Mamão com Açúcar

Capítulo 18: Vou perder a diversão?

Não! Uma vez que o pequeno monstro do pornô esteja morto, depois que seu corpo parar de desejar dopamina e os canos em seu cérebro começarem a desaparecer rapidamente devido à falta de “lubrificação”, qualquer lavagem cerebral restante irá desaparecer. Você não apenas se encontrará física e mentalmente melhor equipado para lidar com o estresse e as tensões da vida, mas também desfrutará dos bons momentos ao máximo.

Há apenas um perigo: a influência daqueles que ainda usam o sexo como muleta e prazer. ‘A grama do vizinho é sempre mais verde’ é um fator comum em muitos aspectos de nossas vidas e facilmente compreensível. Por que no caso da pornografia - com desvantagens tão enormes quando comparadas às “vantagens” ilusórias - o ex-usuário tende a invejar aqueles que exigem sexo e pornografia como muleta?

Com toda a lavagem cerebral da infância, é perfeitamente compreensível que caímos na armadilha. Por que então - depois de perceber que jogo sujo a pornografia é, e conseguir largar o vício - voltamos direto para a mesma armadilha? É a influência da lavagem cerebral da sociedade que mistura pornografia com sexo, apresentando como normal. O ex-usuário está com uma pontada de dor! A sensação de vazio e insegurança de serem solteiros (o que não é um crime, de qualquer maneira) causa sentimentos de ansiedade e os leva a entrar no tobogã. Esta é de fato uma anomalia curiosa, particularmente se esta observação for considerada - não apenas todo não-usuário no mundo está feliz por ser assim, mas todos os usuários no mundo, mesmo com sua mente distorcida, viciada, com lavagem cerebral sofrendo a ilusão de prazer ou relaxamento, desejariam nunca ter se viciado em primeiro lugar. Então, por que alguns ex-usuários os invejam?

  1. Apenas uma olhadinha. Lembre-se, isso não existe. Pare de ver a ocasião isolada e comece a olhar para ela do ponto de vista do usuário pornô. Você pode estar com inveja deles, mas eles não se aprovam e invejam você. Se ao menos você pudesse, de alguma forma, observar outro usuário clinicamente, pois eles podem ser o estímulo mais poderoso de todos para ajudá-lo a sair disso. Notou rapidamente que eles abrem muitas guias e janelas do navegador? Avançando rapidamente para as seções importantes, ficando rapidamente entediado com os clipes e percorrendo a gama de gêneros que produzem novidades, choque, ansiedade, etc. Observe especialmente que o ato parece ser automático. Lembre-se - eles não estão gostando, é que não podem se divertir sem isso. Na manhã seguinte, acordando com a vontade enfraquecida, energia perdida e olhos turvos, eles terão que continuar se sufocando ao primeiro aparecimento de estresse e tensão. Eles estão enfrentando uma vida inteira de sujeira, saúde mental precária e confiança manchada - uma vida inteira se destruindo com sombras negras no fundo de suas mentes. Para atingir qual objetivo? A ilusão de que você está recebendo o que ‘merece’ e um maldito prazer?

  2. A segunda razão pela qual alguns ex-usuários têm dores é porque o usuário pornográfico está fazendo algo - como dar prazer a si mesmo - e o não usuário não, então tende a se sentir privado. Tenha claro em sua mente, não é o não usuário que está sendo privado, mas o pobre viciado sendo privado de:

• Saúde

• Energia

• Confiança

• Paz de espírito

• Coragem

• Tranqüilidade

• Liberdade

• Respeito próprio

Abandone o hábito de invejar os usuários de pornografia e comece a vê-los como as criaturas miseráveis e patéticas que realmente são. Eu sei, já fui um dos piores. É por isso que você está lendo este livro e não aqueles que não conseguem enfrentá-lo e continuam a se enganar.

Você não invejaria um viciado em heroína e, como todo vício em drogas, o seu não vai ficar melhor. A cada ano vai ficar exponencialmente pior - se você não gosta de ser um usuário hoje, vai gostar ainda menos amanhã. Não inveje os outros usuários, tenha pena deles. Acredite em mim: Eles precisam da sua pena!

2 Likes

Vlw demais Enoc por traduzir!

2 Likes

Capítulo 19: Posso Compartimentar?

Este mito é espalhado principalmente por usuários que tentam parar no método da força de vontade, realizam uma ginástica mental e começam uma rotina de Jekyll e Hyde: “A pornografia é para o meu alter ego e o romance da vida real é para o meu lado de relacionamento.” Nada está mais longe da verdade – o tobogã do pornô, DeltaFosB e mudanças neurológicas vão destruir o romance da vida real, tornando-o menos desejável. Sr. Hyde definitivamente vai ignorar as instruções do Dr. Jekyll.

Se você consome pornografia, está se treinando para o papel de viajante ou exigindo a opção de clicar para algo mais excitante à menor queda nos níveis de dopamina. Ou a busca contínua pelo melhor vídeo para o efeito máximo. Além disso, você pode estar se masturbando em uma posição curvada ou observando seu smartphone na cama à noite, eventualmente desejando essas facilidades mais do que estímulos da vida real. Sexo vai contra quase todos os aspectos do harém online, portanto, não há chance quando comparado. As memórias criadas quando você é jovem, são poderosas e duradouras, então quebrar esses tobogãs criados pelo pornô e consertá-los ou criar novos leva mais tempo. No entanto, isso não quer dizer que seja mais difícil.

Cada vez que você percorre o ‘tobogã pornográfico’, você o está lubrificando, mantendo os nervos à flor da pele e prontos para a próxima vez. Ao estacionar próximo a um restaurante de fast food, o cheiro da fritadeira flutua em suas narinas e a venda já está feita. Da mesma forma, o tobogã pornográfico em seu cérebro está pronto para você ser sugado e aberto 24 horas por dia. Cada sinal ou gatilho acende seu circuito de recompensa com a promessa de sexo - só que não é sexo. No entanto, as células nervosas solidificam essas associações com a excitação sexual, gerando novos ramos para fortalecer as conexões. Quanto mais você usa pornografia, mais fortes se tornam as conexões nervosas. O resultado final é que você pode precisar ser um navegador, precisando clicar para obter um material cada vez mais novo e diferente, precisar de pornografia para dormir ou precisar procurar a cena perfeita para ‘finalizar o trabalho’.

Como acontece com qualquer substância ou droga comportamental, o corpo cria imunidade e a droga deixa de aliviar completamente as dores de abstinência. Assim que o usuário de pornografia fecha uma sessão, ele quer outra e rapidamente, a fome permanente continua insatisfeita. A inclinação natural é a escalar para obter o fluxo de dopamina. No entanto, a maioria dos usuários é impedida de fazer isso por um ou ambos os motivos a seguir.

Dinheiro: eles não têm dinheiro para assinar sites pornôs pagos.

Saúde : o corpo só pode aguentar até certo ponto, tanto os picos de dopamina quanto os orgasmos. Além disso, os orgasmos realmente desencadeiam substâncias químicas para reduzir o fluxo de dopamina. Tem que ser, é assim que o corpo funciona.

Assim que o monstrinho deixa seu corpo, a terrível sensação de insegurança termina. Sua confiança volta, junto com um maravilhoso sentimento de respeito próprio, obtendo a segurança de assumir o controle de sua vida e usá-la como trampolim para enfrentar outros problemas. Esta é uma das grandes vantagens de se libertar de qualquer vício.

O mito da compartimentalização é um dos muitos truques que o monstrinho joga com sua mente. Esses truques tornam mais difícil parar - devido à impossível satisfação da fome permanente - fazendo com que muitos usuários recorram ao cigarro, ao consumo excessivo de álcool ou a drogas ainda mais pesadas para satisfazer o vazio.

Os humanos são animais comparativos, tanto para os outros quanto para nós mesmos. Assistir pornografia com seu parceiro é insatisfatório, pois ambos avaliam o desempenho um do outro em relação ao vídeo. Você gostaria de Brad Pitt dentro do seu quarto, mesmo que ele esteja em um pôster? Nenhuma pessoa pode se igualar a um harém onde cada “experiência” é encenada, roteirizada, dirigida por profissionais e imediatamente disponível vinte e quatro horas por dia.

2 Likes

Capítulo 20: Evite Falsos Incentivos

Muitos usuários do método da força de vontade tentam aumentar sua motivação por meio da construção de incentivos falsos. Existem muitos exemplos disso, um típico sendo recompensar-se com presentes depois de não assistir pornografia por um mês. Esta parece ser uma abordagem lógica e sensata, mas na verdade é falsa, porque qualquer usuário que se preze prefere continuar assistindo pornografia todos os dias do que se recompensar com um presente dado a si mesmo. Isso gera dúvidas na mente do usuário, porque além de ter que se abster por trinta dias, ele não tem certeza se vai aproveitar os dias sem pornografia. Seu único prazer ou muleta foi tirado! Tudo isso aumenta o tamanho do sacrifício que o usuário sente que está fazendo, agora cada vez mais precioso em sua mente.

Outros exemplos incluem:
• Vou parar para que isso me force a ter uma vida social e mais sexo real.

• Vou parar então uma ‘energia mágica’ vai me ajudar a sobressair acima dos concorrentes e vou conseguir a parceira que eu quero.

• Vou parar para que possa me comprometer a não desperdiçar minha energia e entusiasmo com pornografia, a fim de aumentar minha motivação

Estes são verdadeiros, podem ser eficazes e você pode acabar conseguindo o que deseja - mas pense nisso por um segundo. Se você conseguir o que deseja, uma vez que a novidade se vá, você se sentirá privado; se não conseguir, você se sentirá miserável. De qualquer forma, mais cedo ou mais tarde você cairá na mesma armadilha novamente.

Vincular a desistência a um incentivo falso só aumenta a dúvida, porque se você não receber seu incentivo (e mesmo se conseguir), começará a ter pensamentos duvidosos como “Parar vai de fato tornar minha vida melhor? Se eu desistir e não conseguir o que quero, usei o método corretamente?” Pensamentos como esses aumentam a sensação de sacrifício e, portanto, criam dores.

Outro exemplo típico são os pactos online ou de fórum, que têm a vantagem de eliminar a tentação por certos períodos. No entanto, eles geralmente falham pelos seguintes motivos:

  1. O incentivo é falso, por que você iria querer parar só porque outras pessoas estão fazendo isso? Tudo isso gera pressão adicional e aumenta a sensação de sacrifício. Tudo bem se todos os usuários realmente quiserem parar em um determinado momento - mas você não pode forçá-los a parar, embora todos queiram secretamente. Até que estejam prontos para fazê-lo, um pacto cria uma pressão adicional, o que apenas aumenta seu desejo de assistir. Isso os transforma em espectadores secretos, aumentando ainda mais o sentimento de dependência.

  2. A dependência um do outro usando o método da força de vontade gera sentimentos de passar por um período de penitência, durante o qual eles esperam que o desejo desapareça. Se eles cederem, haverá uma sensação de fracasso. Ao usar o método da força de vontade, pelo menos um dos participantes está fadado a desistir, dando aos outros participantes a desculpa que eles estavam esperando. Não é culpa deles, eles teriam resistido, mas “Fred” os decepcionou. A verdade é que a maioria deles já está trapaceando.

  3. Compartilhar o crédito é o reverso da dependência. Há uma sensação maravilhosa de conquista em parar a pornografia e, ao fazê-lo sozinho, a aclamação que você recebe de seus amigos e companheiros online pode ser um tremendo impulso nos primeiros dias. Porém, quando todos estão fazendo ao mesmo tempo, o crédito tem que ser compartilhado e o boost é consequentemente reduzido.

  4. Outro exemplo clássico é a promessa do guru. Parar lhe trará felicidade porque você não está mais envolvido no cabo de guerra, seu cérebro começa a religar e recuperar os controles de impulso. No entanto, você deve ter em mente que isso não o tornará um deus do sexo nem ganhará na loteria. Ninguém, exceto você, se importa minimamente se você parar de pornografia. Você não é uma pessoa fraca se usa pornografia três vezes ao dia e tem DEIP (disfunção erétil induzida por pornografia), ou uma pessoa forte se é viciado ou não.

Pare de se enganar. Se a oferta de trabalhar por dez meses com salário de doze, ou os riscos de perder a habilidade do cérebro de lidar com o estresse e preocupações do dia-a-dia, ou a possibilidade de disfunção erétil, ou uma vida de tortura física e mental e escravidão não te deteve, os poucos incentivos falsos acima não farão a menor diferença, apenas conseguindo fazer o sacrifício parecer pior. Em vez disso, concentre-se no outro lado:

“O que estou ganhando com isso? Por que preciso assistir pornô?"

Continue olhando para o outro lado do cabo de guerra e pergunte-se o que o pornô está fazendo por você. ABSOLUTAMENTE NADA. Por que eu preciso fazer isso? VOCÊ NÃO PRECISA! VOCÊ ESTÁ APENAS PUNINDO A SI MESMO. É a aposta de Pascal: você não tem quase nada a perder (disfunção erétil), chances de grandes lucros (excitação plena e confiável, bem-estar mental e felicidade) e nenhuma chance de perder muito.

Então, por que não declarar sua desistência aos amigos e familiares? Bem, isso o tornará um ex-viciado ou ex-usuário orgulhoso, não um não-usuário exultante e feliz. Isso pode assustar um pouco seu parceiro, pois eles podem ver isso como um esquema para fazer mais sexo, uma espécie de estilo new age. Eles também podem temer que você se transforme em uma máquina de sexo, é difícil de explicar, a menos que tenham a mente aberta.

Qualquer tentativa de conseguir que outras pessoas o ajudem a desistir dá mais poder ao monstrinho. Tirar isso de sua mente e ignorá-lo totalmente tem o efeito de tentar não pensar nisso. Em vez disso, esteja atento, assim que detectar os pensamentos, pistas (sozinho em casa) ou pensamentos distraídos, diga a si mesmo "Ótimo, não sou mais um escravo da pornografia. Estou livre e feliz em saber as diferenças no sexo! " Isso cortará o oxigênio para o pensamento e impedirá que ele arraste para desejos e ânsias. Nesse aspecto, praticar a meditação da atenção plena pode ser útil para auxiliar na despersonalização dos pensamentos.

Capítulo 21: O Jeito Fácil de parar

Este capítulo contém instruções sobre a maneira mais fácil de abandonar a pornografia. Desde que siga as instruções, você descobrirá que parar varia de relativamente fácil a agradável! Contanto que você siga as instruções abaixo, é ridiculamente fácil abandonar a pornografia, tudo o que você precisa fazer são duas coisas.

  1. Tome a decisão de nunca mais assistir pornografia.

  2. Não fique lamentando a respeito disso. REGOJIZE-SE

Você provavelmente está se perguntando: “qual a necessidade do restante do livro? Por que você não poderia ter dito isso logo no início?" Bem, a resposta é que você acabaria lamentando a respeito disso e, consequentemente, mudaria sua decisão. Você provavelmente já fez isso muitas vezes antes.

Como já foi dito, a pornografia é uma armadilha sutil e sinistra. O principal problema de parar não é o vício em dopamina (o que certamente é um problema, mas não o principal) é a lavagem cerebral. Portanto, é necessário destruir todos os mitos e ilusões primeiro. Entenda seu inimigo, conheça suas táticas e você o derrotará facilmente. Tendo passado grande parte da minha vida sofrendo de depressão negra enquanto tentava parar, quando finalmente escapei, fui direto para o zero, sem um momento ruim. Foi agradável mesmo durante o período de abstinência e nunca mais tive a menor dor desde então. Pelo contrário, foi uma das coisas mais maravilhosas que aconteceram na minha vida.

Minha tentativa final foi diferente. Como todos os usuários hoje em dia, o problema foi pensado seriamente em minha mente. Até então, depois do fracasso, era rotina me consolar com a ideia de que da próxima vez seria mais fácil. Nunca me ocorreu que teria que seguir esse caminho pelo resto da minha vida, esse pensamento me encheu de horror e comecei a pensar profundamente sobre o assunto.

Em vez de iniciar o navegador inconscientemente, analisei meus sentimentos e confirmei o que já sabia. Eu não estava curtindo pornografia e achei-a imunda e nojenta. Comecei a olhar para não usuários que viviam em outras partes do mundo, ou pessoas mais velhas que nunca conheceram os sites pornôs. Até então, eu sempre considerei os não usuários pessoas insossas, anti-sociais e meticulosas. No entanto, examinando-os quando eles apareceram, eles pareciam ser - se alguma coisa - mais fortes e relaxados. Eles pareciam ser capazes de lidar com o estresse e as tensões da vida e pareciam gostar mais de funções sociais do que usuários de pornografia. Eles certamente tinham mais brilho e entusiasmo do que eles.

Comecei a conversar com ex-usuários. Até aquele ponto, sempre os considerei forçados a desistir por motivos religiosos ou de saúde e sempre ansiavam secretamente por uma visita ao harém. Alguns disseram: “Você sente dores estranhas, mas são tão poucas que não valem a pena se preocupar.” Em vez disso, a maioria disse: “sentir falta disso? Você deve estar de zoeira! Nunca me senti melhor!” Mesmo as recaídas foram caídas para a frente para eles, eles não se condenaram e aceitaram incondicionalmente. Como um treinador que aceita um erro de um jogador fora de série. Conversar com ex-usuários destruiu outro mito que sempre tive em minha mente, que havia uma fraqueza inerente dentro de mim, até que me ocorreu que todos passam por esse pesadelo particular.

Basicamente, eu disse a mim mesmo: "Muitas pessoas estão parando agora e levando uma vida perfeitamente feliz, eu não precisava fazer isso antes de começar e lembro-me de ter que trabalhar duro para me acostumar com essa sujeira. Então, por que preciso fazer isso agora?” Em qualquer caso, eu não gostava de pornografia, odiava todo o ritual imundo e não queria passar o resto da minha vida na escravidão desse vício nojento. Então eu disse a mim mesmo:

“Quer tenha gostado ou não, concluí minha última sessão.”

Eu sabia que desde aquele ponto, nunca mais teria outra sessão novamente. Eu não esperava que fosse fácil, na verdade o contrário. Eu acreditava piamente que me comprometi por meses de depressão negra e passando o resto da minha vida tendo uma dor ocasional. Em vez disso, tem sido uma felicidade absoluta desde o início.

Levei muito tempo para descobrir por que tinha sido tão fácil e por que não sofri aquelas terríveis dores de abstinência. A razão é que eles não existem, é a dúvida e a incerteza que cria dores. A bela verdade é que é fácil abandonar o pornô. É apenas a indecisão e o lamento que tornam isso difícil. Mesmo quando viciados, os usuários podem passar períodos relativamente longos em determinadas situações sem a pornografia. É apenas quando você quer, mas não pode ter, que você sofre.

Portanto, a chave para que seja fácil é parar certa e definitivamente. Sem esperar por algo, mas sabendo que você realmente abandonou isso, após ter tomado a decisão. Nunca duvide ou questione isso, na verdade, faça o contrário - sempre alegre-se! Se você pode ter certeza desde o início, será fácil. Mas como você pode ter certeza desde o início? É por isso que o resto do livro é necessário. Existem certos pontos essenciais necessários para esclarecer em sua mente antes de começar:

  1. Perceba que você pode conseguir isso. Não há nada diferente em você e a única pessoa que pode te fazer assistir aquilo de novo é você mesmo. Não aquela estrela pornô, nunca, nem nos sonhos mais selvagens eles teriam pensado em si mesmos sendo usados para reduzir a virilidade.

  2. Não há absolutamente nada para desistir. Pelo contrário, há enormes ganhos positivos a serem obtidos. Não só você será mais saudável e rico, mas também aproveitará mais os bons momentos e será menos infeliz durante os maus.

  3. Não existem coisas como uma olhadinha ou visita. Pornografia é vício em drogas e uma reação em cadeia. ao lamentar por uma visitinha especial, você só estará se punindo desnecessariamente.

  4. Não veja pornografia como um hábito de “homens sendo homens” que pode prejudicá-lo, mas como um vício em drogas. Aceite o fato de que, goste ou não, você tem a doença. E ela não vai embora porque você enterra a cabeça na areia. Lembre-se de que, como todas as doenças incapacitantes, ela não apenas dura a vida toda, mas fica exponencialmente pior. O melhor momento da cura é agora.

  5. Separe a doença (o vício neurológico) da mentalidade de ser usuário ou não. Todos os usuários, se tivessem a oportunidade de voltar no tempo antes de se viciar, aproveitariam a oportunidade para nunca assistir. Você tem essa oportunidade hoje! Nem pense nisso como “desistir”.

Ao tomar a decisão final sobre sua última visita, você já será um não usuário. Um usuário é um desses pobres coitados que passam a vida se destruindo com a pornografia. Um não usuário é alguém que não usa. Depois de tomar essa decisão final, você já atingiu seu objetivo. Alegre-se com o fato, não fique sentado lamentando e esperando que o vício químico vá embora. Saia e aproveite a vida imediatamente. A vida é maravilhosa mesmo quando você está viciado, e a cada dia ficará muito melhor quando você não estiver.

A chave para tornar mais fácil parar é ter certeza de que você conseguirá se abster completamente durante o período de abstinência (máximo de três semanas). Se você estiver no estado de espírito correto, achará isso ridiculamente fácil.

Neste estágio, se você abriu sua mente conforme solicitado no início, você já decidiu que vai escapar. Agora você deve ter sentimentos de excitação, como um cachorro puxando a coleira, incapaz de esperar para quebrar os canos de DeltaFosB. Se você tem um sentimento de desgraça e tristeza, será por um dos seguintes motivos:

  1. Algo não ficou claro em sua mente. Releia os cinco pontos acima e pergunte-se se você acredita que eles sejam verdadeiros. Se você tiver alguma dúvida, releia as seções apropriadas do livro.

  2. Você teme o próprio fracasso. Não se preocupe, apenas continue lendo e você terá sucesso. Todo o negócio da pornografia na Internet é um truque de confiança de escala gigantesca. Pessoas inteligentes caem em truques de confiança, mas só um tolo, depois de descobrir o truque, continua se enganando.

  3. Você concorda com tudo, mas ainda se sente miserável. Não se sinta! Abra os olhos, algo maravilhoso está acontecendo. Você está prestes a escapar da prisão, é essencial começar com o estado de espírito correto: “É maravilhoso que eu não seja um usuário!”

Tudo o que precisa ser feito agora é mantê-lo nesse estado de espírito durante o período de abstinência, e os próximos capítulos tratam de pontos específicos para permitir que você faça isso. Após o período de abstinência, você não terá que pensar dessa forma, você pensará automaticamente, o único mistério em sua vida será por que você não viu isso antes. No entanto, dois avisos importantes.

  • Atrase seu plano para fazer sua última visita até terminar o livro.

  • Um período de crise de abstinência de até três semanas foi mencionado muitas vezes, o que pode causar mal-entendidos. Primeiro, você pode sentir, inconscientemente, que terá de sofrer por três semanas. Você não vai. Em segundo lugar, evite a armadilha de pensar “De alguma forma, tenho que me abster por três semanas e depois vou ficar bem.” Nada mágico realmente acontecerá depois de três semanas, você não vai se sentir de repente como um não usuário, pois eles não se sentem realmente diferentes dos usuários. Se você está lamentando por parar durante as três semanas, com toda a probabilidade você ainda estará lamentando por isso após as três semanas. Resumindo, se você pode começar agora mesmo dizendo “Eu nunca vou usar de novo, não é maravilhoso?”, Depois de três semanas toda a tentação vai embora. Ao passo que se você disser: “Se ao menos eu pudesse sobreviver a essas três semanas sem pornografia.”, você morrerá por uma visita ao harém depois que as três semanas acabarem.

Pense desta forma - seu cérebro quer manter o status quo, então se você acredita que está perdendo algo bom ao parar, você obviamente se sentirá péssimo. É impossível se forçar a se sentir de uma certa maneira se seu cérebro não acreditar. É por isso que é importante ter o trabalho de remover a ilusão de que a pornografia oferece alguma coisa. É assim que você sabe que não está sacrificando nada.

A disfunção sexual tem muito a ver com o seu cérebro e estrutura mental. A pornografia na Internet reconecta o circuito de recompensa do seu cérebro e dá à sua mente uma mentalidade de “dúvida”. Essa dúvida, com toda certeza, causará disfunção sexual. Ter todo o desejo na sua parte superior, mas nenhuma excitação na parte inferior é a pior coisa que pode acontecer à sua mentalidade. A libido anda de mãos dadas com o romance é o elixir da juventude que você pode ter até morrer. Você manterá as probabilidades altas ao abandonar a pornografia, mas esse não é o único ou importante ganho. É a sua liberdade da escravidão!

Capítulo 22: O Período de abstinência

Por até três semanas após sua última sessão, você pode estar sujeito a dores de abstinência. Estes consistem em dois fatores bastante separados, mas distintos:

  1. Dores de abstinência de dopamina. Uma sensação de vazio e insegurança semelhante à fome, identificado como desejos ou um sentimento de ‘algo que devo fazer’.

  2. Gatilhos psicológicos de certos estímulos externos, como comerciais, navegação online, conversas telefônicas, etc.

A falta de compreensão e diferenciação entre esses dois fatores distintos torna difícil alcançar o sucesso usando o método da força de vontade e é a razão pela qual muitos que o fazem acabam caindo na armadilha novamente. Embora as crises de abstinência da dopamina não causem dor física, não subestime seu poder. Falamos de ‘dores de fome’ se ficarmos um dia sem comer; pode haver ruídos no estômago, mas não há nenhuma dor física. Mesmo assim, a fome é uma força poderosa e é provável que nos tornemos muito irritáveis quando privados de comida. É semelhante a quando nosso corpo anseia por uma dose de dopamina, a diferença é que nosso corpo precisa de comida, não de veneno. Com o estado de espírito correto, as dores de abstinência são facilmente superadas e desaparecem muito rapidamente.

Depois de se abster por alguns dias no método da força de vontade, o desejo por fluxos de dopamina logo desaparece. É o segundo fator - lavagem cerebral - que causa dificuldade. O usuário adquiriu o hábito de aliviar as dores de abstinência em determinados momentos e ocasiões, o que provoca uma associação de ideias (“Estou com uma ereção, por isso devo assistir pornografia” ou “Estou na cama com meu laptop e preciso ter uma sessão para me sentir feliz”). O efeito é melhor ilustrado com um exemplo: você tem um carro e o indicador da seta fica à esquerda, mas no seu antigo estava à direita. Você sabe que está à esquerda, mas por algumas semanas você liga os limpadores de para-brisa quando quer indicar.

Parar é semelhante, durante os primeiros dias o mecanismo de gatilho funcionará em determinados momentos. Você vai pensar em querer uma sessão, então, portanto, combater a lavagem cerebral é essencial desde a estaca zero e fará com que esses gatilhos desapareçam rapidamente. No método da força de vontade, porque o usuário acredita que está fazendo um sacrifício, eles lamentam e esperam a vontade de ir embora; longe de remover esses mecanismos de gatilho na verdade estão aumentando-os. Da mesma forma, sob o pensamento do guru, o usuário começa a se perguntar quando vai se tornar um Deus e até exige que não deva ter esses pensamentos, abrindo caminho para auto-aversão e fracasso.

Um gatilho comum é o tempo sozinho, especialmente em eventos sociais com amigos. O ex-usuário que usa outros métodos para parar já se sente infeliz por se sentir privado de sua muleta ou prazer habituais. Seus amigos estão com suas namoradas e agem intimamente. O usuário é solteiro ou não está ‘recebendo’ nada de sua parceira e agora não desfruta mais do que deveria ser uma agradável ocasião social. Seus canos cerebrais existentes os levam ao pornô, o que é mais fácil do que tentar cortejar sua companheira.

Por causa da associação do direito ao sexo com seu bem-estar, eles agora estão sofrendo um golpe triplo e a lavagem cerebral foi aumentada. Se eles forem decididos e puderem resistir por tempo suficiente, eles eventualmente aceitarão seu destino e seguirão com suas vidas. No entanto, parte da lavagem cerebral ainda permanece, o segundo aspecto mais patético sendo o usuário ter abandonado, mas mesmo depois de vários anos ainda anseia “apenas uma última visita ao harém” em certas ocasiões. Eles anseiam por uma ilusão que existe apenas em suas mentes, e eles se torturam desnecessariamente.

Mesmo no EasyPeasy, responder aos gatilhos é a falha mais comum. O ex-usuário tende a considerar a pornografia na Internet uma espécie de placebo ou pílula de açúcar. Pensar: “Sei que a pornografia não faz nada por mim, mas se eu acho que sim, em certas ocasiões, iria me ajudar”. Uma pílula de açúcar, embora não ofereça nenhuma ajuda física real, pode ser um poderoso auxílio psicológico para aliviar sintomas genuínos e, portanto, é benéfica. Pornografia na Internet e masturbação habitual, no entanto, não são pílulas de açúcar. Por quê? A pornografia cria os sintomas que ela alivia e não consegue aliviá-los completamente.

Você pode achar mais fácil entender o efeito quando relacionado a um não usuário ou a um usuário bem-sucedido que abandonou há vários anos. Considere o caso de um usuário que perde seu parceiro, é bastante comum nessas horas, com a melhor das intenções, dizer: “Faça uma visitinha ao harém, isso vai te ajudar a acalmar.” Se a oferta for aceita, não terá um efeito calmante, pois não há vício em dopamina e, portanto, não há dores de abstinência. Na melhor das hipóteses, tudo o que fará é dar a eles um impulso psicológico momentâneo.

Depois que a sessão termina, a tragédia original está lá. Na verdade, ela será aumentada porque a pessoa agora sofre dores de abstinência, a escolha será: suportá-las; ou se aliviar por meio da repetição dos passeios nos tobogãs para começar a cadeia de miséria novamente. Toda a pornografia fornecida foi um impulso psicológico fugaz, o mesmo que poderia ser alcançado por um livro ou filme alegre, ou mesmo um ruim. Muitos não-usuários e ex-usuários se tornaram viciados novamente em tais ocasiões. Deixe bem claro em sua mente: você não precisa do ímpeto de dopamina e está apenas se torturando ainda mais, continuando a considerá-la uma espécie de suporte ou impulso. Não há necessidade de se sentir miserável.

Orgasmos não fazem boas relações; na maioria das vezes, arruina-as. Lembre-se também de que não é totalmente verdade que aqueles que fazem demonstrações públicas de afeto aproveitem todas as ocasiões. A intimidade é melhor aproveitada em privado, onde os parceiros podem responder sem constrangimento, você não precisa ser um viciado em dopamina induzido pelo orgasmo. Se isso acontecer como resultado natural de uma série de eventos da vida, tudo bem, mas aproveite a ocasião e a vida sem isso.

Depois de abandonar o conceito de pornografia como algo prazeroso em si, muitos usuários pensam “Se ao menos houvesse pornografia leve e limpa na internet”. Existe pornografia leve e limpa, e qualquer um que tentar logo descobrirá que é uma perda de tempo. Deixe claro em sua mente que o único motivo pelo qual você tem usado pornografia é para obter o fluxo de dopamina. Depois de se livrar do desejo de dopamina por pornografia, você não precisará mais visitar seu harém online.

Quer as dores sejam devidas a sintomas reais de abstinência de dopamina ou a mecanismos de gatilho / sugestão, aceite. A dor física é inexistente e com o estado de espírito certo não será um problema. Não se preocupe com o período de abstinência, a sensação em si não é ruim. É a associação com querer e sentir-se privado que é o problema. Em vez de ficar lamentando, reconheça: “Eu sei o que é isso, é a dor de abstinência da pornografia. É isso que os usuários sofrem por toda a vida e os mantém viciados. Os não usuários não sofrem essas dores, isso é outro de muitos males desse vício mentiroso. Não é maravilhoso que eu esteja limpando esse mal do meu cérebro?!”

Em outras palavras, nas próximas três semanas você terá um leve trauma dentro de seu corpo, mas durante essas semanas e pelo resto de sua vida algo maravilhoso estará acontecendo. Você estará se livrando de uma doença terrível, com os bônus superando em muito o leve trauma, então realmente desfrutando das dores de abstinência. Eles se tornarão momentos de prazer, como um jogo emocionante para matar de fome o verme pornográfico que vive em seu estômago. Você tem que deixá-lo passar fome por três semanas enquanto ele tenta te fazer ir para a cama para mantê-lo vivo.

Às vezes, ele vai tentar fazê-lo miserável. Às vezes, você será pego de surpresa. Você receberá um URL pornográfico ou topará com algo on-line e esquecerá que parou, uma leve sensação de privação quando lembrado. Esteja preparado para esses truques com antecedência e, seja qual for a tentação, coloque em sua mente que ele só está lá por causa do monstro dentro do seu corpo e toda vez que você resiste à tentação, você desfere outro golpe moral na batalha.

Faça o que fizer, não tente esquecer a pornografia. Esta é uma das coisas que causa aos PMOers que usam o método da força de vontade longas horas de depressão. Eles tentam passar cada dia na esperança de que, eventualmente, simplesmente se esqueçam disso. É como não conseguir dormir - quanto mais você se preocupa com isso, mais difícil se torna. De qualquer forma, você não poderá esquecer, pois nos primeiros dias o ‘monstrinho’ continuará lembrando você e você não será capaz de evitá-lo. Enquanto ainda houver laptops, smartphones e revistas por aí, você terá lembretes constantes.

A questão é que você não precisa esquecer, nada de ruim está acontecendo. Na verdade, algo maravilhoso e maravilhoso está acontecendo e mesmo que você esteja pensando nisso mil vezes por dia, saboreie cada momento, lembre-se de como é maravilhoso ser livre novamente. Lembre-se da alegria absoluta de não ter que se torturar mais. Como dito anteriormente, você descobrirá que as dores se tornam momentos de prazer, ficando surpreso com a rapidez com que se esquecerá da pornografia.

Faça o que fizer, não duvide de sua decisão. Quando você começar a duvidar, começará a lamentar e isso vai piorar. Em vez disso, use esse momento de lamentação e converta-o em um impulso. Se a causa for depressão, lembre-se de que a pornografia estava causando isso. Se você recebeu um URL de um amigo, orgulhe-se de dizer: “Fico feliz em dizer que não preciso mais disso”. Isso vai machucá-los, mas quando virem que não está incomodando você, estarão a meio caminho para se juntar a você.

Lembre-se: você tem motivos incrivelmente poderosos para parar. Lembre-se dos custos e pergunte-se se você realmente quer arriscar o mau funcionamento de seu corpo, mente e o simples fato de que estará vivendo sob um feitiço pelo resto de sua vida. Esteja atento aos esforços do monstrinho para minimizar os perigos e, acima de tudo, lembre-se de que a sensação é apenas temporária, e cada momento está um momento mais perto de seu objetivo.

Alguns usuários temem que terão que passar o resto de suas vidas revertendo ‘gatilhos automáticos’. Em outras palavras, acreditando que terão que passar por suas vidas se enganando que não precisam de pornografia por meio da psicologia. Não é assim, lembre-se de que o otimista vê a garrafa meio cheia e o pessimista a vê meio vazia. No caso da pornografia, o copo está vazio e o usuário vê como cheio. Não há vantagens em usar pornografia na Internet. É o usuário que passou por uma lavagem cerebral para pensar que existem. Uma vez que você comece a dizer a si mesmo que não precisa ou quer pornografia, em muito pouco tempo você nem mesmo precisará dizer, vendo a bela verdade por si mesmo. É a última coisa que você precisa fazer; certifique-se de que não é a última coisa que você faz.

1 Like

Capítulo 23: Mas vai ser apenas uma Olhadinha

Esta é a destruição de muitos que usam o método da força de vontade. Eles passarão por três ou quatro dias e, em seguida, darão uma olhadinha estranha que irá derrubá-los. Eles não percebem o efeito devastador que isso tem em sua moral.

Para a maioria dos usuários, a primeira espiada nos sites online não foi tão boa quanto sexo com uma pessoa real. Os clipes leves estão distantes e misturados, dando um impulso à mente consciente. Pensando: "Bom, isso não foi totalmente agradável. Estou perdendo o desejo e não gosto de coisas chocantes.” Na verdade, o inverso é o caso. Deixe claro em sua mente, o prazer do orgasmo não foi a razão de você parar de pornografia. Se os usuários estivessem lá apenas pelo orgasmo, eles nunca assistiriam a mais de um clipe. A única razão pela qual você precisava de pornografia era alimentar aquele monstrinho. Basta pensar, depois de passar fome por quatro dias, como aquela espiada deve ter sido preciosa. Sua mente consciente não está ciente, mas a correção que seu corpo recebeu é comunicada ao seu subconsciente, e toda a sua boa preparação será prejudicada. Eles serão uma vozinha no fundo de sua mente dizendo que, apesar de toda a lógica, as sessões são preciosas e que você quer outra.

Essa pequena espiada tem dois efeitos prejudiciais:

  1. Isso mantém o monstrinho vivo em seu corpo.

  2. Pior, mantém o grande monstro vivo em sua mente. Se você deu a ‘última espiada’, será mais fácil dar a próxima.

A pornografia é uma ratoeira sem queijo, apenas veneno. Usando a força de vontade, você precisa se convencer a não pegar o queijo, mas o EasyPeasy permite que você veja que é veneno. Você não precisa evitá-lo, apenas vá para ela.

Acima de tudo, lembre-se:

“Apenas uma olhadinha” é como as pessoas entram no vício em primeiro lugar.

Capítulo 24: Será mais difícil para mim?

Existem infinitas combinações de fatores que determinam a facilidade com que cada usuário individual desistirá. Para começar, cada um de nós tem seu próprio caráter, carreira, circunstâncias pessoais, tempo, metabolismo, etc. Certas profissões podem tornar isso mais difícil do que outras, mas desde que a lavagem cerebral seja removida, isso não precisa ser assim. Veja os exemplos a seguir.

Ocasionalmente, é difícil para os membros da profissão médica. Achamos que deveria ser mais fácil para os médicos porque eles estão mais cientes dos efeitos, mas embora isso forneça razões mais fortes para parar, não torna mais fácil de realizar. As razões são as seguintes:

  1. A consciência constante dos riscos à saúde cria medo, uma das condições em que precisamos aliviar as dores de abstinência.

  2. O trabalho de um médico é extremamente estressante e eles geralmente são incapazes de aliviar o estresse adicional das dores de abstinência durante o trabalho.

  3. Eles têm o estresse adicional da culpa, sentindo que deveriam ser um exemplo para o resto da população. Isso coloca mais pressão sobre eles e aumenta a sensação de privação.

Depois de um árduo dia de trabalho em que o estresse é momentaneamente aliviado pela pornografia, aquela sessão torna-se incorretamente ligada ao alívio experimentado. Por causa dessa má associação de idéias, a pornografia leva o crédito por toda a situação, tornando-se subitamente muito preciosa ao parar e passar por dores de abstinência. Esta é uma forma de usuário casual e se aplica a qualquer situação em que o usuário seja forçado a se abster por longos períodos. No método da força de vontade, o usuário fica infeliz porque está sendo privado e não está gostando do cansaço e do sono que vem após uma sessão. Sua sensação de perda é grandemente aumentada. No entanto, se você puder primeiro remover a lavagem cerebral e a tristeza em relação à pornografia, a pausa e o sono ainda podem ser desfrutados mesmo quando o corpo deseja os transmissores de amina - serotonina, norepinefrina e dopamina.

Outra situação difícil é o tédio, principalmente quando combinado com períodos de estresse. Exemplos típicos são estudantes e pais solteiros, cujo trabalho é estressante, mas monótono. Durante uma tentativa de parar com método da força de vontade, a pessoa solteira tem longos períodos para lamentar sua “perda”, o que por sua vez aumenta os sentimentos de depressão. Novamente, isso pode ser facilmente superado se seu estado de espírito estiver correto. Não se preocupe se você for continuamente lembrado de que parou de pornografia. Use esses momentos para se alegrar com o fato de estar se livrando do monstro maligno.

Se você tiver um estado de espírito positivo, essas dores se tornarão momentos de prazer. Lembre-se de que qualquer usuário, independentemente de idade, sexo, inteligência ou profissão, pode achar fácil e agradável parar, desde que siga todas as instruções.

24.1 Razões primárias para a falha

Existem duas razões principais para o fracasso. O primeiro sendo a influência de estímulos externos - um comercial, uma notícia online, uma navegação na internet, etc. Eles se encontram em um momento de fraqueza, ou até mesmo ficam com ciúmes ao ver intimidade em cenários sociais. Este tópico já foi discutido longamente. Use o momento para se lembrar de que não existem coisas como uma visita ou espiada. Alegre-se por ter quebrado a corrente da escravidão mental. Lembre-se que o usuário inveja você e você deve sentir pena dele, pois ele precisa.

O outro motivo é ter um dia ruim. Deixe claro antes de começar, que seja você um usuário ou não, você terá dias bons e ruins. Chove tanto para o papa quanto para o assassino. A vida é relativa e você não pode ter altos sem baixos. O problema com o método da força de vontade é que assim que o usuário tem um dia ruim, ele começa a lamentar por uma visita ao ‘harém’, o que agrava ainda mais o problema. O não-usuário está mais bem equipado para lidar com tensões e preocupações, não apenas fisicamente, mas mentalmente. Se você tiver um dia ruim durante o período de abstinência, enfrente de peito aberto; lembre-se de que existiam dias ruins quando você era viciado, caso contrário, você não teria decidido parar. Em vez de ficar deprimido, reconheça: "Ok, então hoje não está tão bom, mas a pornografia não resolver isso. Amanhã será melhor e pelo menos eu tenho um bônus maravilhoso, acabei com aquele vício terrível.”

Quando você é um usuário de pornografia, você tem que bloquear sua mente para os efeitos negativos da pornografia. Os usuários nunca têm confusão mental, eles estão apenas “um pouco abatidos”. Quando você está enfrentando os problemas inevitáveis da vida e pensa em querer pornografia, você fica feliz e alegre? Claro que não. Depois que você para a tendência é culpar tudo que dá errado no fato de você ter parado.

Se o trabalho estressa você, você pensa: “Em momentos como este, eu teria uma sessão.” Isso é verdade, mas a coisa importante que você esqueceu é que a pornografia não resolveu o problema e você está simplesmente se punindo por muletas ilusórias. Você está criando uma situação impossível, miserável porque não pode se masturbar vendo pornô, mas ficará ainda mais miserável se o fizer. Você sabe que tomou a decisão correta ao parar, então por que punir a si mesmo duvidando de sua decisão?

Lembre-se de que uma abordagem mental positiva é essencial - sempre.