
— u/DeepNewt

"Há alguns dias, fiz 20 anos. Pela primeira vez em muito tempo, passei meu aniversário livre da armadilha da pornografia e tudo graças a este livro que descobri por acaso há apenas alguns meses. Antes disso, eu havia passado tanto tempo tentando parar por meios tradicionais, experimentei muitos tumultos internos e me rotulei permanentemente como um usuário. O livro resolveu tudo isso para mim. Onde eu anteriormente temia não ter controle sobre mim mesmo quando eu, sem saber, já venci o monstrinho, agora posso encontrar orgulho em perceber que não preciso mais ser um viciado.
— u/Suspicious_Web_4594

“based”
“baseado”
— anon, /fit/

Allen Carr é um cara top com uma vida extremamente interessante: um fumante antigo de cem por dia por mais de trinta anos, Carr parou imediatamente após descobrir a EasyWay e, como citado em seu livro, isso “o capacitou a seguir um desejo irresistível de explicar seu método para tantos fumantes quanto possível. ” Seus métodos para álcool, outras drogas e muitos outros vícios continuam sendo best-sellers globais e eu encorajo você a verificá-los.

Seu campo de trabalho trata de dissipar o medo causado por equívocos e confusão sobre processos biológicos e desistência. Portanto, a maior parte do livro é gasta desconstruindo logicamente ansiedades e fobias associadas ao abandono, que geralmente levam à queda de muitos que tentam e fracassam. As clínicas de Carr têm taxas de sucesso de mais de 95%, com garantias de devolução do dinheiro. Mais importante, eles permitiram que seus pacientes continuassem a viver uma vida plena, livre de seus vícios.

Por que o hackbook? Porque Allen Carr já faleceu há muito tempo e as instituições que ele formou não listam a pornografia na internet como um dos vícios para os quais oferecem tratamento. Eu não ganho monetariamente ou de outra forma.

Hackbook: um livro baseado e hackeado de outro livro. O autor original é totalmente creditado.

Ao longo deste livro, eu, o Hackauthor original e Allen Carr apareceremos de forma transparente a fim de fornecer a você um método único e atraente para parar de maneira fácil e indolor.

Dicas de leitura:

Não leia este livro como um livro normal, é muito curto e deve ser capaz de terminá-lo em algumas horas. A maioria das pessoas se beneficia de realçar ou fazer anotações e geralmente recomenda relê-lo algumas vezes para solidificar totalmente as lições.

Existem várias comunidades para o hackbook, mas recomendo verificá-las somente depois de terminar de ler o livro.

Lembrete rápido: NÃO SALTE OS CAPÍTULOS

Desejo-lhe sorte, mas como você aprenderá em breve, você não precisa dela.

Boas vibrações,

Hackauthor²

image

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License. Code is GPLv3.

5 Likes

Capítulo 1: Introdução


Este livro hack permitirá que você pare de usar pornografia imediatamente, sem dor e permanentemente, sem força de vontade ou qualquer sensação de privação ou sacrifício. Não colocará nenhum julgamento, constrangimento ou pressão para se submeter a medidas dolorosas.

Na verdade, não há absolutamente nenhuma necessidade de diminuir ou reduzir seu uso durante a leitura; fazer isso é realmente prejudicial.

Talvez isso vá contra tudo o que você já ouviu falar, mas pergunte a si mesmo se o que lhe foi dito funcionou? Se tivesse, você não estaria lendo este livro hack.

O vício em pornografia se manifesta de várias maneiras, com efeitos sociais de longo alcance. Muitas pessoas usam pornografia porque a internet permite acesso instantâneo a estímulos incomuns. Considere se as seguintes questões se aplicam a você:

  • Você passa muito mais tempo vendo pornografia do que pretendia originalmente?

  • Você não tem sucesso em seus esforços para impedir ou limitar o consumo de pornografia?

  • O tempo gasto vendo pornografia interferiu ou teve precedência sobre compromissos pessoais ou profissionais, hobbies ou relacionamentos em sua vida?

  • Você sai do seu caminho para manter o seu consumo de pornografia em segredo (por exemplo, deletar o histórico do navegador, mentir sobre ver pornografia)?

  • Ver pornografia causou problemas significativos no(s) relacionamento(s) íntimo(s)?

  • Você experimenta um ciclo de excitação e prazer antes e durante o consumo de pornografia, seguido por sentimentos de vergonha, culpa e remorso depois?

  • Você passa muito tempo pensando em pornografia, mesmo quando não está assistindo?

  • Ver pornografia causou alguma outra consequência negativa em sua vida pessoal ou profissional (por exemplo, faltou ao trabalho, desempenho ruim, relacionamentos negligenciados, problemas financeiros)?

Se você é um usuário de pornografia que depende disso para se masturbar ou sexo, a única coisa que precisa fazer é continuar lendo.
Se você está aqui por um ente querido, tudo o que você precisa fazer é persuadi-lo a ler este livro.
Se não conseguir persuadi-los, leia o livro você mesmo. Compreender o método ajuda a transmitir a mensagem e a impedir que seus filhos comecem. Não se deixe enganar pelo fato de que eles não têm acesso a ele agora - todos têm antes de serem fisgados.

Atenção

Talvez você esteja um pouco apreensivo ao ler este livro. Talvez, como muitos usuários de pornografia, o simples pensamento de parar o encha de pânico e, embora você tenha toda a intenção de parar um dia, não é hoje.

Se você está esperando que este livro “assuste” você a ponto de parar com os vários riscos de problemas de saúde dos usuários, como disfunção sexual (incluindo disfunção erétil induzida por pornografia), excitação não confiável, perda de interesse em parceiros sexuais reais, hipofrontalidade cerebral e a acusação cega de que é um hábito imundo e nojento e que você é um covarde, estúpido e sem força de vontade, você ficará extremamente desapontado. Essas táticas nunca me ajudaram a desistir e se fossem ajudar você, você já teria desistido.

Métodos convencionais de parar, defendem o uso de força de vontade ou métodos de substituição, como dietas pornográficas (usando uma vez a cada X dias) e redução do consumo, que são igualmente ineficazes porque não eliminam realmente os motivos para o uso de pornografia. Em última análise, transformar algo em um fruto proibido não é como você trata o vício.

Muitos sites entram em detalhes sobre os efeitos no cérebro, apoiados por pesquisas revisadas por pares sobre neurotransmissores e neuroplasticidade. Embora esses sites sejam informativos, muitos estão cientes dos perigos da pornografia, mas optam por não fazer nada. Usuários jovens e velhos tendem a evitar esse tipo de material independentemente, sentindo-se seguros por saber que olhar para um site pornográfico não os matará.

Esse método, conhecido como EasyPeasy, funciona de maneira diferente. Algumas das coisas que serão ditas podem ser difíceis de acreditar, mas quando terminar este livro, você não apenas acreditará, mas também se perguntará como poderia ter sofrido uma lavagem cerebral para acreditar no contrário.

Existe um equívoco comum de que optamos por assistir pornografia. Viciados em pornografia (sim, viciados) não escolhem assistir pornografia mais do que os alcoólatras optam por se tornar alcoólatras, do que os viciados em heroína optam por se tornar viciados em heroína. É verdade que optamos por inicializar o laptop ou smartphone, abrir o navegador e visitar nosso ‘harém online’ favorito. Ocasionalmente, escolho ir ao cinema, mas certamente não escolhi passar minha vida inteira nas salas de cinema. Originalmente, a curiosidade e a natureza humana me levaram até lá, mas eu não teria começado se soubesse que me tornei viciado, causando o declínio da minha saúde, felicidade e relacionamentos. “Se eu tivesse ouvido falar sobre disfunção sexual na minha primeira visita à aquele site pornográfico!”

Pare um momento para refletir, você já tomou a decisão ‘positiva’ de que você precisa / precisa de pornografia para se masturbar? Ou que você deve / devo / precisar de fantasias induzidas por pornografia para apimentar o sexo com seu parceiro? Ou que, em certos momentos da sua vida, você não conseguia ter uma boa noite de sono ou talvez até mesmo passar uma noite depois de um dia duro de trabalho sem navegar nos sites de pornografia? Ou que, você não conseguia se concentrar ou lidar com o estresse sem ela? Em que estágio você decidiu que precisava de pornografia, que precisava permanentemente em sua vida, sentindo-se inseguro, até mesmo em pânico sem pornografia, sem seu harém online?

Como qualquer outro usuário de pornografia, você foi atraído para a armadilha mais sinistra e sutil que o homem e a natureza já se uniram para inventar. Não existe uma pessoa viva, seja um usuário ou não, que goste da ideia de seus filhos usarem pornografia para lidar com problemas ou por prazer. Isso significa que todos os adeptos gostariam de nunca ter começado. Isso não é surpreendente: ninguém precisa de pornografia para aproveitar a vida ou lidar com o estresse antes de ser fisgado.

Ao mesmo tempo, todos os usuários desejam continuar a usar. Afinal, ninguém nos obriga a iniciar o modo de navegação anônima do nosso navegador. Quer eles entendam o motivo ou não, são apenas os usuários que decidem bater às portas de seus haréns online.

Se houvesse um botão mágico que o usuário pudesse pressionar para acordar na manhã seguinte como se nunca tivesse acessado seu primeiro site “tube”, os únicos viciados amanhã seriam os jovens ainda “experimentando”.

A única coisa que nos impede de desistir é o MEDO! Medo causado pela crença de que teremos que sobreviver a um período indeterminado de miséria, privação e desejo insatisfeito para ficarmos livres da pornografia. Eles se originam de crenças irracionais, tanto aprendidas quanto adquiridas, como:

  • Masturbação ou sexo que leva ao orgasmo é a única e mais importante coisa na vida.

  • pornô é “mais seguro” do que sexo na vida real porque a pornografia não pode me rejeitar.

  • A pornografia é educativa e útil.

  • Direito a uma experiência sexual “superior”.

  • Mais é sempre melhor.

Essas crenças irracionais geram consequências irracionais quando aplicadas, incluindo:

  • Adorando e obcecado quando um ‘perfeito 10/10’ é achado.

  • Percebendo-se como um perdedor se você não fazer sexo, como se fosse a experiência humana mais importante.

  • Esperando um 10 perfeito.

  • Ser excessivamente crítico e crítico de parceiros em potencial.

  • Obrigando-se a fazer sexo, queira ou não.

É o medo de que uma noite sozinho seja miserável, gasto lutando contra impulsos incontroláveis. Medo de que a noite anterior às provas seja uma noite infernal sem pornografia. Medo de nunca sermos capazes de nos concentrar, lidar com o estresse ou ser tão confiantes sem nossa pequena muleta e que nossa personalidade e caráter mudem.

Mas acima de tudo, medo de que “uma vez viciado, sempre um viciado” - nunca seremos completamente livres, passando o resto de nossas vidas desejando um orgasmo ocasional induzido por pornografia em momentos estranhos. Se, como eu fiz, você já tentou todas as maneiras convencionais de parar e já passou pela miséria e tortura do ‘método da força de vontade’, você não será apenas afetado por esse medo, mas estará convencido de que pode nunca desistir.

Se você está apreensivo, em pânico ou sente que não é o momento certo para parar, deixe-me garantir que sua apreensão e pânico não são aliviados pela pornografia - são causados por ela. Você não decidiu cair na armadilha da pornografia, mas como todas as armadilhas, ela foi projetada para garantir que você continue preso. Pergunte a si mesmo: quando você viu aquelas primeiras fotos e vídeos pornôs, você decidiu voltar para vê-los enquanto viver? Então, quando você vai parar? Amanhã? Próximo ano? Pare de se enganar! A armadilha foi projetada para prendê-lo por toda a vida. Por que mais você acha que todos esses outros entregues não desistem antes de “matar” suas vidas?

Eu me referi a um botão mágico; EasyPeasy funciona como aquele botão mágico. Deixe-me deixar bem claro, EasyPeasy não é mágico, mas para mim e para outras pessoas que acharam tão fácil e agradável parar, parece que sim!

O aviso é o seguinte:
Esta é uma situação do ovo e da galinha: todo dependente deseja desistir e todo dependente pode achar fácil e agradável desistir. É apenas o medo que impede os usuários de tentarem parar. O único grande ganho é se livrar desse medo, mas você não ficará livre desse medo até que conclua o livro. Ao contrário, seu medo pode aumentar à medida que você continua lendo, o que pode impedi-lo de terminá-lo. Aceite este comentário de uma mulher.

“Acabei de ler EasyPeasy. Eu sei que se passaram apenas quatro dias, mas me sinto tão bem, eu sei que nunca vou precisar usar pornografia novamente. Comecei a ler o seu livro há cinco meses, no meio do caminho e entrei em pânico. Eu sabia que, se continuasse a ler, teria de parar. Não fui boba? "

Você não decidiu cair na armadilha, mas esteja claro em sua mente: você não vai escapar dela a menos que tome a decisão afirmativa de fazê-lo. Você pode já estar se esforçando para parar, ou pode estar apreensivo com o próprio pensamento, mas de qualquer forma, tenha em mente: VOCÊ NÃO TEM NADA A PERDER!

Se no final do livro você decidir que deseja continuar a usar pornografia para se masturbar ou fazer sexo, não há nada que o impeça de fazer isso. Você não precisa nem parar de usar pornografia enquanto lê o livro e, lembre-se, não há terapia de choque. Pelo contrário, só tenho boas notícias para você. Você pode imaginar como Andy Dufresne se sentiu quando finalmente escapou da Prisão de Shawshank? Foi assim que me senti quando escapei da armadilha da pornografia, e é assim que os ex-usuários que usaram EasyPeasy se sentem. Ao final do livro, é assim que você se sentirá! Vá em frente!

Finalmente…

Todos podem achar fácil e agradável parar de ver pornografia, inclusive você! Tudo o que você precisa fazer é ler o resto deste livro com a mente aberta; quanto mais você entender, mais fácil será. Mesmo se você não entender uma palavra, desde que siga as instruções, você achará mais fácil. Mais importante ainda, você não passará a vida toda lamentando por pornografia ou se sentindo privado e, no final do livro, o único mistério será por que você fez isso por tanto tempo.

Com o EasyPeasy, existem apenas dois motivos para o fracasso.

Falha em seguir as instruções. Alguns acharão irritante que o livro seja tão dogmático sobre certas recomendações, como não tentar cortar ou usar substitutos. Certamente não nego que há muitos que conseguiram parar de usar tais artifícios, mas conseguiram apesar e não por causa deles. Algumas pessoas podem fazer amor de pé em uma rede, mas não é a maneira mais fácil. Os números para abrir a fechadura desta armadilha estão neste livro, mas eles precisam ser usados na ordem correta: ir de um capítulo para o próximo e não pular capítulos.

Falha em entender. Não subestime nada, questione não apenas o que lhe é dito, mas seus próprios pontos de vista e o que a sociedade tem lhe contado sobre sexo, pornografia na internet e vício. Por exemplo, aqueles que acreditam que é apenas um hábito, pergunte-se por que outros hábitos - alguns dos quais são agradáveis - são fáceis de quebrar, enquanto um hábito que parece horrível, custa energia, tempo e virilidade é tão difícil de quebrar. Aqueles que acreditam que você gosta de pornografia, pergunte-se por que outras coisas infinitamente mais agradáveis você pode pegar ou ceder. Por que você tem que ter pornografia, pânico se instalando se você não tem?

EasyPeasy está prestes a dar a você o conhecimento sobre como é fácil e divertido parar com a pornografia. Como muitos outros, um dos meus maiores triunfos na vida foi escapar da armadilha da pornografia. Não há necessidade de se sentir deprimido, pelo contrário, você está prestes a realizar algo que todos os usuários do planeta adorariam alcançar: LIBERDADE!

LEMBRE-SE, NÃO PULAR CAPÍTULOS.

Alguns termos antes de começar:

PMO: O ciclo de pornografia, masturbação e orgasmo.

Harém online: sites que hospedam pornografia de alta variabilidade na Internet.

5 Likes

Capítulo 2: O Método Fácil

O objetivo deste livro é direcionar você a um novo estado de espírito. Em contraste com o método usual de parar – onde você começa com a sensação de escalar o Monte Everest e passa as semanas seguintes desejando e sentindo-se privado - você começa imediatamente com uma sensação de euforia, como se estivesse curado de uma doença terrível. A partir de então, quanto mais você avança na vida, mais você vai olhar para este período de tempo e se perguntar como você já assistiu pornô em primeiro lugar. Você vai olhar para outros usuários de pornografia com pena, em vez de inveja.

Contanto que você não seja alguém que nunca se viciou (esteja lendo por alguém que você se importa) ou parou (ou está nos dias de jejum de uma "dieta de redução de consumo"), é essencial continuar usando até que você tenha terminado o livro completamente. Isso pode parecer uma contradição, e esta instrução para continuar se masturbando para pornografia causa mais objeções do que qualquer outra, mas à medida que você continuar lendo, seu desejo de usar pornografia será gradualmente reduzido. Leve esta instrução a sério: Tentar parar mais cedo não irá beneficiá-lo.

Muitos não terminam o livro porque sentem que precisam desistir de algo, alguns até mesmo deliberadamente lendo apenas uma linha por dia para adiar o evento maligno. Veja dessa forma, o que você tem a perder? Se você não parar no final do livro, você não está pior do que agora. É por definição uma aposta de Pascal, uma aposta feita onde você não tem nada a perder e grandes chances de grandes ganhos.

A propósito, se você não assistiu pornografia por alguns dias ou semanas, mas não tem certeza se é um usuário, ex-usuário ou não-usuário de pornografia, não use pornografia para se masturbar enquanto lê. Na verdade, você já é um não usuário, mas temos que deixar seu cérebro acompanhar seu corpo. No final do livro, você será um não usuário feliz. EasyPeasy é o completo oposto do método normal, que lista as desvantagens consideráveis ​​da pornografia e diz:

“Se eu pudesse ficar muito tempo sem pornografia, eventualmente o desejo irá
embora e eu posso aproveitar a vida novamente, livre da escravidão.”

Esta é a maneira lógica de lidar com isso, com milhares de pessoas parando todos os dias usando esse método. No entanto, é muito difícil ter sucesso pelas seguintes razões:

Parar com a PMO não é o problema real. Cada vez que você termina sua sessão, você para. Você pode ter razões poderosas no primeiro dia de sua redução de consumo (uma vez a cada quatro dias) para dizer
"Eu não quero usar pornografia, ou mesmo me masturbar mais." Todos os usuários fazem isso, e seus motivos são mais poderosos do que você pode imaginar. O verdadeiro problema é o segundo dia, décimo ou milésimo, onde em um momento de fraqueza você vai dar "apenas uma olhadinha", mais outra, e de repente, você se torna um viciado novamente.

Consciência dos riscos à saúde gera mais medo, tornando mais difícil parar. Diga a um usuário que isso está destruindo sua virilidade e a primeira coisa que ele fará é buscar algo para aumentar sua dopamina: um cigarro, álcool ou até mesmo abrir o navegador para pesquisar pornografia.

Todos os motivos para parar na verdade tornam tudo mais difícil. Isto é devido a duas razões. Primeiro, somos continuamente forçados a desistir de nosso "costume" ou de algum acessório, vício ou prazer (seja qual for a forma que usuário o percebe). Em segundo lugar, eles criam um “ponto-cego”. Ou seja, não paramos de masturbar por conta dos motivos. A verdadeira questão é: por que queremos ou precisamos fazer isso?

Com EasyPeasy (mamão com açúcar), nós (inicialmente) esquecemos as razões pelas quais gostaríamos de parar, enfrentamos o problema da pornografia e nos perguntamos as seguintes questões:

  1. O que o pornô está fazendo por mim?

  2. Estou realmente gostando?

  3. Eu realmente preciso passar a vida sabotando minha mente e corpo?

A bela verdade é que toda pornografia não faz absolutamente nada por você. Vou deixar bem claro: Não é que as desvantagens de ser um usuário superem as vantagens, é que não há nenhuma vantagem em ver pornografia.

A maioria dos usuários acha necessário racionalizar por que usam pornografia, mas os motivos que surgem são falácias e ilusões.

Primeiro, vamos remover essas falácias e ilusões. Na verdade, você logo perceberá que não há nada do que desistir. Não apenas isso, mas há ganhos maravilhosos e positivos por não ser um PMOer, com bem-estar e felicidade sendo apenas dois desses ganhos. Uma vez que as ilusões de que a vida nunca será tão agradável sem pornografia forem removidas – (percebendo que não só a vida é tão agradável sem ela, mas infinitamente mais) - e uma vez que os sentimentos de privação ou perda forem erradicados, voltaremos a reconsiderar maior bem-estar e felicidade, e dezenas de outros motivos para abandonar pornografia. Essas percepções se tornarão ajudas adicionais positivas para ajudá-lo a alcançar o que você realmente deseja: aproveitar a vida livre da escravidão do vício da pornografia!

6 Likes

Capítulo 3 Por que é tão difícil parar?


Todos os usuários sentem que algo maligno os possuiu. No início, era uma simples questão de “Vou parar, mas não hoje”, mas eventualmente progredimos para acreditar que não temos força de vontade suficiente para parar ou que há algo ligado à pornografia que devemos ter para aproveitar a vida . O vício em pornografia pode ser comparado a sair de um buraco escorregadio com as garras: quando você se aproxima do topo, vê a luz do sol - mas começa a deslizar para baixo conforme seu humor diminui. Por fim, você abre o navegador e, conforme se masturba, se sente péssimo e tenta descobrir por que tem que fazer isso.

Pergunte a um usuário: “Se você pudesse voltar ao tempo antes de ficar viciado, com o conhecimento que tem agora, você teria começado a usar pornografia?”

"NEM A PAU" seria a resposta.

Pergunte ao usuário confirmado, alguém que defende pornografia na internet e não acredita que isso cause danos ao cérebro ou diminuição da regulação dos receptores de dopamina: “Você incentiva seus filhos a usar pornografia?”

"DE JEITO NENHUM!" é novamente a resposta.

A pornografia é um enigma extraordinário. Como dito anteriormente, o problema não é explicar por que é fácil parar, é explicar por que é difícil. O verdadeiro problema é explicar por que alguém faz isso depois de obter insights sobre danos neurológicos. Parte da razão pela qual começamos é por causa das dezenas de milhões de pessoas que já aderiram, mas todos desejam que não tivessem começado em primeiro lugar e nos dizem que é como viver a vida em segunda marcha. Não podemos acreditar que eles não estão gostando. Nós associamos isso com liberdade ou “educação sexual” e trabalhamos duro para nos tornarmos fisgados. Então, passamos o resto de nossas vidas dizendo aos outros para não fazerem isso e tentando nos livrar do hábito.

Também passamos uma parte significativa do nosso tempo nos sentindo desesperados e miseráveis. “Educar-nos” com o sobrenatural nos faz preferir e desejar essas imagens frias, mesmo quando imagens quentes e reais estão disponíveis! Por meio do constante aumento e queda da dopamina induzida pelo PMO, nos sentenciamos a uma vida inteira de irritabilidade, raiva, estresse, fadiga e disfunção sexual. Usando a pornografia, com sua ausência das melhores partes do sexo e da conexão, acabamos nos sentindo miseráveis e culpados.

Na verdade, ler sobre as capacidades viciantes e destrutivas da pornografia na Internet aqui e em outros sites nos deixa ainda mais nervosos e desesperados! Que tipo de hobby é esse que, quando você está praticando, você deseja não estar, e quando não está, você cobiça por isso? Os usuários se desprezam toda vez que leem sobre hipofrontalidade e dessensibilização, toda vez que usam nas costas de seu parceiro de confiança, toda vez que não conseguem se exercitar após uma sessão diurna. Um ser humano inteligente e racional passa todos os seus dias com desprezo. Mas o pior de tudo, o que os usuários ganham por ter que suportar a vida com essas sombras pretas horríveis no fundo de suas mentes? Absolutamente nada!

Você pode estar pensando “Está tudo muito bem, eu sei disso, mas uma vez que você está viciado nessas coisas, é muito difícil parar.” Mas por que é tão difícil? Alguns dizem que é por causa dos poderosos sintomas de abstinência, mas como você logo aprenderá, os verdadeiros sintomas de abstinência são tão leves que você deve estar ciente dos PMOers que viveram e morreram sem perceber que são viciados em drogas.

Alguns dizem que a pornografia na Internet é gratuita e, portanto, a humanidade deveria reivindicar essa bonança biológica, mas isso não é verdade - é viciante e age como qualquer droga. Pergunte a um usuário que jura que só gosta de ‘erotismo’ como as revistas Playboy se já cruzou a linha para ‘pornografia insegura’ e, se for totalmente honesto, vai confessar sobre as vezes que, sem querer, racionalizou fazendo isso, em vez de não usar nada em absoluto.

O prazer também não tem nada a ver com isso: eu gosto de lagostins, mas nunca cheguei ao ponto de precisar comer lagostins todos os dias. Com outras coisas na vida, nós gostamos delas enquanto as fazemos, mas não sentamos e nos sentimos privados quando não estamos.

Alguns dizem:
“É educacional!” Então, quando é a sua formatura?
“É satisfação sexual!” Então, por que fazer isso sozinho em vez de encontrar um parceiro e guardá-lo para ele?
“É uma sensação de alívio!” Livre do estresse da vida real? A pornografia não remove a fonte de estresse, mas aumenta isso.

Muitos acreditam que a pornografia alivia o tédio, o que também é uma falácia. O tédio é um estado de espírito. A pornografia irá habituá-lo a buscar novidades em um piscar de olhos, deixando-o cada vez mais entediado, até que finalmente participe daquela busca louca pelo clipe certo, fazendo com que você fique cada vez mais ligado para buscar qualquer coisa que envolva novidades, emoções fortes, e, eventualmente, um valor de choque ultrajante.

Alguns dizem que só fazem isso porque seus amigos e todos que conhecem fazem isso. Se sim, ore para que seus amigos não comecem a cortar suas cabeças para curar uma dor de cabeça! A maioria dos usuários que pensa sobre isso chega à conclusão de que é apenas um hábito. Esta não é realmente uma explicação, mas tendo descartado todas as explicações racionais usuais, parece ser a única desculpa remanescente. Infelizmente, é igualmente ilógico. Todos os dias de nossas vidas mudamos hábitos, alguns deles muito agradáveis. Fizemos uma lavagem cerebral para acreditar que PMO é um hábito e que hábitos são difíceis de quebrar.

Os hábitos são difíceis de quebrar? Os motoristas nos Estados Unidos têm o hábito de dirigir no lado direito da estrada, mas quando viajam para o exterior, eles quebram o hábito quase sem qualquer agravamento. É claramente uma falácia dizer que hábitos são difíceis de quebrar. Fazemos e quebramos hábitos todos os dias de nossas vidas. Então, por que achamos difícil quebrar um hábito que nos faz sentir privados quando não o temos, culpados quando o fazemos, um hábito que adoraríamos quebrar de qualquer maneira, quando tudo o que temos que fazer é parar de fazê-lo?

A resposta é que pornografia não é um hábito, é um vício! É por isso que parece ser tão difícil “desistir”. A maioria dos usuários não entende o vício e acredita que obtém algum prazer genuíno ou muleta da pornografia. Eles acreditam que estão fazendo um sacrifício genuíno se desistirem.

A bela verdade é que, uma vez que você entenda a verdadeira natureza do vício em pornografia e as razões pelas quais você o usa, você vai parar de fazer isso, sem mais nem menos. Em três semanas, o único mistério será por que você achou necessário usar pornografia por tanto tempo e por que não consegue convencer os outros usuários de como é bom não ser um PMOer!

3.1 A Armadilha Sinistra


A pornografia na Internet é a armadilha mais sutil e sinistra que o homem e a natureza combinaram para inventar; é a única armadilha na natureza cuja configuração não exige muito trabalho. Alguns de nós são até avisados sobre os perigos, mas não podemos acreditar que eles não estão gostando. Mas o que nos leva a isso em primeiro lugar? Normalmente, amostras grátis de amadores e profissionais que compartilham. É assim que a armadilha é acionada, sua primeira ‘espiada’ tem manchas e buracos com a maioria das miniaturas em qualquer página pornográfica sendo vídeos amadores e feitos em casa de modelos desconhecidos. Se o olhar do primeiro cronômetro fosse preenchido apenas com belezas angelicais e modelos profissionais, o alarme tocaria.

Devido a essa incompatibilidade de clipes, nossas mentes jovens estão tranquilas de que nunca ficaremos fisgados, pensando que, porque não gostamos deles, podemos parar quando quisermos. Como seres humanos inteligentes, entenderíamos então por que metade da população adulta era sistematicamente viciada em algo que reduzia seu próprio potencial de realizar o que eles estão vendo. A curiosidade nos aproxima de sua porta, mas não ousamos clicar em algumas miniaturas, temendo que te deixem doente. Se você acidentalmente clicou em um, seu único desejo é sair da página o mais rápido possível.

Então, passamos o resto de nossas vidas tentando entender por que fazemos isso, dizendo às crianças para não começarem e, ocasionalmente, tentando escapar de nós mesmos. A armadilha é projetada de tal forma que tentamos parar apenas devido a um ‘incidente’, seja desempenho sexual, perda de uma carreira ou relacionamento, falta de energia ou simplesmente nos sentindo como um leproso. Assim que paramos, sentimos mais estresse devido às dores de abstinência com o método que utilizamos para remover esse estresse agora indisponível.

Depois de alguns dias de tortura, chegamos à decisão de que escolhemos o momento errado para parar, decidindo que vamos esperar por períodos sem estresse, o que ao chegar remove nosso motivo para inicialmente parar. É claro que esse período nunca chegará, pois internamente acreditamos que nossas vidas tendem a se tornar cada vez mais estressantes. Deixando a proteção de nossos pais, estresses como empregos, tarefas domésticas, hipotecas, bebês, casas maiores e mais bebês lotam nossas vidas. Isso é uma ilusão, a verdade é que as partes mais estressantes da vida de qualquer criatura são a primeira infância e a adolescência.

Temos a tendência de confundir responsabilidade e estresse. A vida de um usuário - como a de um viciado em drogas - torna-se automaticamente mais estressante porque a pornografia não relaxa nem alivia o estresse, como alguns tentam fazer você acreditar. É exatamente o contrário, fazendo com que você fique mais estressado conforme continua usando, colocando mais palha nas costas do camelo. Mesmo os usuários que abandonam o hábito (a maioria o faz uma ou mais vezes ao longo da vida) podem levar uma vida perfeitamente feliz, mas de repente tornam-se viciados novamente. Vagando pelo labirinto pornográfico, nossas mentes ficam confusas e passamos o resto de nossas vidas tentando escapar. Muitos têm sucesso, apenas para cair na armadilha sinistra em uma data posterior.

O vício em pornografia é um quebra-cabeça complexo e fascinante, e muito parecido com um cubo mágico, praticamente impossível de resolver. Mas se você tiver a solução, é simples e divertido! EasyPeasy contém a solução para esse quebra-cabeça, levando você para fora do labirinto, sem nunca mais entrar nele. Tudo que você precisa fazer é seguir as instruções. No entanto, se você pegar o caminho errado, o resto das instruções não terá sentido.

Qualquer pessoa pode achar fácil parar, mas devemos primeiro estabelecer os fatos. Não, não são fatos criados para assustar você, já há informações mais do que suficientes por aí. Se isso fosse impedi-lo, você já teria parado. Mas por que achamos difícil parar? Responder a isso exige que saibamos o verdadeiro motivo de ainda usarmos pornografia, resumindo-se a dois fatores. Eles são:

  • Natureza e pornografia na Internet.

  • Lavagem cerebral.

Usuários de pornografia são seres humanos racionais e inteligentes. Eles sabem que estão assumindo enormes riscos futuros, por isso passam muito tempo racionalizando seu “hábito”. Mas os usuários de pornografia em seus corações sabem que são tolos, sabendo que não precisam usar pornografia antes de se tornarem fisgados. A maioria lembra que sua primeira ‘espiada’ foi uma mistura de repulsa e nova curiosidade. Eles então se especializam em localizar, filtrar e marcar sites, trabalhando duro para se tornarem fisgados.

O mais irritante é que há a sensação de que os não viciados - a maioria das mulheres, homens mais velhos e pessoas que vivem em países onde a pornografia de alta velocidade na Internet não está disponível - não estão perdendo nada e acham a situação ridícula. Ao desmontar esses fatores nos próximos capítulos, você também entenderá a armadilha sinistra!

4 Likes

Vlw por compartilhar o livro , vou começar a ler ele , temos que ler tantos livros quanto pudermos , pra sempre melhorar , livros como esse e de desenvolvimento pessoal e por em prática o que aprendemos deles , mais uma vez obrigado irmão

3 Likes

Capítulo 4: Natureza


A pornografia na Internet funciona através do sequestro de mecanismos naturais de recompensa projetados para mantê-lo reproduzindo o máximo possível. A forma instantânea e altamente acessível da pornografia na Internet mantém o mecanismo de recompensa do cérebro produzindo dopamina por muito mais tempo do que normalmente possível. Cientificamente, isso é chamado de Efeito Coolidge, do qual você já deve estar ciente.

A dopamina é um neurotransmissor associado à sensação de desejo, ao prazer real produzido pelos opioides. Mais dopamina, mais opioides e mais ação. Sem dopamina, ações como comer não parecem prazerosas e não são concluídas, com alimentos ricos em gordura e açúcar produzem a maior liberação química.

A dopamina também é liberada em resposta à novidade. Com uma quantidade aparentemente infinita de pornografia disponível, isso inunda o sistema límbico (circuito de recompensa), então, na primeira vez que você vê pornografia, você age, tendo orgasmo e desencadeando outra enxurrada de opioides. Incentivado a obter o máximo de dopamina possível, o cérebro armazena isso como um script para fácil lembrança e fortalece as vias neurais por meio da liberação de uma substância química chamada DeltaFosB. Agora, o cérebro chama esses caminhos em resposta a dicas como comerciais sensuais, tempo sozinho, estresse ou até mesmo se sentindo um pouco para baixo e de repente você está pronto para dar um passeio no “Tobogã”. Cada vez que isso é repetido, mais DeltaFosB é liberado para que o tobogã seja lubrificado, vivo e mais fácil de descer na próxima vez.

O sistema límbico possui um sistema de autocorreção para reduzir o número de receptores de dopamina e opióides quando uma inundação frequente e diária de dopamina é detectada. Infelizmente, esses receptores também são necessários para nos manter motivados para lidar com o estresse da vida diária. As quantidades nominais de dopamina produzidas por recompensas naturais simplesmente não se comparam à pornografia e não são absorvidas de forma tão eficiente pela diminuição dos receptores, fazendo com que você se sinta mais estressado e irritado do que o normal. Este processo é conhecido como dessensibilização.

Neste ciclo, você cruzou a ‘linha vermelha’ e desencadeou emoções como culpa, nojo, vergonha, ansiedade e medo, que por sua vez aumentam os níveis de dopamina ainda mais e fazem com que o cérebro interprete erroneamente esses sentimentos como excitação sexual.

Com o passar do tempo, não só o cérebro fica insensível aos vídeos anteriores que viu, mas também a gêneros semelhantes e nível de choque. Essa motivação mais baixa desencadeia sentimentos de menor satisfação à medida que nosso cérebro se engaja em avaliações constantes, levando você a encontrar vídeos para saciar a fome. Então você busca mais novidades, clicando no vídeos mais amadorístico e chocante na página inicial que você disse com segurança que não faria na primeira visita.

coolidge

“Pois no orvalho das pequenas coisas o coração encontra o amanhecer e se refresca”
— Kahlil Gibran

Uma sensação fugaz de segurança é tudo o que você precisa para passar por uma situação difícil na vida, mas seu cérebro dessensibilizado será capaz de capturar aquela gota de desestressante que o cérebro de um não usuário é capaz de usar?

A inundação de dopamina age como uma droga de ação rápida, caindo rapidamente e induzindo dores de abstinência. Muitos usuários têm a ilusão de que essas dores são o terrível trauma que sofrem quando tentam ou são forçados a parar. Na verdade, eles são principalmente mentais, já que o usuário está se sentindo privado de seu prazer ou suporte.

4.1 O Pequeno Monstro


A verdadeira retirada química da pornografia é tão sutil que muitos usuários viveram e morreram sem perceber que são viciados em drogas. Muitos usuários têm medo de drogas, mas é exatamente isso que eles são, viciados em drogas. Felizmente, é uma droga fácil de largar, mas primeiro você precisa aceitar que é, de fato, viciado. Retirar-se da pornografia não causa dor física e é apenas uma sensação vazia e inquieta de que algo está faltando, motivo pelo qual muitos acreditam que tem a ver com desejo sexual. Prolongado, esse sentimento se transforma em nervosismo, insegurança, agitação, baixa confiança e irritabilidade. É como a fome de um veneno.

Segundos depois de iniciar uma sessão, a dopamina é fornecida e o desejo termina, resultando em uma sensação de realização enquanto você desce o tobogã. Nos primeiros dias, as dores de abstinência e seu subsequente alívio são tão leves que não temos conhecimento deles. Quando nos tornamos usuários regulares, acreditamos que é porque passamos a apreciá-los ou adquirimos o ‘hábito’. A verdade é que já estamos fisgados, mas não percebemos. O monstrinho já está em nossos cérebros, então de vez em quando descemos o tobogã para alimentá-lo.

Todos os usuários começam a buscar pornografia por motivos irracionais. A única razão pela qual alguém continua usando pornografia, seja um usuário casual ou pesado, é para alimentar aquele monstrinho. Todo o enigma é uma série de punições cruéis e confusas, mas talvez o aspecto mais patético seja a sensação de prazer que um usuário obtém de uma sessão, tentando voltar à sensação de paz, tranquilidade e confiança que seu corpo tinha antes de ser fisgado o primeiro lugar.

4.2 O Alarme Irritante


Você conhece aquela sensação quando o alarme da casa de um vizinho toca o dia todo - ou algum outro agravamento persistente menor - então o barulho para de repente e maravilhosos sentimentos de paz e tranquilidade tomam conta de você? Isso não é realmente paz, mas o fim de um agravamento. Antes de iniciar a próxima sessão, nossos corpos estão completos, mas então começamos a forçar nossos cérebros a bombear dopamina e quando terminamos e ela começa a sair, sofremos dores de abstinência. Não são dores físicas, apenas uma sensação de vazio. Nós nem mesmo sabemos que ele existe, mas é como uma torneira pingando dentro de nossos corpos.

Nossas mentes racionais não entendem, mas não precisam. Tudo o que sabemos é que queremos pornografia e quando nos masturbamos, o desejo vai embora. No entanto, a satisfação é passageira porque, para aliviar o desejo, é necessário mais pornografia. Assim que você chega ao orgasmo, o desejo começa novamente e a armadilha continua a prendê-lo. Um ciclo de retroativo, a menos que você o interrompa!

A armadilha do pornô é semelhante a usar sapatos justos apenas para obter o prazer de tirá-los. Existem três motivos principais pelos quais os usuários não conseguem ver as coisas dessa maneira.

  1. Desde o nascimento, fomos submetidos a uma grande quantidade de lavagem cerebral, dizendo-nos que a pornografia na Internet é simplesmente outro desenvolvimento moderno que substituiu a versão impressa da pornografia. Essa falácia vem acompanhada da verdade de que a masturbação não é prejudicial, então por que não deveríamos acreditar nisso?

  2. Como a abstinência física da dopamina não envolve dor real, apenas um sentimento vazio e inseguro inseparável da fome e do estresse normal, esse sentimento se manifesta em uma sessão de pornografia, pois é nessas horas que tendemos a procurar pornografia na Internet. Temos a tendência de considerar esse sentimento normal.

  3. No entanto, o principal motivo pelo qual os usuários não conseguem ver a pornografia na Internet em sua verdadeira luz é porque ela funciona de trás para a frente. É quando você não está consumindo que sofre a sensação de vazio. Porque o processo de ficar viciado é incrivelmente sutil e gradual nos primeiros dias, a sensação de vazio é considerada normal e, portanto, não é atribuída à sessão anterior. No momento em que o navegador é inicializado e você começa sua sessão, você recebe um impulso imediato e fica menos nervoso ou mais relaxado, então a pornografia na Internet fica com o crédito.

Este processo reverso “de trás para a frente” torna todas as drogas difíceis de eliminar. Imagine o estado de pânico de um viciado em heroína sem heroína; agora imagine a alegria absoluta de quando eles podem enfim enfiar uma agulha em sua veia. Os não viciados em heroína não sofrem esse sentimento de pânico.

A heroína não alivia a sensação, ela causa. Da mesma forma, os não usuários não sofrem sentimentos vazios de necessidade de pornografia na Internet, nem entram em pânico quando estão offline. Os não usuários não conseguem entender como os usuários possivelmente obtêm prazer de vídeos bidimensionais com sons silenciados e proporções corporais anormais. Eventualmente, os usuários também não conseguem entender.

Falamos sobre a pornografia na Internet ser relaxante ou satisfatória, mas como você pode ficar satisfeito a menos que esteja insatisfeito em primeiro lugar? Um não usuário não sofre deste estado de insatisfação, completamente relaxado após um encontro sem sexo, enquanto o usuário não fica até que tenha satisfeito seu “monstrinho”.

4.3 Um prazer ou uma muleta?


Um lembrete importante - o principal motivo pelo qual os usuários têm dificuldade para parar é a crença de que estão desistindo de um prazer genuíno ou de uma muleta. É essencial entender que você não está desistindo de absolutamente nada. A melhor maneira de entender as sutilezas da armadilha da pornografia é compará-la com comer. O hábito de fazer refeições regulares faz com que não sintamos fome entre as refeições, apenas ficamos cientes da fome se atrasarmos a refeição. Não há dor física, apenas um sentimento de vazio inseguro reconhecido como fome. O processo de saciar nossa fome é uma experiência muito agradável.

A pornografia parece quase idêntica, mas não é. Como a fome, não há dor física e o mecanismo de recompensa se comporta de maneira semelhante, mas é essa semelhança com comer que engana o usuário e faze-o acreditar que existe um prazer ou muleta genuíno. Embora comer e pornografia pareçam ser muito semelhantes, na realidade eles são exatamente o oposto.

  • Você come para sobreviver e energizar sua vida, enquanto a pornografia escurece e diminui seu mojo

  • A comida é genuinamente saborosa e comer é uma experiência genuinamente agradável, que desfrutamos ao longo de nossas vidas. A pornografia envolve a auto-sabotagem dos receptores de felicidade e, portanto, destrói suas chances de enfrentar a situação e se sentir feliz.

  • Comer não cria fome e genuinamente a alivia, enquanto a primeira sessão de pornografia inicia o desejo por dopamina e cada sessão subsequente. Longe de aliviar, garante sofrimento para o resto da vida.

Comer é um hábito? Se você acha que sim, tente quebrá-lo completamente! Descrever o comer como hábito seria como descrever a respiração como um hábito, ambos são essenciais para a sobrevivência. É verdade que as pessoas têm o hábito de saciar sua fome em momentos diferentes com vários tipos de alimentos, mas comer não é um hábito. Nem á pornografia. A única razão pela qual um usuário inicia o navegador é tentando encerrar os sentimentos vazios que a sessão anterior criou, em momentos diferentes com gêneros escalonados variados.

Na internet, a pornografia é frequentemente referida como um hábito e, por conveniência, EasyPeasy também se refere ao “hábito”. No entanto, esteja sempre ciente de que pornografia não é um hábito, é vício em drogas! Quando começamos a usar pornografia, temos que nos forçar a lidar com isso. Antes que percebamos, estamos evoluindo para um pornô cada vez mais bizarro e chocante. A emoção está na caça, não na morte, com a dopamina saindo rapidamente do corpo após o orgasmo, explicando por que os usuários querem “chegar ao limite” (atrasar o orgasmo) ao alternar entre várias janelas e guias do navegador.

4.4 Cruzando a linha vermelha


Como acontece com qualquer outra droga, o corpo tende a desenvolver imunidade aos efeitos dos mesmos velhos clipes, nosso cérebro quer mais ou alguma outra coisa. Após curtos períodos assistindo ao mesmo clipe, ele deixa de aliviar completamente as dores de abstinência que a sessão anterior criou. Há um cabo de guerra ocorrendo neste paraíso da pornografia, você quer ficar do lado seguro da sua ‘linha vermelha’, mas seu cérebro está pedindo para você clicar no vídeo da fruta proibida.

Você se sente melhor depois de se envolver nessa sessão de pornografia, mas fica mais nervoso e menos relaxado do que alguém que nunca começou, mesmo que esteja morando em um suposto paraíso da pornografia. Essa posição é ainda mais ridícula do que usar sapatos apertados, porque à medida que você passa pela vida, uma quantidade cada vez maior de desconforto permanece depois de tirar os sapatos. Como o usuário sabe que o monstrinho precisa ser alimentado, ele mesmo decide o tempo, tendendo a ser em quatro tipos de ocasiões ou uma combinação delas.
Tédio / concentração - dois opostos completos!
Estresse / relaxamento - dois opostos completos!

Que droga mágica pode reverter repentinamente o próprio efeito que tinha minutos antes? A verdade é que a pornografia não alivia o tédio e o estresse, nem promove a concentração e o relaxamento. Se você pensar bem, que outros tipos de ocasiões existem em nossas vidas, além do sono? Se você tem ideias de diminuir para outros tipos de gêneros ‘realistas’ ou ‘leves’ de pornografia, observe que o conteúdo deste livro se aplica a todos os tipos de pornografia, impressão, webcams, pay-per-view, chat, shows ao vivo, etc. O corpo humano é o objeto mais sofisticado do planeta, mas nenhuma espécie, mesmo a mais baixa ameba ou verme, sobrevive sem saber a diferença entre comida e veneno.

Por meio da seleção natural, nossas mentes e corpos desenvolveram técnicas para recompensar ações que se multiplicam e sustentam a humanidade. Eles não estão preparados para estímulos supernormais que são maiores, mais brilhantes e mais ousados do que qualquer coisa encontrada na natureza, mesmo a imagem bidimensional mais silenciosa nos faz ficar excitados. Mas olhe repetidamente para a mesma imagem e você não será. Na vida real, os freios e contrapesos garantem que você faça outra coisa, mas a pornografia na Internet não tem esse limitador, fazendo com que você passe sua vida em um harém virtual!

É uma falácia que pessoas fisicamente e mentalmente fracas se tornem usuários, os sortudos são aqueles que acharam sua primeira instância repulsiva e são curados para a vida. Alternativamente, eles não estão mentalmente preparados para passar pelo severo processo de aprendizagem de lutar para se fisgarem, medo de “serem pegos” ou não serem técnicos o suficiente para operar as configurações de privacidade do navegador. Talvez a parte mais trágica de todo o negócio esteja relacionada aos adolescentes - hábeis em encontrar material e cobrir seus rastros - que começam em número cada vez maior.

Desfrutar de pornografia na Internet é uma ilusão. Saltar de gênero em gênero, simplesmente mantendo nosso ‘macaco’ de novidade dentro da ‘linha vermelha’ de gêneros pornôs ‘seguros’ para obter nossa dose de dopamina. Como viciados em heroína, tudo o que eles estão gostando de verdade é o ritual de aliviar essas dores.

4.5 O alto da dança em torno da linha vermelha


Mesmo com o único vídeo que persiste, os usuários constantemente aprendem a filtrar como partes ruins e desagradáveis dos vídeos pornôs. Mesmo que seja sozinho, eles ainda filtram as partes do corpo que mais os atraem. Na verdade, alguns têm prazer nessa dança em torno da linha vermelha, encontrando desculpas para declarar que gosto de “coisas macias” e não são viciados em estímulos supranormais. Mas pergunte a um usuário que acredita que se apega a um determinado ator ou gênero: “Se você não consegue sua marca normal de pornografia e só consegue obter um gênero inseguro, você para de se masturbar?

De jeito nenhum! Um usuário se masturba para qualquer coisa, escalando gêneros, diferenças na orientação sexual, artistas parecidos, ambientes perigosos, relacionamentos chocantes, qualquer coisa para saciar o monstrinho. Para começar, eles têm um gosto horrível, mas com tempo suficiente, você aprenderá a apreciá-los. Os usuários buscarão a satisfação vazia depois de fazer sexo de verdade, depois de um longo dia de trabalho, febre, resfriados, gripes, dores de garganta e até mesmo durante a internação em hospitais.

O prazer não tem nada a ver com isso, se o sexo é desejado, não faz sentido estar com o seu laptop. Alguns usuários acham alarmante saber que são viciados em drogas e acreditam que isso tornará ainda mais difícil parar. Na verdade, essa é uma boa notícia por dois motivos importantes.

  1. O motivo pelo qual a maioria continua usando é porque, embora saibamos que as desvantagens superam as vantagens, acreditamos que há algo no pornô de que realmente gostamos ou que funciona como uma espécie de acessório. Temos a ilusão de que, depois de pararmos de usar, haverá um vazio, certas situações em nossas vidas nunca mais serão as mesmas. Na verdade, a pornografia não apenas não fornece nada, mas apenas subtrai.

  2. Embora a pornografia na internet seja o gatilho mais poderoso para a inovação e a inundação de dopamina baseada no sexo, por causa da velocidade com que você fica viciado, você nunca é viciado. As verdadeiras dores de abstinência são tão leves que a maioria dos usuários viveu e morreu sem perceber que as sofreram

Por que então muitos usuários acham tão difícil parar, passando por meses de tortura e passando o resto de suas vidas desejando isso em momentos estranhos? A resposta é a segunda razão, lavagem cerebral. O vício em neurotransmissores é fácil de lidar, a maioria dos usuários passa dias sem pornografia online em viagens de negócios ou viagens, sem ser afetado pelas dores de abstinência. Seu pequeno monstro está seguro com o conhecimento de que você abrirá seu laptop assim que retornar ao seu quarto de hotel. Você pode sobreviver ao seu cliente desagradável e ao seu gerente megalomaníaco, sabendo que a solução está à sua disposição.

4.6 A Analogia dos Fumantes


Uma boa analogia é a do fumante de cigarro. Se eles passassem dez horas por dia sem um cigarro, estariam arrancando os cabelos, mas muitos fumantes compram um carro novo e se abstêm de fumar nele. Muitos vão a teatros, supermercados, igrejas e não poder fumar não lhes causa problemas. Mesmo em trens e aviões não houve tumultos. Os fumantes ficam quase satisfeitos quando alguém ou algo os impede de fumar.

Os usuários se absterão automaticamente de usar pornografia na Internet na casa de seus pais durante reuniões familiares e outros eventos com pouco desconforto. Na verdade, a maioria dos usuários passa por longos períodos durante os quais se abstém sem esforço. O monstrinho neurológico é fácil de lidar, mesmo quando você ainda está viciado. Existem milhões de usuários que permanecem como usuários casuais por toda a vida e são tão viciados quanto o usuário pesado. Existem até usuários pesados que abandonaram o vício, mas dão uma espiada ocasional, lubrificando o tobogã para ser descido no próximo mergulho no clima.

Como disse anteriormente, o vício em pornografia real não é o problema principal, simplesmente agindo como um catalisador para manter nossas mentes confusas sobre o problema real - lavagem cerebral. Não pense que os efeitos negativos da pornografia na Internet são exagerados, no entanto, eles são tristemente subestimados. Ocasionalmente, circulam rumores de que as vias neurais criadas existem para o resto da vida, com a combinação certa de acaso e estímulo enviando você para o fundo do poço, arruinando o tobogã novamente, mas isso não é verdade. Nossos cérebros e corpos são máquinas milagrosas, se recuperando em questão de semanas.

Nunca é tarde para parar! Uma rápida navegação pelas comunidades online mostrará pessoas de todas as idades reiniciando suas vidas (e de seus parceiros). Como com qualquer coisa que os humanos fazem, alguns o levam ao próximo nível, praticando a retenção de sêmen, Karezza e através da diferenciação dos lados sensoriais e propagativos do sexo, tornam seus parceiros mais felizes do que nunca.

Pode ser um consolo para usuários antigos e pesados que é tão fácil para eles parar como usuários casuais e, de uma forma peculiar, é mais fácil. Quanto mais o arrasta para baixo, maior é o alívio. Quando parei, fui direto para zero e não tive nenhuma dor forte. Na verdade, o processo foi realmente agradável, mesmo durante o período de abstinência.

Mas, primeiro, devemos remover a lavagem cerebral.

3 Likes

Capítulo 5: Lavagem cerebral

Este é o segundo motivo pelo qual começamos a usar. Entender essa lavagem cerebral completamente exige que primeiro examinemos os poderosos efeitos do estímulo sobrenatural. Nossos cérebros simplesmente não estão preparados para a criação de um ‘harém online’, o que nos permite alternar entre mais parceiros potenciais em quinze minutos do que nossos ancestrais tiveram em várias vidas.

Houveram muitos conselhos equivocados no passado, um exemplo é que a masturbação leva à cegueira. Isso, junto com outras táticas de intimidação, claramente exageraram as coisas. Conceitos errôneos como esses deveriam ser derrubados pela ciência. Isso é tentar matar a mosca com bala de canhão; desde os primeiros anos, nosso subconsciente é bombardeado com mensagens e imagens sexuais, revistas e anúncios carregados de insinuações. Alguns vídeos de música pop são extremamente sugestivos, mas não se desespere, faça disso um jogo para identificar quais componentes eles estão usando: valor de choque, novidade, cor, tamanho, tabu, etc. esse jogo de identificação pode até mesmo ser ensinado a pré-adolescentes como forma de educá-los sobre os métodos da grande mídia.

Em sua essência, a mensagem é: “A coisa mais preciosa nesta terra, meu último pensamento e ação, será o orgasmo.” Isso é exagero? Assista a qualquer programa de TV ou filme e você verá a mistura das sensações (toque, cheiro, voz) e as partes propagativas (orgásticas) do sexo. O impacto disso não é registrado em nosso consciente, mas o subconsciente tem tempo para absorvê-lo.

5.1 Raciocínio científico

Há publicidade do outro lado, sustos de disfunção sexual, perda de motivação, preferência por pornografia a pessoas reais, YourBrainOnPorn e várias subculturas na internet, mas esses movimentos não impedem as pessoas de usar. Logicamente falando, eles deveriam, mas o simples fato é que não. Mesmo os riscos para a saúde listados em estudos revisados no YourBrainOnPorn não são suficientes para impedir um adolescente de começar.

Ironicamente, a força mais poderosa nessa confusão são os próprios usuários. É uma falácia dizer que os usuários são pessoas de vontade fraca ou fisicamente fracas. Você precisa ser forte fisicamente para lidar com um vício depois de saber que ele existe. Talvez o aspecto mais doloroso seja que eles se colocam como perdedores e introvertidos. É como se um amigo pudesse ser interessante pessoalmente se não se rebaixasse por buscar o prazer próprio?

5.2 Problemas usando a força de vontade

Os usuários usando o método da força de vontade culpam sua própria falta de força de vontade e arruínam sua paz e felicidade. Uma coisa é falhar na autodisciplina e outra é odiar a si mesmo. Afinal, não há lei que exija que você esteja duro o tempo todo antes do sexo, devidamente excitado e capaz de satisfazer seu parceiro. Estamos trabalhando em um vício, não um hábito. Em nenhum momento você discute consigo mesmo para abandonar um hábito como jogar futebol, mas fazer o mesmo com o vício em pornografia é normalizado, por quê?

A exposição constante a um estímulo supranatural reconfigura seu cérebro, então construir uma resistência a essa lavagem cerebral é crucial, como se comprasse um carro de um revendedor de carros usados - acenando educadamente, mas não acreditando em uma palavra que o homem está dizendo. Portanto, não acredite que você deve fazer tanto sexo quanto puder, tudo sendo excepcionalmente bom, usando pornografia na sua ausência.


Não brinque de apenas assistir “pornô leve” também, seu monstrinho inventou esse jogo para atrair você. O pornô amador é certificado por alguma autoridade? Os sites de pornografia coletam dados de seus usuários e os usam para atender às suas necessidades. Se eles virem um aumento em uma determinada categoria, eles se concentrarão nisso e enviarão o conteúdo o mais rápido possível. Não se deixe enganar por intenções educacionais ou clipes femininos comercializados como “seguros”. Comece se perguntando: “Por que estou fazendo isso? Eu realmente preciso?”

Mas é claro que não!

A maioria dos usuários jura que só veem fotos e pornografia leve e, portanto, tudo bem. Na verdade, eles estão se segurando pela coleira, lutando com sua força de vontade para resistir às tentações. Se feito com muita frequência e por muito tempo, isso esgota a força de vontade consideravelmente e eles começam a falhar em outros projetos de vida onde a força de vontade é de grande valor, como exercícios, dieta, etc. O fracasso nessas áreas os faz sentir-se miseráveis e culpados, caindo de volta à pornografia. Se isso não for feito, eles vão descarregar sua raiva e depressão nos entes queridos.

Depois que você se torna viciado em pornografia na Internet, a lavagem cerebral aumenta. Seu subconsciente sabe que o monstrinho precisa ser alimentado, bloqueando todo o resto. É o medo que impede as pessoas de desistir, o medo daquela sensação de vazio e insegurança que têm quando param de inundar o cérebro com dopamina. Só porque você não sabe disso, não significa que não esteja lá. Você não precisa entender isso mais do que um gato precisa entender onde estão os canos de água quente, o gato apenas sabe que se sentar em um determinado local, ele se sentirá quente.

5.3 Passividade

A passividade de nossas mentes e a dependência de alguma autoridade causa lavagem cerebral e é uma dificuldade primária em desistir da pornografia. Nossa educação em sociedade, reforçada pela lavagem cerebral de nosso próprio vício e combinada com os mais poderosos: nossos amigos, parentes e colegas. A frase “desistir” é um exemplo clássico de lavagem cerebral, implicando em sacrifício genuíno. A bela verdade é que não há nada para desistir; pelo contrário, você estará se libertando de uma doença terrível e alcançando ganhos positivos maravilhosos. Vamos começar a remover essa lavagem cerebral agora, começando não mais nos referindo a ‘desistir’, mas a PARAR, ABANDONAR ou talvez o verdadeiro termo: ESCAPAR!

A única coisa que nos convence a usar inicialmente é outras pessoas fazendo isso, então sentimos que estamos perdendo alguma coisa. Trabalhamos muito para nos tornarmos fisgados, mesmo assim nunca encontramos o que estávamos perdendo. Toda vez que vemos outro vídeo, só confirma que “tem alguma coisa nisso”, caso contrário, as pessoas não estariam assistindo e o mercado do pornô não seria tão grande. Mesmo quando alguém abandona o hábito, o ex-usuário sente que está sendo privado quando surge uma discussão sobre uma artista sexy ou uma estrela pornô durante festas ou eventos sociais. “Eles devem ser bons se todos os meus amigos falam sobre eles, certo? Será que eles têm fotos grátis online?” Eles se sentem seguros, eles darão apenas uma olhadinha esta noite e, antes que saibam, estão viciados novamente.

A lavagem cerebral é extremamente poderosa e você precisa estar consciente de seus efeitos. A tecnologia continua a crescer e o futuro trará sites e métodos de acesso exponencialmente mais rápidos. A indústria pornográfica está investindo milhões em realidade virtual para que se torne a próxima melhor opção. Não sabemos para onde vamos, despreparados para lidar com a tecnologia atual ou o que está por vir.

Estamos prestes a remover esta lavagem cerebral, não é o não usuário que está sendo privado, mas o usuário que está perdendo uma vida de:

• Saúde
• Energia
• Riqueza
• Paz de espírito
• Confiança
• Coragem
• Respeito próprio
• Felicidade
• Liberdade

O que o viciado ganha fazendo estes sacrifícios consideráveis? ABSOLUTAMENTE NADA, além da ilusão de tentar voltar ao estado de paz, tranquilidade e confiança que o não usuário sempre desfruta.

5.4 Dores de abstinência

Como explicado anteriormente, os usuários acreditam que usam pornografia por prazer, relaxamento ou algum tipo de educação. O verdadeiro motivo é o alívio das dores de abstinência. Nosso subconsciente começa a aprender que a pornografia e a masturbação em certos momentos tendem a ser prazerosos. À medida que ficamos cada vez mais viciados na droga, maior é a necessidade de aliviar as dores da abstinência e mais a armadilha sutil te arrasta para baixo. Esse processo acontece tão lentamente que você nem percebe, a maioria dos usuários jovens não percebe que está viciada até tentar parar e, mesmo assim, muitos não vão admitir.

Veja esta conversa que um terapeuta teve com centenas de adolescentes:

Terapeuta: “Você percebe que a pornografia é uma droga e a única razão pela qual está usando é que você não consegue parar.”

Paciente: “Bobagem! Eu gosto, se não gostasse, eu pararia.”

Terapeuta: “Então pare por uma semana para me provar que você consegue parar se quiser”.

Paciente: “Não precisa, eu gosto. Se eu quisesse parar, eu pararia.”

Terapeuta: “Pare por uma semana para provar a si mesmo que você não está viciado.”

Paciente: “Pra quê?? Eu gosto.”

Como já foi dito, os usuários tendem a aliviar suas dores de abstinência em momentos de estresse, tédio, concentração ou combinações destes. Nos capítulos seguintes, vamos abordar esses aspectos da lavagem cerebral.

6 Likes

Capítulo 6: Aspectos da lavagem cerebral

O grande monstro da armadilha do pornô (a lavagem cerebral) é gerado através da culminação de muitos aspectos, incluindo forças sociais, como a mídia retrata, patrocinadores e a própria narrativa interna do usuário. A falha em desconstruir essas falácias durante o uso do método da força de vontade eventualmente leva a sentimentos de privação, levando o usuário de volta à armadilha. A desconstrução do valor imaginário da pornografia é crucial para o sucesso e permite que você veja onde está falhando!

É importante notar a ligação entre a lavagem cerebral e o medo. É o medo de sentir crises de abstinência futuras que cria as crises. O medo é a própria crise. Pense em quando você teve sintomas de abstinência, como palmas das mãos suadas, falta de ar, problemas de sono e incapacidade de pensar direito. Agora pense em situações semelhantes quando você teve esses sentimentos: entrevistas de emprego, nervosismo perto de uma pessoa atraente, falar em público, etc. Esses são os mesmos sentimentos de ansiedade que o medo causa. Então, como uma droga física ainda pode fisgar as pessoas meses depois de pararem? Deve ser algo na mente, correto?

6.1 Estresse

Não apenas grandes tragédias na vida, mas também pequenos estresses levam os usuários à proibida área “insegura”, anteriormente excluída. O estresse inclui socialização, telefonemas, ansiedades de dona de casa com filhos pequenos e muitos outros. Tomemos as ligações como exemplo, principalmente para um empresario: A maioria das chamadas não é de clientes satisfeitos ou de seu chefe parabenizando você, há algum tipo de irritação. Voltar para casa, para a vida familiar mundana de crianças gritando e as demandas emocionais de seus parceiros faz o usuário (se ainda não estiver fazendo isso) fantasiar sobre alívio prometido pela pornografia naquela noite. Eles inconscientemente sofrem dores de abstinência, aliviando parcialmente as dores e o estresse normal, então o total é reduzido e o usuário obtém um alívio temporário. O alívio não é uma ilusão, o usuário realmente se sente melhor do que antes, mas ele está mais tenso do que um não-usuário na mesma situação.

O exemplo a seguir não foi criado para chocar, EasyPeasy não promete tal tratamento, mas é para enfatizar que a pornografia te deixa maluco em vez de relaxá-lo.

Tente se imaginar chegando ao estágio em que você não consegue ficar excitado, mesmo com uma parceira(o) muito sexy e atraente. Por um momento, faça uma pausa e tente visualizar a vida onde uma pessoa muito adorável e encantadora tem que competir e perder para as estrelas pornôs virtuais que ocupam seu ‘harém’ para chamar sua atenção. Agora imagine o estado de espírito de uma pessoa que, ao receber esse aviso, continua usando e morre sem nunca ter feito sexo de verdade com essa parceira encantadora e disposta. É fácil classificar essas pessoas como esquisitas, mas histórias como essas não são falsas, é isso que a terrível novidade da droga pornográfica faz ao seu cérebro. Quanto mais você passa pela vida, mais a coragem se esgota e mais você se ilude em acreditar no prazer genuíno da pornografia.

Você já entrou em pânico quando, do nada, o WiFi parou de funcionar ou ficou muito lento? Os não-usuários não sofrem com isso, mas o uso da pornografia causa essa sensação. Conforme você passa pela vida, ela destrói sistematicamente seus nervos e coragem, deixando o DeltaFosB formar poderosos tobogãs neurais como rastro, destruindo progressivamente sua capacidade de dizer não. No estágio em que a virilidade natural foi eliminada, o usuário acredita que a pornografia é sua/seu nova(o) companheira(o) e não consegue enfrentar a vida sem ela.

A pornografia na Internet não está aliviando seus nervos, na verdade está lentamente destruindo-os. Uma das grandes vantagens de quebrar o vício é o retorno de sua confiança natural e autoconfiança.

Não há necessidade de se autoavaliar com base em sua capacidade de satisfazer um parceiro, isso não é liberdade. Mas também, essa liberdade não pode ser obtida ao continuar a lubrificar o cano de dopamina que drena sua felicidade e libido, por repetir diariamente o mesmo comportamento destrutivo.

6.2 Tédio

Se você é como muitas pessoas, assim que deita na cama já está no seu site pornô favorito, provavelmente inconsciente disso até perceber. Tornou-se sua segunda natureza. Da mesma forma, usar pornografia para aliviar o tédio é outra falácia, porque o tédio é um estado de espírito; ocorrendo quando você se abstém por um longo tempo de algo ou está tentando reduzir o consumo.

A situação real é a seguinte: quando você está viciado no super estímulo do pornô na internet e tenta se abster, vai parecer que está faltando algo. Se você tem algo para ocupar sua mente que não seja estressante, você pode passar longos períodos de tempo sem ser incomodado pela ausência da droga. No entanto, quando você está sem nada para fazer, não há nada para tirar sua mente disso, então você alimenta o monstro. Quando você não está tentando parar ou diminuir o consumo, até mesmo iniciar a navegação privada torna-se inconsciente. Este ritual é automático; se o usuário tentar se lembrar das sessões durante a última semana, ele só conseguirá se lembrar de uma pequena proporção delas, como a última ou a sessão após uma longa abstinência.

A verdade é que a pornografia aumenta o tédio indiretamente porque os orgasmos fazem você se sentir letárgico e, quando você fica entediado, em vez de realizar uma atividade energética, os usuários tendem a preferir dar uma relaxada e aliviar o vício. Contornar a lavagem cerebral é importante porque os usuários tendem a ver pornografia quando entediados, nossos cérebros programados para interpretar a pornografia como interessante. Da mesma forma, também sofremos lavagem cerebral para acreditar que o sexo - até mesmo o sexo ruim - ajuda no relaxamento. É um fato que, quando estão tristes ou sob estresse, os casais querem fazer sexo. Mas se você não faz a separação entre sexo tântrico e propagativo (orgásmico), observe com que rapidez você deseja se afastar um do outro depois que o orgasmo obrigatório for alcançado. Se o casal tivesse decidido apenas abraçar, falar ou acariciar e ir dormir, eles teriam se sentido aliviados.

6.3 Concentração

Masturbação e sexo não ajudam a concentração. Quando você está tentando se concentrar, você automaticamente tenta evitar distrações. Entretanto, quando um usuário quer se concentrar, ele nem pensa: abre automaticamente o navegador, alimenta o monstrinho e acaba parcialmente com o desejo. Eles continuam com o assunto em questão, já esquecendo que viram pornografia. Após anos de inundação de dopamina, as mudanças neurológicas afetam habilidades como acesso a informações, planejamento e controle de impulsos.

Você também vai precisar fornecer novidades a cada próxima sessão, pois o mesmo material não gera mais dopamina e opioides suficientes. Então, você terá que vagar pela internet em busca de novidades, lutando contra o impulso de cruzar a linha de materiais chocantes, o que por sua vez gera mais estresse e o deixa insatisfeito depois de terminar.

A concentração também é afetada adversamente quando os receptores de dopamina são desregulados causando tolerância natural à grandes oscilações , reduzindo o benefício de fluxos menores de dopamina dos desestressantes naturais. Sua concentração e inspiração serão bastante aumentadas à medida que esse processo for reduzido. Para muitos, é o aspecto da concentração que os impede de ter sucesso com o método da força de vontade, eles poderiam tolerar a irritação e o mau humor, mas a incapacidade de se concentrar em algo difícil quando sua muleta é removida derruba muitos.

A perda de concentração que os usuários sofrem ao tentar escapar não é devido à ausência de sexo, muito menos de pornografia. Você tem bloqueios mentais quando é viciado em alguma coisa e quando tem um bloqueio mental, o que você faz? Você abre o navegador (o que não cura o bloqueio, ao contrário criará mais bloqueios mentais a cada sessão). Então… o que você deveria fazer? Você faz o que tem que fazer, segue em frente com isso assim como os não-usuários fazem.

Quando você é um usuário, nada é responsabilizado pela causa, os usuários nunca têm disfunção sexual, apenas “momentos de fraqueza”. No momento em que você para de usar, tudo que dá errado é erroneamente atribuído ao motivo pelo qual parou. Agora, quando você tem um bloqueio mental, em vez de apenas seguir em frente, você começa a dizer “Eu bem que poderia visitar meu prostíbulo online, só pra desestressar”. Você então começa a questionar sua decisão de desistir e escapar da escravidão.

Se você acredita que a pornografia é uma ajuda genuína para a concentração, se preocupar com isso só garantirá que você não conseguirá se concentrar. A dúvida sobre o assunto, e não os sintomas da abstinência, que criam o problema. Lembre-se sempre: É o usuário que sofre os sintomas, quem não usa não sofre de nada.

6.4 Relaxamento

A maioria dos usuários pensa que a pornografia os ajuda a relaxar. Claro que não. A busca frenética para se satisfazer naquelas “guias sujas da internet” e a luta interna se segurando na coleira para não cruzar a linha vermelha de conteúdo não parece uma atividade muito relaxante.

Quando a noite chega depois de uma longa viagem ou de um dia longo de trabalho, sentamos para relaxar, aliviar nossa fome e sede e ficamos completamente satisfeitos. O usuário não é assim, pois tem outra fome a satisfazer. Os usuários pensam na pornografia como a “cerejinha do bolo”, mas na verdade é um “monstrinho” que precisa ser alimentado. A verdade é que o viciado nunca consegue ficar completamente relaxado e no decorrer da vida isso vai ficando cada vez pior. Pegue um comentário online de um ex-usuário:

“Eu realmente acreditava que tinha um demônio maligno em mim, agora sei que tinha…, no entanto, não era uma falha inerente no meu caráter, mas sim o pequeno monstro da pornografia que estava criando o problema. Naquela época, pensava que tinha todos os problemas do mundo, mas quando olho para trás, me pergunto onde estava esse estresse todo. Eu tinha o controle sobre todo o resto na minha vida, a única coisa que me controlava era a escravidão ao pornô. O triste é que ainda hoje não consigo convencer meus filhos que era essa escravidão que me deixava irritado.”

Toda vez que viciados tentam justificar seu vício o que ouço é: “Ah, mas me ajuda a relaxar”. Considere o relato online de um pai solteiro cujo filho de seis anos queria dormir na sua cama à noite depois de um filme de terror, mas o pai se recusava para que pudesse ter sua sessão e se masturbar por horas.

Aqui está outra analogia ao vício de fumar: alguns anos atrás, as autoridades de adoção ameaçaram impedir que os fumantes adotassem crianças. Um homem ligou, irado. “Vocês estão completamente errados”, disse ele, “quando eu era criança, se eu tivesse um assunto complicado para discutir com minha mãe, esperava até ela acender um cigarro, porque ela ficava mais relaxada”. Mas por que o homem não conseguia falar com a mãe quando ela não estava fumando um cigarro?

Por que alguns viciados em pornô ficam tão estressados quando não se satisfazem, mesmo depois de sexo real? Uma história on-line detalha um homem que trabalhava na área de publicidade com possibilidade de encontros com 9/10 e 10/10 a qualquer hora, mas perdeu o interesse em levá-las para sair porque pornô era muito mais fácil, não envolvia gastos em restaurantes e não tinha possibilidade de receber um ‘não’ no final do encontro. Pra quê esse trabalho todo quando seu monstrinho o mantinha desejando o esquema de baixo risco/alto ganho na ponta dos dedos ao chegar em casa?

Então por que os não-usuários ficam completamente relaxados? E por que os usuários não conseguem relaxar sem uma dose a cada ou dois dias? Observe um usuário tentando parar e você verá: juramentos de abstinência e abdicação, luta contra as tentações etc. Claramente fazer isso não o deixará relaxado quando não tem mais permissão para ter ‘o único prazer’ que ele ‘atualmente desfruta’. Ele nem sabe mais como é isso de estar ‘completamente relaxado naturalmente’… A pornografia pode ser comparada a uma mosca sendo pega em uma planta carnívora: no início a mosca está comendo o néctar, mas em algum estágio imperceptível a planta começa a comer a mosca.

Não é hora de você dar o fora dessa planta?

6.5 Energia

A maioria dos usuários está ciente dos efeitos progressivos que o pornô causa em seus cérebros nos sistemas de recompensa e sexual devido à grande variedade de parceiros e a escala de novidade durante as sessões. No entanto, eles não estão cientes do efeito que isso tem em seu nível de energia.

Uma das sutilezas da armadilha do pornô é que os efeitos que ela tem sobre nós, tanto física quanto mentalmente, acontecem de forma tão gradual e imperceptível que permanecemos inconscientes deles e, em vez disso, consideramos alguns sintomas como normais. O efeito é semelhante ao dos maus hábitos alimentares, olhamos para as pessoas que estão muito acima do peso e nos perguntamos como elas poderiam ter se permitido chegar a esse ponto. Mas suponha que isso acontecesse da noite para o dia: você fosse para a cama arrumado, cheio de músculos e sem uma grama de gordura em seu corpo – de repente acordasse e se descobrisse gordo, inchado e com aquela barriga de pote. Em vez de acordar sentindo-se totalmente descansado e cheio de energia, você se sente miserável, letárgico e mal consegue abrir os olhos.

Você entraria em pânico, se perguntando qual doença terrível você contraiu durante a noite, só que a doença é exatamente a mesma. O fato de você ter demorado vinte anos para chegar lá é irrelevante. A pornografia é a mesma coisa, se fosse possível transferir imediatamente sua mente e corpo para lhe dar uma comparação direta de como você se sentiria se tivesse parado a pornografia por apenas três semanas, isso é tudo o que seria necessário para convencê-lo.

Pergunte se você realmente se sentiria tão bem ou o que realmente isso significa: “Será que eu realmente me afundei tanto?” Você não apenas se sentiria mais saudável com mais energia, mas também geraria muito mais confiança e uma maior capacidade de concentração.

Falta de energia, cansaço e tudo relacionado a isso é varrido para debaixo do tapete com a premissa do “estou ficando velho”. Amigos e colegas que também vivem estilos de vida sedentários agravam ainda mais a normalização desse comportamento. A crença de que a energia é prerrogativa exclusiva de crianças e adolescentes e de que a velhice começa aos 20 anos é outro sintoma da lavagem cerebral, assim como não estar consciente dos hábitos alimentares e de exercícios como resultado dos efeitos combinados da dessensibilização da dopamina.

Pouco depois de abandonar pornografia, a sensação de cansaço e fadiga vai deixá-lo. A questão é que, com a pornografia, você está sempre gastando sua energia e, nesse processo, interferindo na química de seu sistema límbico. Diferente de parar de fumar, onde o retorno de sua saúde física e mental é apenas gradual, parar com PMO oferece excelentes resultados desde o primeiro dia. Matar o “monstrinho” e fechar os canos leva um pouco de tempo, mas recuperar seu centro de recompensa não é igual deslizar lentamente para dentro do poço. Se você estiver passando pelo trauma do método da força de vontade, qualquer ganho de saúde ou energia será anulado pela sua ‘flatline’ ou senso de privação. Infelizmente, não é possível para EasyPeasy transferir você imediatamente para sua mente em três semanas, mas você pode! Você sabe instintivamente que o que está sendo dito é correto, tudo que você precisa fazer é usar sua imaginação!

6.6 ‘Sessão’ antes de sair à noite

Esta é uma desinformação que parece fazer sentido, mas não faz. Para controlar o apetite, você come em casa antes de sair para um restaurante ou festa? Isso é o que você está fazendo batendo uma antes de sair, parecendo cansado e não no seu melhor. A adoção generalizada de técnicas de sedução (pick-up) trouxe pressão para a performance, pegar garotas para competir com os amigos. Tentar diminuir sua ansiedade assistindo pornografia antes de sair ou usando outras substâncias só vai piorar o problema no longo prazo. Pessoalmente, gosto de um pouco de ansiedade para me manter focado e envolvido, então me cansar mental e fisicamente com o orgasmo não vai ajudar.

‘Bater uma’ antes ou depois de sair é ocasionada por dois ou mais dos nossos motivos habituais de busca de prazer/propósitos. As relações sociais em seu núcleo são ambas estressantes e relaxantes, isso pode parecer uma contradição, mas qualquer forma de socialização pode ser estressante (mesmo com amigos). Existem muitas ocasiões em que múltiplos fatores estão presentes ao mesmo tempo. Dirigir é um exemplo, já que afinal, sua vida está em jogo. É uma atividade estressante, com concentração necessária por períodos prolongados de tempo. Você não precisa estar consciente desses fatores, seu subconsciente já está recebendo a mensagem. Seguindo a mesma linha, ao se ver preso em engarrafamentos ou entediado em longas estradas, a vontade de uma sessão ao chegar em casa ocupa sua mente.

Outro bom exemplo é ir num primeiro encontro, sua mente lançando perguntas sobre a pessoa que você está prestes a conhecer. Então, se o seu entusiasmo começar a diminuir ao encontrá-la pessoalmente, você começará a se sentir muito estranho, e então culpado por se sentir assim. O cabo-de-guerra na mente começou: “Eu quero transar ou então sair daqui o mais rápido possível”, preparando você para se masturbar depois de chegar.

Mesmo que o encontro tenha corrido bem e horas depois você esteja na casa dele(a), não importa o que aconteça ou o quanto legal seja, você não ficará satisfeito se seu único objetivo for um orgasmo. Outras vezes, você dirige para casa sozinho, seu único pensamento é seu harém online, em vez de se parabenizar por seus esforços. Você pode apostar que alguém nesta posição terá uma sessão ao chegar em casa, e muitas vezes é depois de noites como essas - ao acordar e sentir um vazio desconfortável - que sentiremos mais falta quando pensarmos em parar usar pornografia. Achamos que a vida nunca será boa o suficiente se pararmos. Na verdade, é o mesmo princípio em funcionamento: quando você se masturba assistindo pornô você simplesmente alivia a sensação de vazio causada pelo próprio pornô, criando uma necessidade para a próxima sessão, lubrificando os canos para o próximo ciclo.

Que fique bem claro: - não é a pornografia na internet e as ninfas do harém que são especiais, é a ocasião que faz eles parecerem especiais. Assim que a necessidade de pornografia for removida, essas ocasiões se tornarão mais agradáveis naturalmente e as situações estressantes menos estressantes.

3 Likes

Capítulo 7: Do que estou desistindo?


Absolutamente nada! É difícil abandonar a pornografia por causa do medo de sermos privados de nosso prazer ou apoio. O medo de que certas situações agradáveis nunca mais sejam as mesmas. Medo de não conseguir lidar com situações estressantes. Em outras palavras, são os efeitos da lavagem cerebral nos iludindo e fazendo-nos acreditar que o sexo - e por extensão o orgasmo - é uma obrigação para todos os seres humanos. Além disso, é a crença de que precisamos de algo inerente à pornografia na Internet e que, quando pararmos de usar, estaremos negando a nós mesmos e criando um vazio.

Deixe isso claro em sua mente: Pornografia não preenche um vazio, ele cria um!

Nossos corpos são os objetos mais sofisticados do planeta. Quer você acredite em design inteligente, seleção natural ou uma combinação de ambos, nossos corpos são milhares de vezes mais eficazes do que o homem! Não somos capazes de criar a menor célula viva ou os milagres da visão, reprodução e vários sistemas interligados presentes em nossos corpos ou cérebros. Se este criador ou processo pretendesse que lidássemos com estímulos supernormais, teríamos recebido diferentes sistemas de recompensa. Nossos corpos são fornecidos com dispositivos de alerta à prova de falhas e nós os ignoramos por nossa conta e risco.

7.1: Não há nada para desistir


Depois de limpar o monstrinho de seu corpo e a lavagem cerebral (o grande monstro) de sua mente, você não vai querer se masturbar com frequência nem usar pornografia na internet para isso. Existem muitos casos conhecidos e desconhecidos quando se trata de vício em pornografia, com muitos na comunidade médica não tendo o conceito de questionar ou determinar alguém como viciado em pornografia. Muitos dos sintomas relatados estão erroneamente marcados com outras causas. Não é que os usuários geralmente sejam pessoas estúpidas, é apenas que eles se sentem infelizes sem pornografia. Preso entre o diabo e o fundo do mar azul, abstendo-se e sendo miseráveis porque não podem usar pornografia ou miseráveis porque são culpados e começam a se desprezar por causa disso. Quando apresentam sintomas como dor lombar ou disfunção sexual, suas mentes ficam divididas entre aceitar a responsabilidade e olhar para o outro lado.

Outra analogia do fumante, todos nós já vimos fumantes que inventam desculpas para escapar para uma tragada astuta e vemos o verdadeiro vício em ação. Os viciados não fazem isso por diversão, em vez disso, porque se sentem infelizes sem isso.

Para muitos, sua primeira experiência sexual terminou em orgasmo, então eles adquiriram a crença de que não podem desfrutar do sexo sem um. Para os homens, a pornografia é comercializada como um auxílio ao sexo, às vezes até como uma educação para a confiança durante o ato. Isso é um absurdo, o condicionamento de estímulos supranormais apenas consegue derrubá-lo.

Não só não há nada a desistir, mas ganhos positivos maciços a serem obtidos. Quando os usuários pensam em parar, eles tendem a se concentrar na saúde e na virilidade. Essas são razões válidas e importantes, mas eu pessoalmente acredito que os maiores ganhos são psicológicos:

  • O retorno de sua confiança e coragem.

  • Liberdade da escravidão.

  • Não ter mais sombras negras horríveis no fundo da sua mente e se desprezar.

7.2: Vazio, o vazio, o belo vazio!


Imagine ter uma afta no rosto, então você vai ao farmacêutico e ele lhe dá uma pomada grátis para você experimentar. Você coloca a pomada e ela desaparece imediatamente. Uma semana depois reaparece, então você volta ao farmacêutico e pergunta se tem mais pomada. O farmacêutico diz “Claro; mantenha o tubo, você pode precisar dele mais tarde. ”

Você aplica a pomada e pronto, a ferida desaparece mais uma vez. Mas cada vez que a ferida volta, ela fica maior e mais dolorida, com o intervalo cada vez mais curto. Eventualmente, a ferida cobre todo o seu rosto e é terrivelmente dolorosa, e está voltando a cada meia hora. Você sabe que a pomada o removerá temporariamente, mas está muito preocupado. A ferida eventualmente se espalhará por todo o corpo? O intervalo desaparecerá completamente? Você vai ao médico e ele não consegue curar, então você tenta outras coisas, mas nada ajuda além da pomada.

Agora você está completamente dependente da pomada, nunca sai sem ter certeza de que tem um tubo com você. Se você for para o exterior, certifique-se de levar vários tubos com você. Além das preocupações com a saúde, o farmacêutico cobra cem dólares por tubo. Você não tem escolha a não ser pagar.

Você se depara com um artigo discutindo isso e descobre que não está acontecendo apenas com você, muitas pessoas estão sofrendo do mesmo problema. Na verdade, a comunidade médica descobriu que a pomada não cura realmente a ferida e, em vez disso, apenas a leva sob a superfície da pele. É a pomada que fez a ferida crescer, então tudo que você precisa fazer para se livrar da ferida é parar de usar a pomada e ela irá desaparecer no devido tempo.

Você continuaria usando a pomada? Seria preciso força de vontade para não usar a pomada? Se você não acreditou no artigo, pode haver alguns dias de apreensão, mas quando você percebeu que a ferida estava começando a melhorar, a necessidade ou desejo de usar a pomada desapareceria. Você ficaria infeliz? Claro que não! Você teve um problema terrível que você pensou ser incurável, mas agora você encontrou a solução. Mesmo que demorasse um ano para a ferida desaparecer, a cada dia que melhorava, você pensaria em como se sentiu maravilhoso. Essa é a magia de parar de pornografia.

A ferida não são as dores no corpo, a falta de luxúria normal, a excitação diminuindo, a penetração desbotada, o tempo perdido em imagens bidimensionais, sentimentos de violação de direitos e desprezo pelas pessoas que o pegaram ou, pior ainda, desprezando a si mesmo. Tudo isso além da ferida.

A ferida nos faz fechar nossas mentes para todas essas coisas, é aquela sensação de pânico de querer uma solução. Não usuários não sofrem com esse sentimento. A pior coisa que sofremos é o medo, o maior ganho em nos livrarmos desse medo. É causado por sua primeira sessão, ainda mais fortalecido e causado por cada sessão subsequente.

Alguns usuários estão “felizes”, cegos por seus pequenos monstros astutos e então passam pelo mesmo pesadelo, apresentando argumentos falsos para tentar justificar sua estupidez.

É tão bom ser livre!

5 Likes

Capítulo 8: Economizando Tempo


Normalmente, quando os usuários tentam parar, as principais razões apresentadas são saúde, religião e estigma do parceiro. Parte da lavagem cerebral desta droga horrível é a pura escravidão dela, o homem lutou muito para abolir a escravidão em muitas partes do mundo - ainda que o usuário passe a vida sofrendo uma escravidão autoimposta. Eles não percebem o fato de que, quando têm permissão para usar pornografia, desejam ser um não usuário. A única vez que a pornografia se torna preciosa é quando estamos “tentando” reduzir ou nos abster, ou quando a abstinência é imposta.

Não pode ser repetido com frequência suficiente para que a lavagem cerebral torne difícil parar a pornografia. Quanto mais dissiparmos antes de começar, mais fácil você achará para atingir seu objetivo. Usuários confirmados, que não acreditam que a pornografia tenha qualquer efeito negativo sobre sua saúde (disfunção erétil induzida por pornografia, hipofrontalidade etc.) e não estão tendo um cabo de guerra mental, são geralmente mais jovens ou solteiros com um parceiro sexual ocasional. Assim, o feedback interno é perdido devido à natureza de sua juventude ou é muito raro para ser observado e registrado.

Um argumento melhor para um usuário mais jovem é o tempo gasto, em vez de dizer “Não acredito que você não está preocupado com o tempo que está gastando”. Geralmente seus olhos brilham, sentindo-se prejudicados se atacados por motivos de saúde ou estigma social, mas na hora certa …
“Oh, eu posso pagar. São apenas x horas por semana e acho que vale a pena, é meu único vício de prazer. ”

“Ainda não consigo acreditar que você não esteja preocupado. Vamos supor uma média diária de meia hora que inclui a drenagem física das retiradas de dopamina, você está gastando aproximadamente um dia inteiro de trabalho a cada quinze dias. Tenho certeza de que você concordaria que meia hora por dia é uma estimativa muito conservadora. Você já pensou em quanto tempo vai passar na sua vida? O que você está fazendo nessa hora? Desenvolvendo relacionamentos reais? Não, sua estrela pornô favorita não tem simpatia por você, só porque você gastou muito tempo nos vídeos dela- você está jogando tempo fora! Não só isso, você está realmente usando esse tempo para arruinar sua saúde física, destruindo seus nervos e confiança para sofrer uma vida inteira de escravidão, dor, melancolia e rabugice. Certamente isso deve preocupar você, certo? "

É evidente neste ponto - especialmente com usuários mais jovens - que eles nunca consideraram isso um vício para a vida toda. Ocasionalmente, eles calculam o tempo que perdem em uma semana e isso é alarmante o suficiente. Muito ocasionalmente, e apenas quando pensam em parar, eles estimam o que gastam em um ano, o que é assustador - mas ao longo da vida é impensável. No entanto, como estamos em uma discussão, o usuário confirmado dirá impulsivamente: “Eu posso pagar, é apenas uma semana”, puxando para si uma rotina de vendedor de enciclopédia.

Frequentemente, neste ponto, um usuário confirmado dirá: “Olha, não estou realmente preocupado com o aspecto do dinheiro”. Se você está pensando assim, pergunte-se por que não está preocupado. Por que em outros aspectos da sua vida você terá grandes problemas para economizar alguns dólares aqui e ali, mas gastará milhares matando sua felicidade e arcando com as despesas?

Todas as outras decisões que você tomar em sua vida serão o resultado de um processo analítico de pesar vantagens e desvantagens para chegar a uma decisão racional. Pode ser a decisão errada, mas será o resultado de dedução racional. Sempre que qualquer usuário pesa os prós e os contras de usar pornografia na Internet, a resposta é uma dúzia de vezes: “PARE DE USAR! VOCÊ É BURRO FEITO UMA PORTA!” Portanto, todos os usuários estão usando não porque querem ou decidem, mas porque não podem parar. Eles têm que usar pornografia, e então fazer uma lavagem cerebral em si mesmos, mantendo a cabeça na areia.

Usuários confirmados devem ter em mente que a situação só vai piorar exponencialmente, com mais estudos sendo publicados e mais pessoas falando sobre os efeitos nocivos da pornografia na internet. Hoje, são pessoas não médicas discutindo os efeitos, amanhã estará na lista de testes de diagnóstico do seu médico. Já se foram os dias em que o usuário podia esconder o “tempo de inatividade” atrás do estresse do trabalho em sua vida sexual. Seu parceiro vai perguntar por que você está usando seu laptop tarde da noite. O pobre usuário - já se sentindo miserável - agora quer que o chão se abra e os engula.

O estranho é que muitas pessoas pagariam um bom dinheiro para frequentar academias e personal trainers para construir músculos e parecerem esculpidas, muitas em seu desespero imaginário (e real) voltando-se para tratamentos como aumentar a testosterona com efeitos colaterais duvidosos e perigosos. No entanto, existem muitas pessoas neste grupo que se beneficiariam em interromper uma prática que destrói sistematicamente os sistemas de relaxamento natural do cérebro.

Isso ocorre porque eles ainda estão pensando com a lavagem cerebral do usuário. Limpe a areia dos olhos por um momento. A pornografia na Internet é uma reação em cadeia e uma cadeia para a vida toda, e se você não quebrar essa cadeia, continuará sendo um usuário pelo resto da vida. Faça uma estimativa de quanto tempo você acha que vai gastar com pornografia pelo resto de sua existência, obviamente a quantidade vai variar de pessoa para pessoa, mas vamos supor que seja um ano e meio de horas de trabalho. Imagine se houvesse um cheque da loteria de um ano e meio de seu salário no tapete amanhã? Você estaria dançando com prazer, então comece a dançar! Você está prestes a começar a receber esses benefícios!

Se você acha que esta é uma maneira complicada de ver as coisas, você ainda está se enganando. Calcule quanto tempo você teria economizado se nunca tivesse dado a primeira olhada logo no início.

Em breve, você tomará a decisão de usar sua sessão final (ainda não, lembre-se das instruções!), Permanecendo um não usuário por não cair na armadilha novamente. Tudo o que você precisa fazer para permanecer um não usuário é não usar pornografia e evitar “apenas uma espiada”. Lembre-se, se você fizer isso, vai custar o que você estimou que será o seu ganho de salário

Se você estiver orientando alguém por causa do vício em pornografia, diga que conhece alguém que recusou uma oferta de emprego que paga seu salário anual, atual e também dá a ele o equivalente a um mês inteiro de licença remunerada. Quando questionado sobre quem é aquele idiota, diga a ele: “Você!” É rude, mas às vezes você precisa passar o juízo de uma forma menos educada.

5 Likes

Capítulo 9: Saúde


Esta é a área onde a lavagem cerebral é maior com os usuários - principalmente os jovens e solteiros - que pensam que estão cientes dos riscos à saúde, mas não estão. Muitos se enganam dizendo que estão preparados para aceitar as consequências. Se o seu roteador de internet tivesse uma função que emitisse um tom de alarme com um aviso quando você acessasse um site pornográfico dizendo - “Até agora você se safou, mas se ficar mais um minuto sua cabeça vai explodir”. Você teria ficado? Se você está em dúvida sobre a resposta, experimente caminhar até um penhasco, parando na borda com os olhos fechados e imaginando ter a opção de parar de ver pornografia ou andar sobre ele com os olhos vendados.

Não há dúvida de qual seria sua escolha, mas enterrando sua cabeça na areia e esperando acordar uma manhã e não querer mais assistir pornografia, você não consegue nada. Os usuários não podem se permitir pensar nos riscos para a saúde, se o fizerem, o prazer ilusório do vício vai embora. Isso explica por que os tratamentos de choque são tão ineficazes nos primeiros estágios de parar de fumar, apenas os não usuários que se obrigam a ler sobre as alterações cerebrais destrutivas.

Considere esta conversa comum com os usuários, geralmente os mais jovens.

Eu: “Por que você quer parar?”

Usuário: “Li no blog de um pick-up artist que é bom parar por quatro dias para me animar.”

Eu: “Você não está preocupado com os riscos à saúde?”

Usuário: “Não, eu poderia entrar debaixo de um ônibus amanhã.”

Eu: “Mas, você deliberadamente entraria debaixo de um ônibus?”

Usuário: “Claro que não.”

Eu: “Você não se preocupa em olhar para a esquerda e para a direita quando atravessa a rua?”

Usuário: “Claro que sim.”

Exatamente, eles passam por muitos problemas para não entrar debaixo de um ônibus e as chances de isso acontecer são milhares para um. Ainda assim, o usuário arrisca a quase certeza de ser aleijado por seu vício e parece estar completamente alheio. Tal é o poder da lavagem cerebral, a pornografia na Internet é um lobo em pele de cordeiro. Não é estranho que, se sentíssemos que havia o menor defeito em um avião, não subiríamos nele - embora os riscos sejam de milhões para um - ainda assim, temos mais de ¼ de certeza com pornografia e estão aparentemente alheios a isso? O que o usuário ganha com isso? Absolutamente nada!

Outro mito comum é a depressão ou irritação. Muitos jovens não estão preocupados com sua saúde porque não sofrem de depressão ou melancolia. A depressão ou estresse não é a doença, é um sintoma. Pessoas mais jovens em geral não sentem a irritabilidade ou depressão criada devido à capacidade natural de seu corpo de produzir mais dopamina. À medida que envelhecem ou enfrentam contratempos sérios, seus recursos já esgotados ficam sobrecarregados e eles apresentam sintomas completos. Quando os usuários mais velhos se sentem estressados, deprimidos ou irritados, é porque os mecanismos à prova de falhas da natureza estão protegendo o sistema nervoso do fluxo excessivo de dopamina pelos receptores de redução. O usuário também desenvolve outras alterações neurológicas que o mantêm na rotina.

Pense desta forma, se você tivesse um bom carro e permitisse que enferrujasse sem fazer nada a respeito, isso seria muito estúpido. Rapidamente se tornaria um monte de ferrugem imóvel, incapaz de transportar você para qualquer lugar. No entanto, não seria o fim do mundo, pois é apenas uma questão de dinheiro. Mas seu corpo é o veículo que o transporta pela vida. Todos nós dizemos que nossa saúde é nosso maior bem, pergunte a qualquer milionário doente. A maioria de nós pode olhar para trás e ver uma doença ou acidente em nossas vidas, quando oramos para melhorar. Por ser um usuário de pornografia, você não está apenas deixando a ferrugem entrar e não fazendo nada a respeito, você está destruindo sistematicamente o único veículo usado para passar por toda a sua vida.

Sábio. Você não tem que fazer isso, lembre-se, não está fazendo absolutamente nada por você. Por um momento, tire a cabeça da areia e pergunte-se que, se soubesse com certeza que sua próxima sessão iniciaria um processo que o deixaria totalmente indiferente a alguém que ama profundamente, continuaria usando? Falando para as pessoas que isso acontece, elas certamente não esperavam que isso acontecesse com elas, e o pior não é a doença em si, mas o conhecimento de que elas mesmas a causaram. Tente imaginar como as pessoas que “apertaram o botão” se sentem, para elas a lavagem cerebral acabou. Eles passam o resto de suas vidas pensando: “Por que me enganei por tanto tempo que precisava me masturbar vendo pornografia na internet? Se eu tivesse a chance de voltar! ”

Pare de se enganar, você tem essa chance. É uma reação em cadeia, se você se envolver na próxima sessão de pornografia, isso o levará para a próxima e para a próxima. Já está acontecendo com você. EasyPeasy não promete tratamento de choque, então se você já decidiu que vai parar, o seguinte não será chocante para você. Se você não fez isso, pule o restante deste capítulo e volte a ele depois de ler o resto do livro.

Volumes e mais volumes de pesquisas já foram escritos sobre os danos que a pornografia na Internet causa à nossa vida sexual e bem-estar mental. O problema é que até decidirem parar eles não querem saber. Fóruns e grupos de mentores são uma perda de tempo porque a pornografia fecha os olhos. Se forem lidos inadvertidamente, a primeira coisa que farão é abrir seu site de +18 favorito. Os usuários de pornografia tendem a pensar na felicidade, no estresse e nos perigos do sexo como um caso de tentativa e erro, como pisar em uma mina terrestre.

Coloque na sua cabeça, já está acontecendo. Cada vez que você abre seu site pornô, você está provocando uma inundação de dopamina e os opioides começam a funcionar. As lâminas neurais de água são lubrificadas e o passeio leva você suavemente pelas próximas etapas, seu cérebro já tendo cedido ao script. O sistema nervoso agora está inundado por dopamina e, como é a enésima vez, os receptores de dopamina se fecham e o monstrinho usa essa leve queda de prazer em comparação com a última vez para levá-lo mais além da linha vermelha para pornografia ou comportamento mais chocante para liberar mais dopamina. Mais novidades, mais dopamina e o monstrinho manda você continuar. Tantas fotos e vídeos em uma única sessão acionam um estímulo supranormal, injetando mais produtos químicos no cérebro e levando você a continuar.

O tempo todo, seus receptores estão recebendo informações para desligar em resposta à inundação. O orgasmo apenas aumenta esse efeito e leva à retirada. Você está em negação, já que o monstrinho anseia por sua correção sem dor ou desconforto real. A ameaça de ter disfunção erétil aterroriza muitos, e é por isso que eles a bloqueiam de sua mente e a obscurecem com o medo de parar. Não é que o medo seja maior, mas desistir hoje é imediato. Por que olhar para o lado negativo? Talvez não aconteça, já que já deve ter desistido de qualquer maneira.

Temos a tendência de pensar na pornografia como um cabo de guerra, de um lado está o medo: “É prejudicial à saúde, sujo e escravizador.” Por outro lado, os pontos positivos: “É um prazer, meu amigo, minha muleta.” Parece que nunca nos ocorre que este lado também é medo; não é que gostemos de pornografia, é que tendemos a ser infelizes sem ela. Os viciados em heroína privados de heroína passam por miséria, mas imagine a alegria absoluta quando eles finalmente podem enfiar uma agulha em suas veias e acabar com aquele desejo terrível. Tente imaginar como alguém pode realmente acreditar que tem prazer em colocar uma seringa hipodérmica em uma veia. Os não viciados em heroína não sofrem esse sentimento de pânico e a heroína não alivia o sentimento, ela o causa.

Os não usuários não se sentem infelizes se não têm permissão para usar pornografia - são apenas os usuários que sofrem esse sentimento. A pornografia na Internet não alivia a sensação, ela a causa. O medo das consequências negativas não ajuda os usuários a desistir, comparando a sensação a caminhar em um campo minado. Se você escapar impune, ótimo, mas se você não teve sorte, pisou em uma mina e enfrentou as consequências. Se você conhecesse os riscos e estivesse preparado para enfrentá-los, o que isso teria a ver com qualquer outra pessoa? Os viciados nesse estado normalmente desenvolvem as seguintes táticas evasivas.

“Você acabará envelhecendo e perdendo suas proezas sexuais de qualquer maneira …”

Claro que sim, mas proezas sexuais não são o ponto - estamos falando de escravidão aqui. Mesmo se for esse o caso, essa é uma razão lógica para se cortar deliberadamente? "

“Qualidade de vida é mais importante do que apenas viver.”

Precisamente! Você está sugerindo que a qualidade de vida de um viciado é maior do que a de alguém que não é viciado? Você realmente acredita que a qualidade de vida de um usuário é melhor do que a de um não usuário? Uma vida passada cobrindo a cabeça na areia e sendo infeliz não parece ser agradável.

“Sou solteiro e não pretendo me estabelecer no futuro, então por que não?”

Mesmo se isso fosse verdade, essa é uma razão lógica para brincar com os mecanismos de controle do impulso neurológico? Você pode conceber alguém sendo estúpido o suficiente para ficar nu sempre que estiver sozinho, independentemente de ter certeza de que não está esperando ninguém? Isso é o que os usuários de pornografia fazem efetivamente!

O aumento progressivo de nossos circuitos de recompensa com estimulação excessiva e torná-los incapazes de lidar com as tensões normais da vida não ajuda a aproveitar a vida com entusiasmo e vigor. A pornografia e a masturbação substituíram o apetite sexual natural, como uma barra de chocolate substitui a comida de verdade. Não é novidade que muitos médicos e psicólogos estão agora relacionando vários problemas de saúde mental com causas fisiológicas. A comunidade médica dominante tem trabalhado que a pornografia nunca foi cientificamente provada como a causa direta dos problemas relatados por indivíduos que se confessam, mas admitir a incapacidade sexual em público é um evento desencadeador de vergonha, por que alguém faria isso a menos que fosse realmente preocupado - tendo encontrado a causa e eliminado de suas próprias vidas?

EasyPeasy irá ajudá-lo a se livrar da pornografia e se tornar um ex-usuário feliz. Nada de pornografia, masturbação auxiliada pela pornografia ou orgasmos desnecessários. A única ajuda será o toque, o cheiro e o cheiro do seu parceiro. Como o pão integral após um apetite bem desenvolvido, você não vai mais querer o xarope de milho rico em frutose da pornografia na internet. Provas tão avassaladoras, que não precisam de provas; quando bato no polegar com um martelo, dói, não precisa ser provado. O estresse da pornografia na Internet tem efeitos sobre outros aspectos da vida dos usuários, predispondo muitos a recorrer a drogas como cigarros e álcool para lidar com a situação, em alguns casos até mesmo levando o anfitrião a considerar o suicídio.

Os usuários também têm a ilusão de que os efeitos nocivos da pornografia são exagerados. O inverso é o caso, não há dúvida de que a pornografia na Internet é a principal causa da disfunção sexual e de muitos outros problemas. Quantos divórcios foram causados ​​pela pornografia? Não há maneiras confiáveis ​​de saber, mas pesquisas de comunidades online sugerem que o número está crescendo exponencialmente.

Há um episódio de Friends em que os caras, que estavam recebendo pornografia gratuita contínua na TV, começaram a se perguntar por que a entregadora de pizza não pediu para dar uma olhada em seu ‘quarto grande’. Quando você é viciado, invariavelmente projeta fantasias pornôs em mulheres reais. Imagine o que uma exposição descuidada ou até acidental de pornografia nos lados mais sombrios da internet pode fazer a alguém que já está em um ponto crítico em sua vida. Lutar contra esses pensamentos induzidos pela pornografia será um grande dreno em sua saúde mental.

Aqui está outro experimento mental, digamos que alguém venha até você e diga que não quer necessariamente um orgasmo, mas quer muito fazer amor, mesmo com penetração. Eles querem fazer isso por quanto tempo e tanto quanto você puder sem um orgasmo - mas se acontecer, então está tudo bem. Garanto-lhe uma nova experiência sexual fenomenal, muito melhor do que qualquer outra, se você receber essa oferta. Tente. ( Aqui o autor fala sobre sexo Tântrico )

Os efeitos da lavagem cerebral nos fazem ter a tendência de pensar como o homem que, tendo caído de um prédio de 100 andares, é citado dizendo enquanto passa zunindo pelo quinquagésimo andar: “Até agora, tudo bem!” Achamos que, como já nos safamos até agora, mais uma sessão de pornografia não fará a diferença. Veja de outra forma, o ‘hábito’ é uma cadeia contínua para a vida com cada sessão criando a necessidade da próxima. Quando você inicia o hábito, você acende um fusível. O problema é que você não sabe quanto tempo o fusível tem. Cada vez que você cede a uma sessão de pornografia, você está um passo mais perto da explosão da bomba. COMO VOCÊ SABERÁ SE É O PRÓXIMO?

9.1: Sombras Negras Sinistras


Os usuários acham muito difícil acreditar que a pornografia na Internet realmente causa esses sentimentos de insegurança quando você sai tarde da noite após um dia contencioso em casa ou no trabalho. Os não usuários não sofrem com esse sentimento, é a pornografia que o causa.

Outra das grandes alegrias de parar de ver pornografia é a liberdade das sombras negras sinistras no fundo de nossas mentes. Todos os usuários sabem que são tolos por fecharem suas mentes dos efeitos nocivos da pornografia. Na maior parte de nossas vidas é automático, mas as sombras negras estão sempre à espreita em nossas mentes subconscientes, logo abaixo da superfície. Vários dos benefícios maravilhosos de parar de fumar são conscientes, como a perda de tempo e a estupidez de fazer amor com uma imagem bidimensional.

Os últimos capítulos trataram das vantagens consideráveis de não ser um usuário, mas, no interesse da justiça, é necessário fornecer uma conta equilibrada. Portanto, a próximo capítulo lista as vantagens de ser um usuário.

5 Likes

Capítulo 10: Vantagens de ser um usuário pornô

ㅤㅤ






ㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤimage













5 Likes

Capítulo 11: O Método da Força de Vontade

É um fato aceito pela sociedade que é muito difícil abandonar a pornografia. Livros e fóruns que aconselham você sobre como parar geralmente começam dizendo como é difícil. A verdade é que é ridiculamente fácil. É compreensível questionar essa afirmação, mas primeiro apenas considere-a. Se seu objetivo é correr uma milha em quatro minutos, isso é difícil e você terá que se submeter a anos de treinamento pesado e, ainda assim ser possivelmente incapaz fisicamente.

Porém, tudo que você precisa fazer para abandonar o pornô é não assistir e/ou não se masturbar mais. Ninguém te força a se masturbar (além de você mesmo) e ao contrário de comida ou água, não é necessário para a sobrevivência. Então, se você quiser parar de fazer isso, por que deveria ser difícil? De fato, não é. São os usuários que dificultam as coisas para si mesmos usando a força de vontade ou qualquer método que force o usuário a sentir que está fazendo algum tipo de sacrifício. Vamos considerar esses métodos.

Não decidimos nos tornar usuários, apenas experimentamos revistas ou sites pornôs e, por serem horríveis (isso mesmo, horríveis), além de algum vídeo ou outro que chame a sua atenção, estamos convencidos de que podemos parar quando quisermos. No início, assistimos alguns vídeos apenas quando queremos ou em certas ocasiões. Antes de percebermos, não estamos apenas visitando esses sites regularmente e nos masturbando quando queremos - estamos nos masturbando com eles diariamente. A pornografia se tornou parte de nossas vidas, garantindo que precisemos de uma conexão com a Internet onde quer que vamos. Então, acreditamos que temos direito ao amor, sexo, orgasmo e às propriedades de alívio do estresse da pornografia. Não notamos que os mesmos vídeos e atores não nos fornecem o mesmo grau de excitação e começamos a lutar contra a linha vermelha para evitar ‘pornografia ruim’. Na verdade, a masturbação e a pornografia na Internet não melhoram nossas vidas sexuais nem reduzem o estresse, é apenas que os usuários acreditam que não podem aproveitar a vida ou lidar com estresse sem um orgasmo.

Normalmente, leva muito tempo para perceber que estamos viciados porque sofremos com a ilusão de que usuários assistem pornografia porque gostam - e não porque precisam. Quando não estamos ‘curtindo’ a pornografia, o que nunca podemos fazer a menos que “novidade” ou “choque” seja adicionado, temos a ilusão de que podemos parar quando quiser. Esta é uma armadilha de confiança, “Eu não gosto de pornografia, então posso parar quando quiser”. Só que você nunca parece “querer” parar.

Normalmente não, até que realmente tentamos parar e percebemos que existe um problema, as primeiras tentativas são geralmente bem cedo, desencadeadas por encontrar uma parceira(o) e perceber que ela não é “o suficiente” para te excitar após os encontros iniciais. Outro motivo comum é perceber os efeitos à saúde presentes na vida diária.

Independentemente do motivo, o usuário sempre aguarda uma situação estressante, seja de saúde ou sexo. Assim que eles param, o monstrinho começa a ficar com fome. O usuário então quer algo para bombear sua dopamina, como cigarros, álcool ou seu favorito - pornografia na Internet - com seu harém a apenas um clique de distância. O baú do pornô não está mais no porão, é virtual e acessível de qualquer lugar. Se a namorada está por perto ou estão com amigos, eles não têm mais acesso ao harém virtual, o que os deixa ainda mais angustiados.

Se o usuário se deparar com material científico ou comunidades online, ele terá um cabo de guerra em sua mente, resistindo às tentações e se sentindo privado. Sua maneira comum de aliviar o estresse não está mais disponível agora, sofrendo um golpe triplo. O resultado provável após este período de tortura é o seguinte compromisso: “Vou ir reduzindo o consumo” ou “Escolhi a hora errada” ou talvez, “Vou esperar até que as preocupações passem da minha vida.” No entanto, uma vez que o estresse passa, não há razão para parar e o usuário não decide parar novamente até o próximo momento estressante.

Claro, nunca há um momento certo porque para a maioria das pessoas a vida se torna mais estressante. Saímos da proteção dos nossos pais, entramos no mundo do aluguel, boletos, filhos e conseguir um trabalho melhor. Independentemente disso - a vida do usuário não pode se tornar menos estressante porque a pornografia na verdade também causa estresse. Quanto mais rápido o usuário passa para o estágio de escalonamento dos tipos da pornografia, mais angustiado ele se torna e maior a dependência da ilusão.

Na verdade, a vida se tornar mais estressante por si só também é uma ilusão e a pornografia (ou uma muleta semelhante) cria essa ilusão. Isso será discutido em maiores detalhes mais tarde, mas após essas falhas iniciais em parar, o usuário geralmente conta com a possibilidade de que um dia ele irá acordar e simplesmente não vai querer mais se masturbar ou usar pornografia, etc. Essa esperança geralmente é alimentada por histórias ouvidas de outros ex-usuários, “Eu não estava nem aí até que eu broxei um dia, então eu não quis mais ver pornô e parei de me masturbar.”

Não se iluda, investigue esses rumores e você descobrirá que eles nunca são tão simples quanto parecem. Normalmente o usuário já estava se preparando para parar e apenas utilizou o incidente como impulso. Na Maioria dos casos, pessoas que param “simplesmente assim”, sofreram algum choque; talvez uma descoberta por seu parceiro, um incidente de “se pegar” assistindo pornografia que não é de sua orientação sexual normal ou eles tiveram uma disfunção erétil e se assustam. “É que eu sou assim.” Pare de se enganar. Isso não vai acontecer a menos que você faça acontecer.

Vamos considerar em mais detalhes por que o método da força de vontade é tão difícil. Na maior parte de nossas vidas, adotamos a abordagem de cabeça na areia: “Eu vou parar amanhã”. Em momentos ímpares, algo desencadeia uma tentativa de parar. Pode ser preocupação com saúde, falta de virilidade ou um ataque de auto-análise e percebemos que não gostamos de fazer isso. Seja qual for o motivo, começamos a pesar os prós e os contras da pornografia. Você tem de entender uma coisa o sexo é dividido na parte tântrica (tato, cheiro, voz) e propagativa (orgasmo); esta é uma das principais chaves para abrir nossa mente, sem esta distinção importante, haverá confusão que leva ao fracasso. Na avaliação racional, descobrimos o que já sabíamos durante toda a nossa vida, a conclusão será mais de mil vezes “PARE DE ASSISTIR!”

Se você se sentar e dar pontos às vantagens de parar e compará-los com as vantagens de continuar com PMO, parar superaria ABSOLUTAMENTE qualquer suposta "desvantagem”. Se você empregar a definição de Pascal Wagner, “ao desistir não perderá quase nada, com grandes chances de ganhos e chances maiores ainda de não perder. Embora o usuário saiba que ficará melhor como um não-usuário, a crença de que está fazendo um sacrifício o confunde. Embora seja uma ilusão, é uma ilusão poderosa. Eles não sabem por quê, mas os usuários acreditam que, durante os momentos bons e ruins da vida, as sessões parecem ajudar. Mesmo antes de iniciar sua tentativa, a lavagem cerebral da sociedade + lavagem cerebral de seu próprio vício é combinada com a lavagem cerebral ainda mais poderosa de como é difícil “desistir”.

Ouvimos histórias de pessoas que pararam por muitos meses e mas ainda tem desejos de recaída e relatos de desistentes insatisfeitos, que pararam e passaram o resto de suas vidas lamentando o fato de que adorariam ter uma sessão. Contos de usuários que param por muitos meses ou anos, vivem vidas felizes mas de repente dão uma ‘olhadinha’ e de repente são fisgados novamente. Eles provavelmente conhecem vários nos estágios avançados da doença, visivelmente se destruindo e claramente não aproveitando a vida - mas continuam usando. Além disso, os próprios ouvintes sofreram uma ou mais dessas experiências.

Então, em vez de começar com o sentimento, “Incrível! Tá sabendo as novidades? Eu não preciso mais assistir pornografia!”, Eles começam com sentimentos de desgraça e tristeza - como se estivessem tentando escalar o Everest - e eles falsamente determinam que uma vez que o monstrinho colocou as garras em você, será marcado pelo resto da vida. Muitos usuários começam a tentativa se desculpando com suas namoradas ou esposas: “Olha, estou tentando parar de ver pornografia. Provavelmente ficarei irritado nas próximas semanas, tente ser paciente comigo." A maioria das tentativas está condenada antes de começar.

Suponha que o usuário sobreviva alguns dias sem recair, ele está recuperando a excitação e começando a se recuperar. Eles não abriram seus sites favoritos e, consequentemente, estão ficando excitados com estímulos normais que antes estavam apagados. Essas razões pelas quais os fizeram parar estão desaparecendo e assim também desaparecem de seus pensamentos. E tipo ver um acidente de trânsito grave enquanto dirige. Você reduz um pouco, mas pisa fundo no acelerador quando percebe que acabou se atrasando para um compromisso.

No outro lado da guerra tem monstrinho que ainda não conseguiu sua dose. Mas não tem nenhum tipo de dor, se você tivesse as mesmas sensações de abstinência por causa de um resfriado, você não iria parar de trabalhar ou ficar deprimido, você riria disso. Tudo o que o usuário sabe é que deseja visitar seu harém. O monstrinho sabe disso, e cutuca o grande monstro de lavagem cerebral, fazendo com que a mesma pessoa que estava algumas horas ou dias antes listando todos os motivos de parar agora procura desesperadamente por qualquer desculpa para começar de novo. Eles começam a dizer coisas como:

“A vida é muito curta, um raio poderia cair do céu, posso ser atropelado amanhã. Demorei muito tempo pra parar. Também dizem que tudo hoje em dia é um vício mesmo…”

• “Escolhi a hora errada.”

• “Quando der o Natal, 00:00hrs eu começo minha streak afinal eu já dei uma fantasiada hoje, tenho de começar de novo.”

• “Não consigo me concentrar, estou ficando irritado e mal-humorado, nem consigo fazer meu trabalho direito.”

• “Minha família e amigos não vão me amar. Mas tudo bem, tenho de fazer de novo. Infelizmente sou um viciado."

• “Ninguém pode viver sem isso não (orgasmo).” (Lavagem cerebral por pessoas bem intencionadas que não consideram a distinção entre as partes tântrica e propagativa do sexo).

• “Eu sabia que isso aconteceria, meu cérebro está ‘sensibilizado’ pelo DeltaFosB devido aos picos de dopamina por o meu uso excessivo de pornografia no passado. Não consigo mais mudar serei assim pelo resto da vida.”

Nesse estágio, o usuário costuma desistir. Abrindo o navegador, a esquizofrenia aumenta. Por um lado, há o enorme alívio de acabar com o desejo quando o monstrinho finalmente consegue sua dose; por outro lado, o orgasmo é horrível e o usuário não consegue entender por que diabos está fazendo isso. É por isso que o usuário pensa que falta força de vontade. Na verdade, não é falta de força de vontade, tudo o que eles fizeram foi mudar de ideia e tomar uma decisão perfeitamente racional à luz de seus pensamentos anteriores.

“Qual é o ponto de ser saudável ou rico se você está se sentindo miserável?”

Absolutamente nenhum! Muito melhor ter uma vida agradável e curta do que uma vida longa e miserável. Felizmente, quem não usa não precisa se perguntar isso, pois a vida é muito agradável para quem não sofre de crises de abstinência. De qualquer forma, a miséria que o usuário está sofrendo não é devido aos sintomas de abstinência em si (os sintomas reais são fracos e quase imperceptíveis) - a verdadeira agonia é o cabo de guerra na mente causado pela dúvida e incerteza. Como o usuário começa sentindo que está fazendo um sacrifício, ele começa a se sentir privado, o que é uma forma de estresse.

Um desses momentos estressantes é quando o cérebro lhes diz para ‘dar uma olhadinha e depois parar’; querendo voltar assim que pararem. Mas porque eles olharam, eles não conseguem mais deixar de olhar e parar e isso os deixa ainda mais deprimidos e dispara o gatilho novamente. Outro fator que torna tão difícil parar é esperar que algo aconteça. Se o seu objetivo é tirar carteira de motorista, assim que você passar no teste, terá a certeza de que atingiu seu objetivo. Sob o método da força de vontade, a narrativa interna é - “Se eu conseguir ficar tempo o suficiente sem pornografia na Internet, a vontade de assistir acabará”. Você pode ver isso na prática em fóruns online onde os viciados falam sobre suas sequências ou dias de abstinência.

Como dito acima, a agonia que o usuário sofre é mental e é causada pela incerteza. Embora não haja dor física, ainda tem efeitos poderosos. Agora miserável e inseguro, o usuário está longe de esquecer, agora cheio de dúvidas e medos.

• “Quanto tempo vai durar o desejo?”

• “Serei feliz novamente?”

• “Será que algum dia vou querer levantar de manhã?”

• “Como vou lidar com as dificuldades no futuro?”

O usuário está esperando que as coisas melhorem, mas enquanto ele ficar lamentando, consequentemente o ‘harém’ se tornará cada vez mais precioso. Na verdade, algo está acontecendo, mas inconscientemente, se eles conseguirem sobreviver semanas sem abrir o navegador, o desejo pelo monstrinho desaparece. No entanto, como afirmado anteriormente, as dores da abstinência da dopamina e dos opioides são tão leves que o usuário nem percebe. Neste momento, muitos usuários sentem que se “libertaram” e então dão uma olhada para provar isso, mandando-os de volta para o tobogã de dopamina. Tendo fornecido dopamina ao corpo, agora há uma vozinha no fundo de sua mente dizendo “Você quer outra vez.” Na verdade, eles libertaram, mas se fisgaram outra vez.

Quando criança, você assistia a desenhos animados e, de acordo com a neurociência, formou vias neurais (DeltaFosB) para eles. Se você quisesse desencorajar uma criança de assistir, você estudaria se esses caminhos ainda existiam e questionaria os adultos sobre por que eles não gostam mais de assistir seus desenhos favoritos da infância. Por um lado, há entretenimento melhor disponível e por outro, os desenhos animados simplesmente perderam a magia de antes. Com o método da força de vontade, você está apenas negando o desenho animado à criança, mas com o EasyPeasy você também está garantindo que ela não veja nenhum valor nele. Qual é melhor?

O usuário normalmente não entra em outra sessão imediatamente, pensando “Não quero ser fisgado de novo!” e permite que um período seguro de horas, dias ou mesmo semanas passe. Então ele pode dizer: “Bem, eu não fui fisgado, então posso fazer de novo com segurança.” Eles caíram na mesma armadilha de quando começaram e já estão escorregando ladeira a baixo.

Os usuários que conseguiram usar o método da força de vontade tendem a considerá-lo longo e difícil porque o problema principal é a lavagem cerebral. Muito depois de o vício físico ter morrido, o usuário ainda está deprimido e miserável. Eventualmente, depois de sobreviver a essa tortura de longo prazo, começam a perceber que se lamentar não vai mudar nada e aceitam que a vida continua e é agradável sem pornografia. Há muito mais fracassos do que sucessos, alguns que tiveram sucesso passam suas vidas em estados vulneráveis, deixados com uma certa lavagem cerebral, dizendo-lhes que a pornografia realmente tem algo de bom. Isso explica por que muitos usuários que pararam por longos períodos acabam voltando mais tarde.

Muitos ex-usuários terão as sessões ocasionais como uma ‘folga’ ou para se convencerem de quão forte é seu autocontrole. Ele faz exatamente isso - mas assim que a sessão termina a dopamina começa a cair e uma vozinha no fundo de sua mente começa a conduzi-los em direção fazer de novo. Se eles decidirem fazer, ainda parecerá estar tudo sob controle, sem vídeos chocantes, sem muitas guias abertas ou busca de novidades, então eles dizem - “Maravilhoso! Enquanto eu não estiver gostando muito, não vou ficar viciado. Depois do Natal / deste feriado / deste trauma, vou parar.” Mal sabem eles que os canos de altas cargas de dopamina nos seus cérebros foram bem lubrificadas novamente.

Tarde demais, eles já estão pegos! A armadilha da qual eles conseguiram se livrar os fez de vítima novamente.

Como disse anteriormente, ninguém ‘gosta’ de praticar PMO. Nunca gostou! Se praticássemos porque gostamos, ninguém ficaria nos sites pornôs apenas durante o tempo que estamos praticando o ato! Uma vez terminado, fechamos tudo e vamos embora. Assumimos que gostamos porque não podemos admitir que seríamos estúpidos o suficiente para se viciar em algo se não gostássemos. A maioria dos usuários não tem ideia sobre estímulos supernormais, busca de novidade de choque e mesmo depois de ler sobre isso, a maioria não acredita que seu uso seja motivado pelo circuito de recompensa configurado por milhares de anos de evolução. É por isso que muito da pornografia é subconsciente, se você estivesse ciente das mudanças neurológicas e tivesse que justificar continuar usando, sabendo que custaria dinheiro a você no futuro, até mesmo a ilusão de uso “porque gosto” iria embora.

Quando tentamos bloquear nossas mentes para a parte negativa, nos sentimos estúpidos. Se tivéssemos que enfrentar isso, isso seria intolerável! Se você observar um usuário ‘fazendo’, verá que ele fica feliz apenas quando não sabe que está ‘fazendo’. Uma vez conscientes, eles tendem a se sentir desconfortáveis e autocriticos. A pornografia alimenta o monstrinho, então ao purgá-lo do seu corpo junto com a lavagem cerebral (monstro grande), você não terá necessidade ou desejo de assistir!

5 Likes

Capítulo 12: Cuidado ao tentar Reduzir

Muitos usuários recorrem à redução do consumo como uma ajuda, ou uma tentativa de controlar o pequeno monstro. Muitos recomendam ir diminuindo o consumo ou uma ‘dieta pornográfica’ como um estimulo. Usar a redução como um trampolim para parar é fatal. São essas tentativas de reduzir que nos mantêm presos pelo resto de nossas vidas. Geralmente, a redução segue de tentativas fracassadas de parar. Após algumas horas ou dias de abstinência, o usuário diz algo como:

“Não consigo enfrentar a ideia de dormir sem visitar meu harém online, então, de agora em diante, usarei pornografia uma vez a cada quatro dias ou eliminarei minha coleção de 'pornografia pesada’. Se eu puder seguir essa dieta de pornô, posso mantê-la lá ou reduzir ainda mais.”

Certas coisas terríveis acontecem agora:

  1. Eles estão presos ao pior de todos os mundos, ainda viciados em pornografia na internet e mantendo o monstro vivo não apenas em seu corpo, mas em suas mentes.

  2. Passando suas vida à espera da próxima sessão.

  3. Antes de tentarem reduzir, sempre que queriam visitar seu harém, eles abriam seu navegador e, pelo menos parcialmente, aliviariam suas dores de abstinência. Agora, além do estresse normal da vida, eles estão causando a si mesmos muito estresse e dores de abstinência pela maior parte de suas vidas, o que os torna ainda mais miseráveis e mal-humorados.

  4. Embora fossem indulgentes, eles nem gostaram da maioria das sessões nem perceberam que estavam usando super estímulos. automaticamente, a única visita ao harém que eles gostaram foi justamente depois de um período de abstinência. Agora que esperam um tempo a mais para cada visita ao harém, eles ‘aproveitam’ cada uma. Quanto mais eles esperam, ‘melhor’ ainda cada sessão parece se tornar, porque o “prazer” de uma sessão não é a sessão em si - é o fim da agitação causada pelo desejo - seja um leve desejo físico ou mental. Quanto mais longo o sofrimento, mais ‘agradável’ cada sessão se torna.

A principal dificuldade em parar não é o vício neurológico, que na verdade é fácil. Os usuários vão parar sem dificuldade em várias ocasiões - a morte de um ente querido, família ou negócios, etc. Eles ficam, digamos, dez dias sem acesso e isso não os incomoda. Mas se eles ficassem sem usar durante os mesmos dez dias em que poderiam ter acesso a pornografia, eles estariam arrancando os cabelos.

Muitos usuários terão chances de praticar PMO durante o dia e se absterão, eles passarão por lojas de roupas íntimas, piscinas e assim por diante sem inconvenientes indevidos. Muitos se absterão se tiverem de dormir temporariamente no sofá para dar lugar a um visitante, ou se eles próprios estiverem visitando. Mesmo em bares Go-Go ou praias de nudismo, não haverá problemas. Os usuários ficam quase felizes quando sabem que não poderão usar pornografia por algum motivo. Na verdade, os usuários que desejam parar têm um prazer secreto em passar longos períodos sem visitas ao harém, o que lhes dá esperança de que talvez um dia nunca mais quererão.

O verdadeiro problema ao parar é a lavagem cerebral, uma ilusão de que a pornografia na Internet é algum tipo de benefício ou recompensa e a vida nunca mais será a mesma sem ela. Longe de te ajudar a abandonar da pornografia, todas as conquistas na redução do consumo estão te deixando inseguro e miserável, a cada dia te convencendo de que a coisa mais preciosa na terra é o novo vídeo que você perdeu, que não há como você ser feliz de novo sem vê-lo.

Não há nada mais patético do que o usuário que está tentando reduzir. Sofrendo da ilusão de que quanto menos pornografia assistem, menos desejarão visitar haréns online. O inverso é verdadeiro, quanto menos eles assistem pornografia, mais eles sofrem sintomas de abstinência e mais eles “gostam” do alívio ao se aliviar. No entanto, eles perceberão que sua categoria favorita não está mais sendo boa quanto antes. Mas isso não irá impedi-los. Perceba que se os sites pornôs fossem dedicados a apenas uma pornstar ou categoria de pornô, nenhum usuário continuaria visitando.

Difícil de acreditar? Qual é o pior momento de autocontrole que alguém sente? Resistir por quatro dias, para no fim acabar cedendo ceder. Então, qual é o momento mais precioso para a maioria dos usuários em uma dieta pornográfica de quatro dias? Isso mesmo, o clímax depois de esperar quatro dias! Você realmente acredita que está se masturbando para desfrutar do orgasmo ou acredita na explicação mais racional de que você precisa disso para aliviar os sintomas de abstinência, sob a ilusão de que tem direito?

Remover a lavagem cerebral é essencial para destruir essas ilusões sobre pornografia antes de você extinguir a sessão final. A menos que você remova a ilusão de que gosta disso antes de fechar as abas nos sites, não há como provar que você não será fisgado novamente. Ao passar o mouse sobre os favoritos e as imagens salvas, pergunte-se onde está a glória nessa ação. Talvez você acredite que apenas alguns vídeos são realmente bons, como aqueles sobre temas habituais ou favoritos. Se sim, então por que se preocupar em assistir a outros vídeos ou categorias? Porque você adquiriu o hábito? Por que alguém “habitualmente” bagunçaria seu cérebro e se desperdiçaria? Nada é diferente depois de um mês, por que um clipe pornô deveria ser diferente?

Você pode testar você mesmo, encontre aquele vídeo que você gostou mês passado. Em seguida, defina um lembrete e assista ao mesmo vídeo depois de um mês sem pornografia. Ele atingirá (quase) os mesmos pontos do mês passado. O mesmo clipe será diferente após um evento social em que você foi rejeitado ou testado por um parceiro em potencial. A razão é que o viciado nunca pode ser totalmente feliz se o monstrinho permanecer insatisfeito.

De onde vem a satisfação? Não é satisfação, simplesmente eles ficam miseráveis quando não conseguem aliviar os sintomas de abstinência. É por isso que a pornografia na Internet parece ser boa. Os usuários que a primeira coisa que fazem ao acordar é acessar seus sites para ver pornografia inevitavelmente ficarão infelizes, assistindo ou não.

Reduzir não só não funciona, mas é a pior forma de tortura. Não funciona porque inicialmente o usuário espera que, diminuindo a frequência do ‘hábito’ cada vez mais, reduz o desejo de assistir pornografia. Não é um hábito, é um vício. A natureza de qualquer vício é querer mais e mais, não menos e menos. Portanto, para reduzir, o usuário deve exercer força de vontade e disciplina pelo resto de suas vidas. Portanto, reduzir significa força de vontade e disciplina para sempre. Simplesmente parar é muito mais fácil e menos doloroso, existem literalmente dezenas de milhares de casos em que reduzir o consumo falhou.

O problema de parar não é o vício em dopamina, que é fácil de lidar. É a crença equivocada de que a pornografia dá prazer, provocada inicialmente pela lavagem cerebral recebida antes de começarmos a usar, e depois reforçada ainda mais pelo vício real. Tudo o que reduzir o consumo faz é reforçar ainda mais a falácia, na medida em que a pornografia domina completamente suas vidas e os convence de que a coisa mais preciosa do mundo é o seu vício.

O punhado de casos que tiveram sucesso foram alcançados por um período relativamente curto redução, seguido por uma experiência ruim. Esses usuários pararam APESAR de reduzir, e não por causa disso. Tudo o que fizeram foi prolongar a agonia, tentativas fracassadas de parar ou reduzir, deixando os usuários em colapso nervoso e ainda mais convencidos de que estão fisgados para o resto da vida. Isso geralmente é o suficiente para mantê-los voltando ao harém online por prazer ou apoio, ou outro adiamento antes da próxima tentativa.

No entanto, reduzir o consumo ajuda a ilustrar a futilidade da pornografia, ilustrando claramente que as visitas ao harém não são boas após períodos de abstinência. Você começa a bater sua cabeça contra uma parede (sofre sintomas de abstinência autoimposta) e depois acha prazerosa a sensação quando para de batê-la (se alivia). Portanto, as opções são:

  1. Ir reduzindo pelo o resto da vida enquanto sofre de autotortura, o que você não será capaz de conseguir de qualquer jeito.

  2. Aumentar sua autotortura pelo resto da vida, o que é inútil.

  3. Ser legal consigo mesmo e eliminar totalmente a pornografia.

O outro aspecto que redução de consumo demonstra é que não existe isso de visitar só de vez em quando o harém. A pornografia na Internet é uma reação em cadeia que durará o resto da vida, a menos que você faça um esforço positivo para quebrá-la.

Lembre-se: Reduzir o consumo vai te arruinar.

5 Likes

Capítulo 13: Apenas uma olhada

“Apenas uma espiada” é um mito que você deve remover de sua mente:

  • É apenas uma espiada que nos ajuda a começar.

  • É apenas uma espiada para nos ajudar a superar uma fase difícil ou em uma ocasião especial que derrota a maioria de nossas tentativas de parar.

  • É apenas uma espiada que, depois de ter conseguido quebrar o vício, nos manda de volta para a armadilha. Às vezes, é apenas para confirmar que não precisam mais de pornografia e uma visita ao harém faz exatamente isso.

Os efeitos posteriores da pornografia serão horríveis e convencem o usuário de que nunca mais ficarão fisgados - mas já estão. O usuário sente que algo que os torna tão miseráveis e culpados não deveria ter feito com que eles fizessem isso, mas eles fizeram.

É a ideia de “uma sessão especial” que muitas vezes impede os usuários de parar, aquela após sua longa viagem de conferência, dia difícil no trabalho, briga com as crianças ou incidente em que seu parceiro o rejeitou no sexo. Seja firme lembre-se de que não existe “apenas uma espiada”. É uma reação em cadeia que vai durar o resto de sua vida, a menos que seja quebrada. O mito sobre a ocasião especial ímpar mantém os usuários deprimidos depois de parar. Adquira o hábito de nunca ver a sessão ‘não é grande coisa’, é fantasia. Sempre que você pensar em pornografia, veja uma vida suja de passar eras atrás de uma tela pelo privilégio de se destruir mental e fisicamente, uma vida inteira de escravidão e desesperança. Não é um crime se suas ereções não são confiáveis, mas é quando você poderia ser mais feliz a longo prazo, mas, em vez disso, opta por sacrificar isso por ‘prazer’ de curto prazo.

Está tudo bem, nem sempre podemos pensar em ‘algo para fazer’ para o vazio; fazer isso não é realisticamente possível em todas as instâncias de nossas vidas inteiras. Podemos planejar para a maioria deles, mas às vezes simplesmente acontece. Momentos bons e ruins também acontecem, independentemente da pornografia. Mas coloque isso claramente em sua mente, o pornô, não é. Você está preso a uma vida inteira de miséria ou a nenhuma, você nem sonharia em tomar cianeto só porque gosta do sabor de amêndoas, então pare de se punir com uma sessão ocasional “sem problemas”. Pergunte a um usuário com problemas: “Se você tivesse a oportunidade de voltar ao tempo antes de ficar viciado, você teria se tornado um usuário?” A resposta é inevitavelmente: “Você só pode estar brincando!” No entanto, cada usuário tem essa escolha todos os dias de suas vidas, por que eles não optam por ela? A resposta é medo. O medo de que eles não possam parar ou de que a vida não seja a mesma sem ele.

Pare de se enganar! Você pode fazer isso, qualquer um pode. É ridiculamente fácil, mas para que isso aconteça, existem certos fundamentos que você deve ter em mente.

  1. Não há nada para desistir, apenas ganhos positivos e maravilhosos para alcançar.

  2. Nunca se convença da estranha sessão de “nada demais” ou “apenas uma espiada”. Isso não existe. Existe apenas uma vida inteira de sujeira e escravidão.

  3. Não há nada diferente em você, qualquer usuário pode achar fácil parar.

Muitos usuários acreditam que são viciados ou têm personalidades viciadas. Isso geralmente acontece como resultado da leitura de quantidades excessivas de neurociência chocante. Não existe tal coisa, ninguém nasce com a necessidade de se masturbar assistindo a clipes de vídeo antes de ficar viciado. É a droga que te fisga, não a natureza do seu personagem ou personalidade. A natureza do estímulo sobrenatural viciante faz você acreditar que esse é o caso. No entanto, é essencial remover essa crença porque se você acredita que é viciado, ficará, mesmo depois de o monstrinho em seu corpo estar morto há muito tempo. É essencial remover toda essa lavagem cerebral.

4 Likes

Capítulo: 14 Usuários Casuais


Usuários pesados tendem a invejar o usuário de pornografia casual, todos nós conhecemos estes personagens: “Oh, eu posso passar a semana toda sem uma sessão, isso realmente não me incomoda”. Gostaríamos de ser assim. Pode ser difícil de acreditar, mas nenhum usuário gosta de ser um usuário. Nunca se esqueça:

Nenhum usuário jamais decidiu se tornar um, casual ou não, portanto,
ㅤㅤ Todos os usuários se sentem estúpidos, portanto,
ㅤㅤㅤ Todos os usuários têm que mentir para si mesmos e para os outros em uma tentativa vã de justificar sua estupidez.
Os fanáticos por golfe se gabam da frequência com que jogam e querem jogar, então por que os usuários se gabam do pouco que se masturbam? Se esse for o verdadeiro critério, então certamente o prêmio não é se masturbar, não é?

Se alguém lhe dissesse: “Posso passar a semana toda sem cenouras e isso não me incomoda nem um pouco”, você pensaria que estava falando com um maluco. Se eu gostasse de cenouras, por que iria querer passar a semana inteira sem elas? Se eu não gostasse delas, por que faria tal declaração? Então, quando um usuário faz um comentário sobre como sobreviver a uma semana sem uma sessão, ele está tentando se convencer - e a você - de que não tem problemas. Mas não haveria necessidade de fazer uma declaração se eles não tivessem um problema. Traduzido, este comentário é “Consegui sobreviver uma semana inteira sem pornografia”. Como todo usuário, esperando que depois disso eles possam sobreviver pelo resto de suas vidas. Conseguindo sobreviver apenas uma semana, você pode imaginar como cada sessão deve ter sido preciosa depois de ter se sentido privado por uma semana inteira?

É por isso que os usuários casuais são efetivamente mais fisgados do que os pesados, não apenas a ilusão de prazer é maior, mas eles têm menos incentivos para parar porque passam menos tempo e, portanto, são menos vulneráveis aos riscos à saúde. Ocasionalmente, eles podem experimentar disfunção sexual, mas não têm certeza do que a causou e, portanto, é atribuída a outros fatores. Lembre-se de que o único prazer que os usuários obtêm é no ciclo de busca e busca de dopamina e no alívio das dores de abstinência, como já foi explicado. O prazer é uma ilusão, imagine o monstrinho pornô como uma coceira quase imperceptível da qual passamos a maior parte do tempo inconscientes.

Se você tem uma coceira permanente, a tendência natural é coçar. À medida que os circuitos de recompensa tornam-se cada vez mais imunes à dopamina e opioides, a tendência natural é aumentar, aumentar, exagerar, buscar novidades, buscar choques, etc. Existem quatro fatores principais que impedem os usuários de visualizar em cadeia.

Tempo. A maioria não pode pagar.

Saúde. Para aliviar a coceira, temos que consumir todo o material gratuito que está disponível e mais um pouco. A capacidade de lidar com esse tipo de compulsão varia com cada indivíduo e em diferentes momentos e situações de suas vidas. Isso atua como uma restrição automática.

Disciplina. Imposto pela sociedade ou pelo trabalho do usuário, amigos e parentes; talvez até pelos próprios usuários, como resultado do cabo de guerra natural ocorrendo na mente de cada usuário.

Imaginação. A falta de imaginação minimiza o choque, a novidade e outros valores do clipe de maneira subjetiva.

É fácil pensar em usuários “não casuais” como fracos, incapazes de entender por que outros são capazes de limitar sua “ingestão”. No entanto, os usuários pesados devem ter em mente que a maioria dos usuários casuais são simplesmente incapazes de visualização em cadeia, exigindo muita imaginação e resistência. Alguns desses usuários uma vez por semana que os usuários pesados tendem a invejar são fisicamente incapazes de fazer mais, ou porque seu trabalho, sociedade ou ódio de se tornarem fisgados não os permitem.

Pode ser vantajoso fornecer algumas definições.

O não usuário


Alguém que nunca caiu reze para a armadilha não ser complacente. Eles não são usuários apenas por sorte ou graça de Deus. Todos os usuários estavam convencidos de que nunca seriam fisgados e alguns não usuários continuam tentando uma sessão ocasional.

O usuário casual


Das quais existem duas classificações básicas:

  1. O usuário que caiu na armadilha, mas não percebeu - não inveje esses usuários. Eles estão apenas provando o néctar na boca do jarro e, com toda a probabilidade, logo serão grandes usuários. Lembre-se, assim como todos os alcoólatras começaram como bebedores casuais, também todos os usuários começam casualmente.

  2. O usuário que anteriormente era um usuário pesado e, portanto, pensa que não pode parar. Esses usuários são os mais tristes de todos e se enquadram em várias categorias, cada uma exigindo comentários separados.

O usuário uma vez por dia


Se eles desfrutam de seu direito ao orgasmo, por que usar pornografia na Internet apenas uma vez por dia? Se eles podem pegar ou largar, por que se preocupar? Lembre-se, o ‘hábito’ é - na verdade - bater a cabeça contra a parede para relaxar ao parar. O usuário uma vez ao dia alivia suas dores de abstinência por menos de uma hora por dia. Embora inconscientes, o resto do dia é gasto batendo a cabeça contra a parede, fazendo isso pela maior parte de suas vidas. Eles estão usando uma vez por dia porque não podem correr o risco de serem pegos ou de prejudicar sua saúde neurológica. É fácil convencer o usuário pesado de que não gosta, mas significativamente mais difícil convencer um casual. Qualquer pessoa que já passou por uma tentativa de corte saberá que é a pior tortura de todas, e quase garantido que o manterá viciado pelo resto da vida.

O Usuário Rejeitado


Eles exigem o direito ao orgasmo todos os dias, mas seu parceiro sexual nem sempre fica feliz em atender ao pedido. Inicialmente, eles estão usando pornografia na internet para preencher esse vazio, mas ao pegar o emocionante ‘tobogã’ eles ficam presos em um ciclo de novidades, choque, imagens sobrenaturais, etc. pois fornece uma espécie de desculpa. Se a pornografia na internet dá tanto para você, por que se preocupar em ter um parceiro? Em vez disso, liberte-os. Eles nem estão gostando das sessões quando precisam “carregar” seu parceiro na mente. Em algum momento, eles estão procurando por seu parceiro na vida real para lhes dar uma desculpa para se aventurarem nos vales escuros da Internet.

O usuário de dieta pornográfica


Também conhecido como “Posso parar quando quiser. Já fiz isso milhares de vezes! ”

Se eles acham que fazer dieta ajuda a deixá-los com vontade de conseguir parceiros, por que estão fazendo dieta uma vez a cada quatro dias? Ninguém pode prever o futuro, o que aconteceria se o acaso da reunião ocorresse uma hora depois da sessão agendada? Além disso, se ocasionalmente ‘limpar o encanamento’ é bom para aliviar a tensão, por que não fazer o encanamento todos os dias? Está provado que a masturbação não é necessária para manter os órgãos genitais saudáveis e a pornografia na Internet não é necessária de forma alguma. Mesmo se for esse o caso, nenhum “guru” do PUA que tenha lido sobre os danos neurológicos jamais recomendará assistir a pornografia com superestímulo. A verdade é que eles ainda estão viciados. Embora eles tenham se livrado do vício físico, eles ainda têm o problema principal da lavagem cerebral. Eles estão esperando a cada vez que vão parar para sempre, mas logo caem na mesma armadilha novamente.

A maioria dos usuários realmente inveja essas rolhas e entradas e pensa sobre o quão ‘sortudo’ o dieter é capaz de controlar seu uso. No entanto, eles esquecem que quem está fazendo dieta não está controlando seu uso - quando estão usando, desejam não estar. Eles passam pelo aborrecimento de parar, então começam a se sentir privados e caem na armadilha novamente, desejando não ter feito isso. Eles obtêm o pior dos dois mundos. Se você pensar sobre isso, isso é verdade na vida dos usuários quando têm permissão para ter uma sessão - assumindo o direito ou desejando que não. É somente quando privado que a pornografia se torna preciosa. A síndrome do “fruto proibido” é um dos terríveis dilemas para os usuários. Eles nunca podem vencer porque estão se lamentando por um mito, uma ilusão. Só há uma maneira de eles ganharem: parando de se lamentar ao parar com a pornografia!

O “Eu só assisto Estático /Domar/ Pornô Caseiro” Usuário


Sim, todo mundo faz isso para começar, mas não é incrível como o valor médio do choque desses clipes parece aumentar rapidamente e, antes que percebamos, estamos nos sentindo privados (tolerância)? A novidade carece de pornografia estática, então pagamos o preço e descemos o tobogã em direção ao ressentimento e à culpa. A pior coisa que você pode fazer é usar as fotos do seu parceiro (com aprovação, é claro) para se masturbar. Por quê? Porque no processo, você está reconectando seu cérebro para a busca, busca e liberação de dopamina induzida por variedade. Quimicamente, as lâminas de água pornográficas no cérebro são DeltaFosB crescendo, então você terá dificuldades quando estiver com elas em tempo real.

Outra armadilha nesta categoria é a pornografia ‘amadora’ e ‘feita em casa’. A maioria são falsos e você sabe disso, além disso, você também não vai parar no primeiro que acertar seus olhos, em vez de continuar a buscar e pesquisar. Lembre-se, não é apenas o orgasmo que o cérebro busca, mas a novidade da caça que dá ao tobogã sua emoção. O conteúdo pornográfico não é o problema - seja amador ou profissional - são as ondas de dopamina no cérebro causando aumento de tolerância e saciedade. A pornografia destrói o funcionamento normal do cérebro, a masturbação confundindo a resposta músculo-cérebro; o orgasmo inunda o cérebro com opióides e torna o caminho mais fácil de seguir na próxima vez.

O usuário “Eu parei, mas dou uma espiada ocasional”


De certa forma, este é o mais patético de todos. Ou eles passam a vida acreditando que estão sendo privados ou, mais frequentemente, uma espiada ocasional se torna duas. Deslizando para baixo na encosta escorregadia, mais cedo ou mais tarde voltando a ser usuários pesados. Eles caíram novamente na mesma armadilha em que caíram da primeira vez.

Existem duas outras categorias de usuários casuais. O primeiro é o tipo que se masturba com imagens ou vídeos das últimas fitas de sexo de celebridades que chegam ao noticiário, ou algo que elas levaram para casa depois de assistirem por acaso na escola ou no trabalho. Essas pessoas, na verdade, são apenas não usuários, mas sentem que estão perdendo. Eles querem fazer parte da ação, com a maioria de nós começando assim. Da próxima vez, observe que depois de um tempo a celebridade da sua fantasia não está mais fazendo isso por você. Quanto mais ‘inatingível’ for o alvo de sua fantasia, mais frustrante será a retirada do orgasmo.

A segunda categoria vem ganhando atenção recentemente, e é melhor descrita com o esboço de um caso compartilhado online.

Uma profissional já lia contos de pornografia na Internet há muitos anos e nunca usava mais ou menos do que uma vez por noite. A propósito, ela era uma senhora muito obstinada. A maioria dos usuários se perguntaria por que ela queria parar em primeiro lugar - alegremente apontando que não havia risco de PIED, ou EP no caso dela (falso). Ela nem mesmo usava imagens estáticas, as histórias eram muito mais inofensivas do que qualquer material que eles próprios usam no dia a dia.

Eles cometem o erro de presumir que os usuários casuais são mais felizes e têm mais controle. Eles podem estar mais no controle, mas certamente não estão felizes. No caso da mulher, ela não estava satisfeita com seu parceiro nem com o sexo real, e altamente irritável ao responder às suas tensões e tensões diárias. Seu mais próximo e querido não foi capaz de descobrir o que a estava incomodando. Mesmo se ela se convenceu a não temer seu uso por meio da racionalização, ela ainda se viu incapaz de desfrutar de relacionamentos reais que invariavelmente envolvem altos e baixos. O centro de recompensa de seu cérebro era incapaz de fazer uso dos destruidores normais presentes na vida como resultado da inundação diária de dopamina. A regulação negativa subsequente de seus receptores cerebrais a tornara melancólica na maioria das circunstâncias. Como a maioria, ela tinha um grande medo do lado negro da pornografia e do tratamento dado às mulheres - antes de sua primeira vez. Eventualmente, ela foi vítima de uma lavagem cerebral social e tentou seu primeiro site. Ao contrário da maioria dos que capitulam e se tornam usuários de correntes - ao ver os vídeos horríveis de violência, ela resistiu ao deslize.

Tudo o que você gosta na pornografia é acabar com o desejo que começou antes dele, seja o desejo físico quase imperceptível ou a tortura mental de não poder coçar a coceira. A pornografia na Internet em si é um veneno, por isso você só tem a ilusão de aproveitá-la após períodos de abstinência. Da mesma forma que a fome ou a sede, quanto mais você sofrer, maior será o prazer ao ser finalmente aliviado. Cometer o erro de acreditar na pornografia é apenas um hábito, eles pensam: “Se eu puder mantê-lo em um determinado nível ou apenas em ocasiões especiais, meu cérebro e corpo irão aceitar. Então, posso continuar usando nesse nível ou reduzi-lo ainda mais, se eu desejar. ”

Deixe claro em sua mente, o ‘hábito’ não existe. A pornografia é o vício em drogas, com a tendência natural de aliviar as dores da abstinência, e não de suportá-las. Para mantê-lo no nível em que você está atualmente, seria necessário exercitar uma quantidade enorme de disciplina e força de vontade pelo resto de sua vida; conforme o centro de recompensa do seu cérebro se torna imune à dopamina e opioides, ele quer mais e mais, não menos e menos.

À medida que a pornografia começa a destruir gradualmente seu sistema nervoso, coragem, confiança e controle de impulsos, você se torna cada vez mais incapaz de resistir a reduzir o intervalo entre cada sessão. É por isso que, nos primeiros dias, podemos pegar ou largar. Se recebermos um sinal de que algo está errado mental ou fisicamente, simplesmente paramos. Não inveje essa mulher, quando você assiste apenas uma vez a cada vinte e quatro horas, parece ser a coisa mais preciosa do mundo, transformando a pornografia em um ‘fruto proibido’. Por muitos anos, essa pobre mulher esteve no centro de um cabo de guerra.

Incapaz de parar de usar, mas com medo de passar para vídeos streaming. Por vinte e três horas e dez minutos de cada um daqueles dias, ela teve que lutar contra a tentação e a falta de sentimentos por seu namorado. Foi necessária uma tremenda força de vontade para fazer o que ela fez, o que a levou às lágrimas. Esses casos são raros, mas olhe para isso com lógica: ou existe uma muleta genuína ou prazer na pornografia ou não. Se houver, quem quer esperar uma hora, um dia ou mesmo uma semana? Por que você deveria ser privado da muleta ou do prazer enquanto isso? Se não há muleta ou prazer genuíno, por que se preocupar em fazer uma visita ao seu harém online?

Aqui está outro caso de um homem que ocorre uma vez em quatro dias, descrevendo sua vida da seguinte forma:

"Tenho quarenta anos, sofri de DEIP (Disfunção Erétil Induzida por Pornografia) com mulheres de verdade e até quando uso pornografia, o que é na maioria das vezes. Já faz um tempo que não tinha uma ereção completa. Antes de continuar a dieta de pornografia uma vez em quatro dias, costumava dormir profundamente a noite após minha sessão. Agora, acordo a cada hora da noite e é tudo em que consigo pensar. Mesmo quando estou dormindo, sonho com meus vídeos favoritos. dias depois da minha sessão agendada me sinto muito pra baixo, a dieta consumindo todas as minhas energias. Meu cônjuge me deixava em paz porque eu sou muito mal-humorado e se ela não puder ir, ela não me aceitará em casa Eu saio para correr, mas minha mente está obcecada por isso.

No dia agendado, começo a planejar no início da noite, ficando muito irritado se algo acontecer contra meus planos. Eu desistia das conversas e desistia (apenas para me arrepender mais tarde) no trabalho e em casa. Não sou um cara argumentativo, mas não quero que o assunto ou a conversa me prenda. Lembro-me de ocasiões em que escolhi brigas bobas com meu cônjuge. Eu espero pelas dez horas e quando chega minhas mãos estão tremendo incontrolavelmente. Eu não começo a escritura imediatamente - pois há novos vídeos que foram adicionados - e ‘compro’. Minha mente me diz que, já que passei fome por quatro dias, mereço um vídeo “especial” que deve valer o tempo gasto procurando. Eventualmente, eu me contento com um ou dois, mas quero que dure para que eu possa ‘sobreviver’ pelos próximos quatro dias, então eu levo mais tempo para terminar a escritura… "

Além de seus outros problemas, este pobre homem não tem ideia de que está se tratando com veneno. Primeiro, sofrendo de “síndrome do fruto proibido” e, em seguida, forçando seu cérebro a liberar dopamina. Comparativamente, seus receptores de dopamina não estão tão reduzidos, mas ele está engraxando as lâminas de água pornográficas, procurando, buscando edging, novidade, variedade, choque e ansiedade para sobreviver nos próximos quatro dias. Você provavelmente imagina este homem como um imbecil patético, mas não é assim. Como ex-atleta que virou ex-sargento da marinha, ele não queria se tornar viciado em nada. No entanto, ao retornar da guerra, ele treinou como técnico de TI em um programa de reabilitação de veterano.

Ao entrar no mercado de trabalho civil, ele era um profissional de TI bem pago em um banco e recebeu um laptop para levar para casa. Foi o ano em que socialites famosas “vazaram” seus vídeos pornôs online e muito se falou sobre isso. Ele então foi fisgado, passando o resto de sua vida pagando caro e se arruinando física e mentalmente. Se ele fosse um animal, a sociedade já o teria tirado de sua miséria, mas ainda permitimos que jovens adolescentes fisicamente e mentalmente saudáveis sejam fisgados. Você pode pensar que este caso e as notas são exagerados, mas este caso - embora extremo - está longe de ser único. Existem dezenas de milhares de histórias semelhantes. Você pode ter certeza de que muitos de seus amigos e conhecidos o invejavam por ser um homem que só uma vez em cada quatro? Se você acha que isso não poderia acontecer com você, pare de se enganar.

JÁ ESTÁ ACONTECENDO.


Como outros viciados, os usuários de pornografia são notórios mentirosos, até para eles próprios. Eles têm que ser. A maioria dos usuários casuais se entrega muito mais vezes e em muito mais ocasiões do que eles admitem. Muitas conversas com os chamados usuários “duas vezes por semana” admitem que já fizeram isso mais de três ou quatro vezes naquela semana. Leia reddit, NoFap e histórias de reboot fórum de usuários casuais e você descobrirá que eles estão contando dias ou esperando para falhar. Você não precisa invejar os usuários casuais, também não precisa usar, a vida é infinitamente mais doce sem ele. Faça o seguinte registro:

“Tudo começou com um simples desafio de não tocar no meu lixo por um dia e ser incapaz. Eu não penso mais em masturbação, isso não me passa pela cabeça. Isso é possível, eu prometo a você. As riquezas que aguardam aqueles que são capazes - são incríveis. ”

Os adolescentes geralmente são mais difíceis de curar, não porque achem mais difícil parar, mas porque não acreditam que foram fisgados ou estão nos estágios iniciais da armadilha. Geralmente sofrendo da ilusão, eles terão parado automaticamente antes do segundo estágio.

Os pais de crianças que detestam pornografia na Internet não devem ter uma falsa sensação de segurança. Todas as crianças detestam o lado negro da pornografia antes de se tornarem fisgadas. Em um ponto, você também. Não se deixe enganar por campanhas de terror, a armadilha é a mesma de sempre. As crianças sabem que a pornografia na Internet é um estímulo sobrenatural, mas também sabem que uma ‘visita’ ou ‘espiada’ não adianta. Em algum estágio, eles podem ser influenciados por um parceiro, colega de classe ou colega de trabalho.

Por favor, não seja complacente com este assunto. O fracasso da sociedade em evitar que os adolescentes se tornem viciados em pornografia na Internet e outras drogas é talvez a faceta mais perturbadora desse vício. Os cérebros dos adolescentes são significativamente mais plásticos e é necessário educá-los e protegê-los. Se você não souber por onde começar, bons recursos incluem o livro YourBrainOnPorn para se educar na neurociência. Mesmo que você suspeite que seu filho já esteja fisgado, o livro fornece uma compreensão fundamental para ajudar alguém a escapar. Caso contrário, recomende este livro!

4 Likes

Capítulo 15: O usuário de YouTube / Twitch / Instagram

Este usuário deve ser agrupado com usuários casuais, mas os efeitos são tão insidiosos que merecem um capítulo separado. Isso leva ao colapso do autocontrole, quase causando a divisão de um usuário do fórum NoFap:

“Eu já estava com três semanas em uma de minhas tentativas fracassadas de parar, a tentativa foi desencadeada pela preocupação de minha esposa sobre minhas ereções não confiáveis e falta de interesse. Eu disse a ela que não era ela, apenas pressão de trabalho. Ela disse: “Eu sei que você já lidou com a pressão do trabalho antes, mas como você se sentiria se fosse eu e tivesse que assistir alguém que você ama se destruindo sistematicamente?” Foi um argumento que achei irresistível, daí a tentativa de parar. Ela sabe que não estou trapaceando, mas é pior do que isso. A tentativa terminou depois de três semanas, culminando em uma discussão acalorada com um velho amigo. Só foi lembrei anos depois que minha mente tortuosa deliberadamente disparou a discussão, eu me senti justificadamente agravado na época, mas não acredito que tenha sido coincidência, pois eu nunca havia discutido com esse amigo em particular antes, nem desde então. Era claramente o monstrinho em ação.
Independentemente disso, eu tinha minha desculpa. Eu precisava desesperadamente de um alívio e não importava como. Minha esposa não estava no clima, então eu tinha um sentimento de ‘direito’, então me convenci de que estaria tudo bem se eu me ‘restringisse’ evitando sites pornôs e ficando deste lado da ‘linha vermelha’ assistindo apenas vídeos do YouTube . Mas minha esposa acabou ‘aparecendo’ conforme a noite se desenrolava e queria fazer amor, no entanto eu estava cansado e sem minha ‘potência’, então inventei uma dor de cabeça. Não suportava pensar na decepção que isso causaria à minha esposa. Então, gradualmente voltei aos velhos hábitos, com o YouTube se tornando meu novo destino de harém online. Lembro-me de ter ficado bastante satisfeito na hora, pensando que pelo menos estava diminuindo meu consumo. Eventualmente, ela me acusou de continuar a ignorá-la na cama. Eu não tinha percebido, mas ela descreveu as vezes que eu causei uma discussão e saí de casa como um furacão. Em outras ocasiões, levava duas horas para comprar algum item supérfulo e fingia câimbras. Eu dava desculpas esfarrapadas para evitar cortejá-la, então quando eu tinha um harém online confiável ficava ainda mais difícil. "

A pior coisa sobre usar Youtube para o vício é que ele apoia a falácia em sua mente de que está sendo privado. Simultaneamente, causa grandes perdas de respeito próprio; uma pessoa honesta pode se forçar a enganar seu ente querido. Provavelmente já aconteceu ou ainda está acontecendo com você de alguma forma.

Os problemas enfrentados com sites como Twitch, Instagram, TikTok, Twitter (e a maioria das mídias sociais) são causados principalmente por suplementação. Impulsionados pela busca de novidades por necessidade de dopamina, eles se enganam e acreditam que estão em um local seguro. Lembre-se - a “emoção está em caçar, não em matar a presa”, e o monstrinho não se importa de onde vem sua dose. Para o usuário, o conteúdo ‘leve’ recebido em seus vários feeds online dá a ele um alívio fugaz da angústia de abstinência, mantendo-o viciado e esperando pela próxima sessão.

A modelo na imagem/vídeo é realmente linda, e se você a tivesse do seu lado agora, ela certamente poderia lhe dar prazer, mas essa imagem não pode … Simplesmente não é real. Seu cérebro é enganado como um touro correndo para um pano vermelho, e depois você não entende por que fez isso. Alguém poderia pensar que então você poderia simplesmente olhar para aquelas imagens, sem se masturbar. Mas lembre-se de que seu cérebro está viciado na novidade ilimitada, e o monstrinho não se importa de onde vem a dose. É a mesma armadilha.

Você já deve ter assistido à série de TV Columbo, o tema de cada episódio é muito parecido. O vilão, geralmente um homem de negócios rico e respeitado, cometeu o que ele está convencido que seja o “crime perfeito” e sua confiança em seu crime, sem ser detectado, recebe um impulso quando ele descobre que o detetive Columbo, um tanto miserável e de aparência inexpressiva, está encarregado do caso.

Columbo tem a prática frustrante de fechar a porta depois de terminar seu interrogatório, tendo garantido ao suspeito que ele está limpo. Mas pouco antes de o olhar satisfeito desaparecer do rosto do assassino, Columbo reaparece, dizendo “Só um pequeno ponto, senhor, que tenho certeza de que você pode explicar …” O suspeito gagueja, e a partir desse ponto ele sabe que Columbo gradualmente irá arruiná-lo. Por mais hediondo que fosse o crime, daquele ponto em diante as simpatias foram para com o assassino.

Essas lutas são semelhantes, a tensão de não ter permissão para cruzar a linha vermelha para conseguir a dose de pornografia que “justamente mereciam”, então se perguntando onde estava o prazer depois de terminar a ação. Medo de cruzar a linha, perder o controle e voltar para a cama, apenas para ser perseguido pelo medo de que seu parceiro desejasse sexo. Os vídeos ‘seguros’ do YouTube não irão mais satisfazê-lo devido à dessensibilização, falta de novidade e a certeza de que mais cedo ou mais tarde você visitará seu harém online favorito. A humilhação e a vergonha final são então quando essa certeza se torna um fato, seguida pelo retorno imediato às sessões completas de PMO.

OH, AS ALEGRIAS DE SER UM PMOer!

4 Likes

Capítulo 16: Um hábito social?

A saúde da mente e do corpo são as principais razões pelas quais deveríamos querer parar -. Na verdade, não precisamos de pesquisa científica e conhecimento em neurociência para nos dizer que a pornografia é viciante e pode destruir nossas vidas. Esses nossos corpos são os objetos mais sofisticados do planeta, e qualquer usuário sabe desde a primeira sessão que o estímulo em excesso pode se tornar venenoso.

A única razão pela qual sempre nos envolvemos com pornografia é a sobreposição do ciclo com nossa programação evolutiva. A pornografia na Internet está altamente disponível, gratuita e transmitida 24 horas por dia. A pornografia já foi considerada inofensiva, mas era quando as imagens eram estáticas e os vídeos envolviam uma ida à loja local para comprar uma fita VHS.

Hoje, é geralmente considerado - até mesmo pelos próprios usuários - que a pornografia é um superestímulo anormal e formadora de vício. Nos velhos tempos, o homem forte não admitia que se masturbava, com ‘punheteiro’ sendo um termo depreciativo. Em cada pub, clube ou bar, a maioria dos homens estaria orgulhosamente querendo levar uma mulher para casa e fazer sexo de verdade. Hoje, a posição está completamente invertida para o viciado em pornografia na Internet, o homem de hoje percebe que está começando a sentir que não precisa de mulher. Unindo-se online, ele discute experiências, elabora estratégias e explora opções. O homem forte de hoje não quer depender de drogas. Por meio da revolução social, todos os usuários estão pensando seriamente em parar com a pornografia na Internet e a masturbação. Os usuários de hoje consideram a pornografia uma atividade inútil e prejudicial.

A tendência mais significativa observada nos fóruns é a ênfase crescente nos aspectos anti-sociais da pornografia, os dias em que um homem se gabava de gozar todos os dias está sendo lentamente substituído pela consciência da escravidão ao monstro do pornô.

A única razão pela qual as pessoas continuam depois de serem educadas é porque não conseguiram parar ou estão com muito medo de tentar. Há um amplo espectro de interesse no assunto, alguns se abstendo de pornografia, masturbação e orgasmo - com ou sem parceiros. Práticas que separam as partes tântricas e propagativas do sexo, como retenção de sêmen e Karezza, são discutidas e adotadas em massa. Depois de iniciar a rota sem PMO, você encontrará o melhor ajuste que se aplica à sua vida, é encorajado a elaborar seu próprio plano para orgasmos após compreender e praticar a separação sexual. Seja qual for o seu caminho, você verá valor em limitar o número de vezes que você inunda seu cérebro com químicas durante o orgasmo, e nunca mais ver a pornografia, sexo ou orgasmo como um prazer ou muleta para o seu eu emocional.

Várias comunidades online fundadas por não usuários se dedicam a parar não apenas da pornografia, mas também da masturbação. Esses sites são benéficos para aqueles ainda escapando, mas a maioria dos tópicos indica que eles devem tentar a força de vontade. A consequência da obsessão por streaks e outras medidas é autopiedade e falta de euforia. Grande parte da lavagem cerebral está bem viva. Eventualmente, alguém recai e ocorre um efeito dominó, outros usuários descobrem que não são os únicos. No entanto, seus esforços não são em vão, eles estão caindo para a frente, embora com muita autotortura enquanto fecham seus navegadores, mas não fechando o desejo e a necessidade. EasyPeasy funciona ao contrário, desligando a necessidade e o desejo antes de desligar o navegador. A cada dia, mais e mais usuários deixam o navio que está afundando e aqueles que ficam nele tem medo de serem os últimos.

NÃO DEIXE QUE SEJA VOCÊ!

3 Likes

Pessoal, o @Desafiador deu uma sumida do fórum, então estou traduzindo as minhas partes sem postar aqui, (estávamos traduzindo 2 capítulos por vez.

caso eu terminar de traduzir as minhas partes e ele ainda não tiver aparecido, traduzo as partes dele e vou postando tudo aqui.

o livro tem 33 capítulos no total.

2 Likes

Capítulo 17: O Tempo Certo

Além do ponto óbvio de que isso não está lhe fazendo bem e que agora é o momento certo para parar, escolher este momento é importante. A sociedade trata a pornografia na Internet levianamente como um hábito ligeiramente desagradável que não prejudica sua saúde. Isso não é verdade. É um vício em drogas, uma doença e destruidora de relacionamentos na sociedade. A pior coisa que acontece na vida da maioria dos usuários é ser fisgado por esse vício terrível. Se eles ficarem presos, coisas horrendas acontecerão. O tempo certo é, portanto, importante para ter o direito a uma cura adequada.

Em primeiro lugar, identifique os momentos ou ocasiões em que a pornografia parece ser importante para você. Se você é um empresário que o usa para a ilusão de alívio do estresse - escolha um período de folga ou férias. Se você usa pornografia principalmente durante períodos chatos ou relaxantes, o oposto se aplica. Mesmo assim, leve a tentativa a sério e faça dela a coisa mais importante da sua vida.

Espere um período de três semanas e tente antecipar qualquer evento que possa levar ao fracasso. Ocasiões como viagens para conferências, seu parceiro estar fora da cidade, etc., não precisam impedi-lo, desde que você os antecipe com antecedência e não sinta que será privado. Não tente diminuir o consumo enquanto isso, pois isso só criará a ilusão de que ser negado é agradável. Na verdade, ajuda se forçar a assistir e ter o máximo de sessões pornográficas possível. Enquanto você está tendo a última sessão e sua última vez, esteja ciente da decepção devido à saciedade, expectativas não realizadas, qualquer dor corporal, efeitos de abstinência, rabugice e melancolia. Pense em como será maravilhoso quando você se permitir parar de fazer isso.

INDEPENDENTE DO VOCÊ FIZER, NÃO CAIA NA ARMADILHA DE SIMPLISMENTE DIZER “AGORA NÃO, MAIS TARDE”. TRABALHE SEU CRONOGRAMA AGORA E OLHE PARA A FRENTE.

Lembre-se, você não está desistindo de nada. Pelo contrário, você está prestes a receber ganhos positivos maravilhosos.

Durante anos, a profissão médica considerou a pornografia inofensiva, sem saber a diferença entre a pornografia estática inofensiva de antigamente e a mais recente experiência de streaming de realidade virtual. O problema é que, embora cada usuário consuma pornografia na Internet puramente para aliviar o desejo de dopamina causado por ele, não é o vício da substância química que fisga o usuário, mas a auto-lavagem cerebral resultante do vício. Uma pessoa inteligente cairá em um truque de confiança, mas apenas um tolo continuaria caindo ao perceber o truque. Felizmente, a maioria dos usuários não é tola; Eles apenas pensam que são. Cada usuário individual tem sua própria lavagem cerebral particular. É por isso que parece haver uma gama tão diversa de tipos de viciados, apenas servindo para complicar ainda mais os mistérios.

Embora o benefício do livro original fosse abandonar a nicotina (uma das drogas mais rápidas e viciantes conhecidas pelo homem), foi agradavelmente surpreendente perceber que a filosofia proposta no livro original ainda é válida quando adaptada. O conhecimento acumulado e o desafio que Carr e eu assumimos é como comunicar esse conhecimento a cada usuário individual. O fato de eu saber que cada usuário pode não apenas achar fácil interromper, mas pode realmente aproveitar o processo, não só é inútil, mas extremamente frustrante, a menos que o usuário seja levado a perceber isso. Em seu livro original, Allen Carr explica seu conselho controverso:

“Muitas pessoas me disseram: 'Você diz:“Continue a fumar até terminar o livro ”Isso tende a fazer o fumante demorar muito para ler o livro ou simplesmente não terminá-lo. Ponto final. Portanto, você deve mudar a instrução. ‘Parece lógico, mas sei que se a instrução fosse:’ Pare imediatamente ‘, alguns fumantes nem começariam a ler o livro. Pedi a um fumante que me consultasse nos primeiros dias. Ele disse:’ Realmente me ressinto ter que procurar sua ajuda, eu sei que sou obstinado. Em todas as outras áreas da minha vida estou no controle. Por que todos esses outros fumantes pararam de fumar usando sua própria força de vontade, mas eu tenho que vir até você? ’ continuou: ‘Acho que poderia fazer isso sozinho, se pudesse fumar enquanto o fazia’. "

A crença da sociedade diz que parar de fumar é incrivelmente difícil, então do que um fumante precisa quando algo é difícil? Nosso amiguinho, nossa muleta. Fugir do cigarro parece ser um golpe duplo, não é apenas uma tarefa difícil de realizar - o que é difícil o suficiente - mas a muleta com a qual normalmente dependemos para tais ocasiões não está disponível. Talvez a verdadeira beleza desse método seja que você não precisa “desistir” ao passar pelo processo; se livrar de todos os medos e dúvidas inicialmente, então, ao terminar a sessão final, você já está desfrutando de liberdade.

Portanto, este hackbook manterá os mesmos conselhos intactos. Não importa o quanto se diga que será fácil e agradável, eles serão uma grande maioria que não será capaz de aceitar devido a uma lavagem cerebral pessoal sobre como é difícil parar de fumar.

O tempo certo é o único capítulo que me faz questionar seriamente o conselho original de Allen. Acima de tudo, se os gatilhos incluem o estresse do escritório, então escolha um feriado para tentar e vice-versa. Esta não é a maneira mais fácil, em vez disso, escolha o que você considera o momento mais difícil. Quer seja estresse, obrigações sociais, concentração ou tédio, uma vez que você provou que lida e aproveita a vida nas piores situações, todas as outras são agradáveis. Mas se esse fosse o conselho, você tentaria?

Aqui está uma analogia, minha irmã e eu pretendemos nadar juntas. Chegamos na piscina na mesma hora, mas raramente acabamos nadando juntos. O motivo é que ela mergulha um dedo do pé e meia hora depois, na verdade está nadando. Isso é uma tortura lenta, eu sei de antemão que em algum momento, não importa o quão fria a água esteja, terei que enfrentá-la. Então, aprendi a fazer da maneira mais fácil: mergulhar direto. Agora, imagine se eu estivesse em uma posição de insistir que, se ela não mergulhasse direto, não poderia nadar. Se fosse esse o caso, ela nem nadaria. Você vê o problema?

Com base no feedback, muitos usuários usaram o conselho original sobre o tempo original para atrasar o que eles achavam que seria o “dia mau”. Minha próxima ideia foi usar uma técnica semelhante ao capítulo ‘vantagens do pornô’, algo como - “O tempo é muito importante e no próximo capítulo você será informado sobre a melhor hora para fazer a tentativa”. e na próxima página há apenas um enorme “AGORA!” Esse é, de fato, o melhor conselho, mas você o acataria? Talvez o aspecto mais sutil da armadilha seja que, quando temos estresse genuíno em nossas vidas, não é o momento certo para parar, mas às vezes, sem estresse, não temos desejo de acabar com a tortura. Pergunte a você mesmo as seguintes questões:

  • Quando você começou a ver pornografia pela primeira vez, você realmente decidiu que continuaria a depender disso pelo resto da vida, sem nunca ser capaz de parar? Claro que não!
  • Você vai continuar o resto de sua vida sem nunca ser capaz de parar? Mas é claro que não!

Então, quando você vai parar? Amanhã? Próximo mês? No ano que vem? Não é isso que você tem se perguntado desde que percebeu que estava fisgado? Você espera que um dia você acorde e não queira mais assistir? Pare de se enganar, com qualquer vício você fica progressivamente mais viciado, não menos. Você vai esperar até começar a sentir que sair da cama é mais difícil do que apenas se masturbar? Isso seria um pouco inútil.

A verdadeira armadilha é a crença de que agora não é o momento certo - será sempre mais fácil amanhã. Acreditamos que vivemos vidas estressantes, mas na realidade não. A maior parte do estresse genuíno foi removida de nossas vidas. Ao sair de casa, você não vive com medo de ser atacado por animais selvagens, a maioria não se pergunta de onde virá sua próxima refeição ou se haverá um telhado sobre suas cabeças esta noite. Pense na vida de um animal selvagem, cada vez que um coelho sai de sua toca, ele está enfrentando o Vietnã por toda a sua vida. Mas o coelho lida com isso, tem adrenalina e outros hormônios, e nós também. A verdade é que os períodos mais estressantes na vida de qualquer criatura são a primeira infância e a adolescência. Mas três bilhões de anos de seleção natural nos equiparam para lidar com o estresse, e muitos que crescem com infâncias difíceis levam uma vida normal.

É clichê dizer: “Se você não tem saúde, não tem nada”, mas é absolutamente verdade. Quando você se sente fisicamente e mentalmente forte, pode aproveitar os altos e lidar com os baixos. Muitos confundem responsabilidade com estresse, responsabilidade só se torna estressante quando não nos sentimos fortes o suficiente para lidar com ela. O que mais destrói não é o estresse, o emprego ou a velhice, mas as muletas mentirosas ilusórias a que recorremos.

Veja as coisas desta forma, você já decidiu que não vai ficar na armadilha pelo resto de sua vida. Portanto, em algum ponto - seja fácil ou difícil - você terá que passar pelo processo de liberação. Pornografia não é um hábito ou prazer, é o vício em drogas e uma doença. Nós estabelecemos que longe de ser mais fácil amanhã, vai ficar cada vez pior. A hora de se livrar disso é agora - ou o mais próximo que puder. Basta pensar em quão rápido cada semana de nossas vidas passa, isso é tudo o que precisamos. Pense em como será bom aproveitar o resto de sua vida sem sombras crescentes pairando sobre você. Desde que você siga todas as instruções, você não terá que esperar nem cinco dias ou três semanas. Você não só achará fácil parar, como também vai se divertir!

2 Likes