ūüĒó V√≠cio em Pornografia - Sintomas, Relatos e Enquetes


:link: Vício em Pornografia - Sintomas, Relatos e Enquetes





O intuito desse tópico é dar uma base a todos que estão confusos sobre o vício em pornografia.

Nota: Para mais informa√ß√Ķes baixe o e-book (vers√£o gratuita) ou entrem no site do criador do mesmo no final do post.



  • Sintomas mais comuns do v√≠cio em pornografia.

(A-Z)
(toque para expandir)


Ansiedade Social

Ansiedade Social: Conhecida tamb√©m como fobia social ou transtorno de ansiedade social. Nela a pessoa se sente ansiosa em ‚Äúsitua√ß√Ķes sociais‚ÄĚ, quando poderia se sentir observada pelos outros. A pessoa fica insegura, temendo pelo seu desempenho e preocupada com o que poder√£o pensar dela naquele estado. O grau de ansiedade pode ser muito intenso, podendo chegar a uma crise aguda de ansiedade.

As situa√ß√Ķes sociais temidas podem ser variadas, como escrever na frente dos outros, falar em p√ļblico, comer em locais p√ļblicos, entrar em lugares cheios, ir a um evento social, fazer uma entrevista de emprego, encontrar um conhecido etc.

A fobia social se diferencia da timidez comum:

  1. Pelo grau de intensidade da ansiedade gerada antes e durante a situação social.

  2. Pelo grau de prejuízos que traz à vida da pessoa, com comprometimentos que alcançam a esfera profissional, escolar e social.

Por esta raz√£o √© tamb√©m chamada de ‚Äútimidez patol√≥gica‚ÄĚ.


Baixa Autoestima

Autoestima: a estima que temos por nós mesmos, baseada numa auto-imagem e na consciência que temos sobre nós como um todo. A perceção que temos dos nossos recursos internos, e a forma como os utilizamos, se a nosso favor (alta autoestima), ou contra nós (baixa autoestima).

Baixa Autoestima: é uma característica comum das pessoas que se sentem inadequadas consigo mesmas, com os outros, e com a vida em geral.

Ela revela uma ausência de maturidade emocional, uma existência de crenças profundas auto-sabotadoras, e demasiadas regras internas que não permitem a nossa expansão em todas as áreas de vida.


Compuls√£o Sexual

Compuls√£o Sexual: √© caracterizada por fantasias e comportamentos sexuais (por exemplo, masturba√ß√£o excessiva, o uso excessivo de pornografia, m√ļltiplos parceiros sexuais ocasionais) que aumentam de intensidade e frequ√™ncia ao longo do tempo causando consequ√™ncias adversas na vida, incluindo as aspira√ß√Ķes pessoais , rela√ß√Ķes interpessoais, e atividades profissionais.

O Comportamento sexual compulsivo ocorre quando apresentamos um comportamento sexual muito frequente e pelo menos mais tr√™s dos seguintes aspectos, nos √ļltimos 12 meses:

  1. Toler√Ęncia, nos entregamos a pr√°ticas sexuais cada vez mais intensas e freq√ľentes para se obter a mesma satisfa√ß√£o que havia no in√≠cio do quadro;
  2. Abstinência, mal estar físico e/ou psicológico, quando tentamos diminuir ou evitar o sexo;
  3. Ocupamos mais tempo e com maior intensidade com o sexo com outras pessoas ou nos masturbando;
  4. Fracassamos quando tentamos controlar o comportamento sexual;
  5. Gastamos muito tempo e energia buscando o sexo;
  6. Começamos a nos ocupar do sexo quando deveríamos estar trabalhando ou com nossos entes queridos;
  7. Continuamos com o comportamento sexual mesmo percebendo que est√° nos prejudicando.

Confusão Mental e Perda de Memória

Confus√£o Mental: √© a incapacidade que uma pessoa tem de pensar com clareza e agilidade. A confus√£o est√° relacionada, tamb√©m, √† sensa√ß√£o de desorienta√ß√£o e a dificuldades para tomar decis√Ķes, prestar aten√ß√£o e lembrar de determinadas coisas.

Perda de Mem√≥ria: √© dito estar presente quando uma pessoa perde a capacidade de lembrar eventos e informa√ß√Ķes de que eles poderiam lembrar regularmente ou normalmente.

Ela pode lidar com coisas que ouvi ou vi dentro de alguns minutos ou segundos ou algo que ocorreu no passado.


Crise de Abstinência

Crise de Abstin√™ncia: (S√≠ndrome de abstin√™ncia) Sintomas mentais e f√≠sicos que ocorrem ap√≥s a interrup√ß√£o ou diminui√ß√£o no consumo de uma subst√Ęncia que causa depend√™ncia.

O vício pode vir acompanhado de dependência física e sintomas de abstinência. Muitos usuários compulsivos de pornografia se surpreendem com suas síndromes de abstinência, que se compara àquelas sentidas por usuários de álcool e drogas.

Alguns acreditam que somente drogas, e não comportamentos é que podem causar vícios, mas isso é um equivoco. Especialistas da área definem o vício de várias formas. Sucintamente, as etapas de desenvolvimento do vício são as seguintes:

  1. Comportamento impulsionado por emo√ß√Ķes que progridem da busca para a compuls√£o;
  2. Uso contínuo sob o risco de consequências adversas;
  3. Perda de controle.

Depress√£o

Depressão: é um termo utilizado na psiquiatria para designar um transtorno de humor, uma síndrome em que a principal queixa apresentada pelos pacientes é o humor depressivo e às vezes irritável, durante a maior parte do dia.

No entanto, a depress√£o √© considerada muito mais profunda do que a tristeza. A palavra ‚Äúdepress√£o‚ÄĚ vem do latim depressio, de deprimere, que significa ‚Äúapertar firmemente", "para baixo‚ÄĚ.

As fun√ß√Ķes ps√≠quicas e a motricidade do indiv√≠duo com depress√£o ficam mais lentas, al√©m de haver diminui√ß√£o da capacidade de aten√ß√£o e concentra√ß√£o.

Tamb√©m est√£o presentes pensamentos negativos constantes, sentimento de culpa, sensa√ß√£o de inutilidade, diminui√ß√£o do prazer e do √Ęnimo para atividades cotidianas e de lazer, al√©m de perda da capacidade de planejar o futuro.‚Äč


Desinteresse Sexual

Pela Parceira(o): Esse sintoma é um dos mais comuns. Afinal, o que torna uma pessoa viciada em pornografia é a busca constante por variedade que leva diretamente a dessensibilização. Logo, no decorrer do vício, a tendência é a pessoa enjoar mais rapidamente do seu parceiro, estando muitas vezes indiferente a ele ou então tendo que fantasiar durante a relação para manter a ereção ou a lubrificação vaginal.

Pelo Sexo Real: A pornografia apresenta a capacidade de reduzir a concentração de dopamina, que representa um neurotransmissor responsável pela activação da sensação de prazer no cérebro.

A redução da presença deste neurotransmissor é potenciada pelo simples facto da pornografia a que se pode ter acesso nos dias de hoje ser tão vasta e diversificada, o que faz com que certas pessoas comecem a encarar o sexo como algo extremamente trivial e pouco entusiasmante.


Disfunção Erétil

Disfun√ß√£o Er√©til (DE): Incapacidade de manter uma ere√ß√£o durante a rela√ß√£o sexual. Existe a Disfun√ß√£o Er√©til f√≠sica, oriunda de algum problema fisiol√≥gico no p√™nis ou do avan√ßo da idade (mais comum em pessoas acima de 40 anos), a Disfun√ß√£o Er√©til psicol√≥gica que se caracteriza pela ansiedade e pelo medo de ter uma performance sexual ruim (mais frequente entre adolescentes) e a Disfun√ß√£o Er√©til Induzida Pela Pornografia, tamb√©m conhecida como PIED ‚ÄúPornography Induced Erectile Dysfunction‚ÄĚ a mais comum e que afeta a maioria dos usu√°rios de pornografia depois de algum tempo (independente da idade). A Disfun√ß√£o Er√©til induzida pela pornografia est√° diretamente relacionada ao consumo de pornografia e a desregula√ß√£o de dopamina no sistema nervoso.


Ejaculação Precoce

Ejaculação Precoce (EP): Tendência a ejacular muito rapidamente. Pode ou não ser induzida pelo vício em pornografia.


Ejaculação Retardada

Ejacula√ß√£o Retardada (ER): Do ingl√™s ‚ÄúDelayed ejaculation (DE)‚ÄĚ √© o retardamento da ejacula√ß√£o ou demora em ejacular. Muitos usu√°rios de pornografia relataram que a ejacula√ß√£o retardada induzida pelo v√≠cio, depois de um tempo, foi a precursor a das suas Disfun√ß√Ķes Er√©teis (DE).


Hipofrontalidade

Hipofrontalidade: dist√ļrbios na regi√£o pr√©-frontal do c√©rebro, que √© respons√°vel por avaliar impulsos e gerar a tomada de decis√£o.

O v√≠cio em pornografia fortalece e sensibiliza liga√ß√Ķes neurais ligadas ao prazer irracional e enfraquecem as liga√ß√Ķes neurais da raz√£o e do controle executivo que residem no c√≥rtex pr√©-frontal. Tamb√©m conhecido como ‚Äúhipofrontabilidade‚ÄĚ, esse fen√īmeno pode ser positivo em alguns casos, pois √© respons√°vel por desenvolver capacidades criativas e a flexibilidade mental. Por√©m, no caso do v√≠cio em pornografia, ele √© completamente danoso uma vez que enfraquece demasiadamente essa parte do c√©rebro respons√°vel por cumprir metas e objetivos de longo prazo, em troca de um prazer imediato e artificial de curto prazo.


Objetificação do Sexo Oposto

Objetificação: Processo que atribui ao ser humano a natureza de um objeto material, tratando-o como um objeto ou coisa.

Podemos pensar em objetifica√ß√£o exatamente como o termo nos faz entender: transformar em objeto. √Č anular o emocional e o psicol√≥gico do ser (humano ou n√£o) retirando-o da sua posi√ß√£o de sujeito, com seus pr√≥prios desejos e vontades, transformando-o em um objeto passivo de receber quaisquer a√ß√Ķes de outros (por sua vez considerados sujeitos).


Pensamentos Suicidas (editando)

Suicídio: é o ato intencional de matar a si mesmo. Sua causa mais comum é um transtorno mental e/ou psicológico que pode incluir depressão, transtorno bipolar, esquizofrenia, alcoolismo e abuso de drogas [e pornografia]. Dificuldades financeiras e/ou emocionais também desempenham um fator significativo.


Perda de Sensibilidade

No Pênis (Death Grip): Forçar demais o pênis durante a masturbação. Em longo prazo pode acarretar a dessensibilização completa do pênis para a relação sexual normal através de um intercurso comum a vagina, reduzindo o prazer e dificultando o orgasmo.

Na Vagina (Death Schlick): A vers√£o feminina da ‚ÄúDeath Grip‚ÄĚ. Ao estimular demais o clit√≥ris de forma r√°pida e forte, a mulher passa aos poucos a perder a sensibilidade na vagina.


Procrastinação

Procrastinação: é o ato de adiar algo ou prolongar uma situação para ser resolvida depois.

A procrastinação é um comportamento considerado normal ao ser humano, no entanto pode ser muito prejudicial quando começa a impedir o funcionamento de rotinas pessoais ou profissionais.

O verbo procrastinar √© utilizado no sentido de negligenciamento de atividades, ou seja, quando um trabalho n√£o recebe a devida aten√ß√£o e import√Ęncia que deveria, sendo deixado de lado para a produ√ß√£o de outras atividades menos importantes.


Principio de Desenvolvimento de Psicopatias Sexuais

Psicopatia: dist√ļrbio mental grave em que o enfermo apresenta comportamentos antissociais e amorais sem demonstra√ß√£o de arrependimento ou remorso, incapacidade para amar e se relacionar com outras pessoas com la√ßos afetivos profundos, egocentrismo extremo e incapacidade de aprender com a experi√™ncia.

Psicopatia Sexual: tem lugar quando a atividade sexual convencional ou desviada se dá através de um comportamento psicopático. Esta atitude psicopática deve ser suspeitada quando, por exemplo, há transgressão, através de uma conduta anti-social, voluntária, consciente e erotizada, realizada como busca exclusiva de prazer sexual.

Também deve ser suspeitada de psicopatia sexual quando há maldade na atitude perpetrada, isto é, quando o contraventor é indiferente à idéia do mal que comete, não tem crítica de seu desvio e nem do fato deste desvio produzir dano a outros. O sexopata goza com o mal e experimenta prazer com o sofrimento dos demais. Ainda de acordo com o perfil sociopático (ou psicopático), seu delito sexual costuma ser por ele justificado, distanciando-se da autocrítica. Normalmente dizem que foram provocados, assediados, conduzidos, etc.


Relacionamentos Doentios. (editando)

This text will be hidden


Transtorno Obsessivo-Compulsivo (editando)

Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC): √© considerado um tipo de transtorno de ansiedade que envolve a recorrente, obsess√Ķes n√£o desejadas e compuls√Ķes repetitivas.

Obsess√Ķes s√£o pensamentos intrusivos que causam grande sofrimento, apesar de que o indiv√≠duo percebe que as obsess√Ķes representam medos exagerados que s√£o pouco prov√°veis de acontecer.

Essas obsess√Ķes s√£o preocupa√ß√Ķes que v√£o al√©m da ansiedade sobre os problemas do dia-a-dia. O indiv√≠duo tenta neutraliz√°-las com um determinado tipo de comportamento ou pensamento, chamado de compuls√£o. Ele sente que suas compuls√Ķes devem ser realizadas em respostas as obsess√Ķes. As compuls√Ķes s√£o implementadas estritamente para reduzir a ansiedade ou impedir um temido resultado.


Vergonha e Culpa. (editando)

Culpa: A culpa que sentem as pessoas que veem pornografia pode surgir devido a diversos fatores. Entre os mais comuns está um senso de moralidade, que indica que há algo de errado nesse comportamento. E não importa qual é a posição filosófica, religiosa e a visão de mundo da pessoa, não há como negar que há algo de errado com a pornografia, especialmente quando se conhece os prejuízos que ela causa.

Esse sentimento de culpa pode ter um lado positivo. Ele pode atuar como um indicador de que a pessoa está trilhando um caminho que não é desejável, e assim se tornar um passo importante no processo de mudança.

Para algumas pessoas a culpa pode ser paralisadora. Elas sofrem com a culpa porque creem que ‚Äútudo deve ser pago‚ÄĚ, ou seja, que seus maus comportamentos devem sofrer consequ√™ncias justas. Assim, elas ‚Äúrealmente pagam, quase literalmente, com a sua sa√ļde. A tremenda agonia desta culpa √© uma esp√©cie de sacrif√≠cio expiat√≥rio que est√£o rendendo‚ÄĚ.


Voz Fraca e Falta de Energia. (editando)

This text will be hidden



  • Reboot

Benefícios do Reboot

Reboot: O processo de restaurar o cérebro para a sensibilidade de antes do vicio em pornografia. Por analogia, seria um processo semelhante a desintoxicação usado em outros tipos de vício. Demora de 90 a 100 dias em média.

(A-Z)

  • Descoberta de novos hobbies.
  • Fim da compuls√£o por acessar sites pornogr√°ficos.
  • Fim da depress√£o e da ansiedade.
  • Fim da Disfun√ß√£o Er√©til e volta das ere√ß√Ķes espont√Ęneas.
  • Maior autoestima.
  • Maior seletividade na escolha de parceiros.
  • Mais tempo livre.
  • Melhora na vida afetivo/sexual.
  • Melhora nos relacionamentos em geral.
  • Normaliza√ß√£o da libido.
  • Parar de ver as outras pessoas, sobretudo as mulheres, como objetos.
  • Percep√ß√£o maior.
  • Receber maior aten√ß√£o do sexo oposto.
  • Redescoberta de prop√≥sito de vida e empolga√ß√£o para com a vida.
  • Revers√£o da Ejacula√ß√£o Retardada e da Ejacula√ß√£o Precoce.
  • Revers√£o e/ou diminui√ß√£o do HOCD
    Maior Socialização.
  • Rosto mais vibrante e pele mais limpa.
  • S√™men mais consistente.
  • Volta do foco, concentra√ß√£o, mem√≥ria e capacidade de planejar e concluir metas.
  • Voz grossa.

Relatos de Sucesso (EM CONSTRUÇÃO)
@Vazio

Relato:


@Vazio

Relato:


@Vazio

Relato:


@Vazio

Relato:


@Vazio

Relato:



  • E-book: V√≠cio em Pornografia - Como Parar? (vers√£o gratuita)

Screenshot_2018-03-31-13-44-58-01-62x88
(download)


Agradeço ao @Kinhus , @795224890578427907125 e @EstoVir por terem me ajudado cada um de alguma forma.

Muitas informa√ß√Ķes aqui contidas foram retiradas tanto do e-book quanto do site vicioempornografiacomoparar.com


AVISOS:

  • Relatos ser√£o adicionados.

Como ir para o topo do tópico:

1¬į - Toque no n√ļmero de mensagens:


2¬į - Toque na op√ß√£o de cima (ir para o topo):

3 Likes

  • Enquete


Quais desses sintomas j√° se manifestaram em sua vida?
(Privado; M√ļltipla Escolha)


  • Ansiedade Social
  • Baixa Autoestima
  • Compuls√£o Sexual
  • Confus√£o Mental e Perda de Mem√≥ria
  • Crise de Abstin√™ncia
  • Depress√£o
  • Desinteresse Pela Parceira(o)

0 voters

  • Desinteresse Pelo Sexo Real
  • Disfun√ß√£o Er√©til
  • Ejacula√ß√£o Precoce
  • Ejacula√ß√£o Retardada
  • Hipofrontalidade
  • Objetifica√ß√£o do Sexo Oposto.
  • Pensamentos Suicidas

0 voters

  • Perda de Sensibilidade (P√™nis ou Vagina)
  • Procrastina√ß√£o
  • Psicopatias Sexuais
  • Relacionamentos Doentios
  • TOC (Relacionados a sexo; HOCD; POCD‚Ķ)
  • Vergonha e Culpa
  • Voz Fraca e Falta de Energia

0 voters


* Esses são só alguns dos sintomas relacionados com o vício em pornografia.
* Al√©m de um moderador, n√£o √© poss√≠vel editar informa√ß√Ķes de uma enquete.