Diário do Renascido

104 dias :white_check_mark::latin_cross:

De manhã, no ônibus vi uma garota que parecia alguém com quem eu conversava pela internet e recaía muito nas conversas luxuriosas com ela. Eu não sei se era ela. Mas aquilo me afetou. Eu ainda não sei discernir até que ponto determinados pensamentos são pecados, já que vieram pensamentos luxuriosos, mas logo em seguida eu rezava… Me afastava dela, mas ao mesmo tempo olhava pra ela… Uma luta interior. Sei que fiquei com uma certa agitação interior e um certo incômodo. Eu não sei até que ponto eu pequei por pensamentos, até que ponto essa agitação interior era de ter encontrado alguém que tanto me remetia ao vício. Sei que após receber o Sacramento da Confissão eu ne senti bem melhor.

Eu me lembro também que logo no início dessa minha streak eu também vi (e também não tenho certeza se era ela) uma ex namorada minha, cujas conversas com ela tinham efeito pior que pornografia para mim.

Ali pensei: tô lascado. Ir até ela era recaída na certa. Aí eu comecei a rezar, a pedir socorro a Jesus e Nossa Senhora. É muito difícil, pois o seu lado luxurioso e viciado quer aquilo, o reencontro com alguém que vai te levar para baixo. Mas lembrei do livro de Santo Afonso: na hora da tentação, reze que Deus te socorre. E pensar que se colhi tudo o que colhi nesses mais de 100 dias limpo foi porque pedi a Deus ajuda nesse momento de tentação pesada (determinadas mulheres para mim tinham a capacidade de me fazer recair pior que pornografia).

E pior que, se era ela, ela trabalha perto do meu serviço. Mas eu nunca mais passei lá. Considero que se eu for lá eu já estou recaindo. Eu já estou buscando “pornografia”. Já estou agindo como Judas Iscariotes, que mesmo recebendo do Pão da Vida e sentado à mesa de Santa Eucaristia, trai Jesus Cristo.

Aliás isso é algo que eu peço todos os dias e - depois de hoje - estou vendo que preciso pedir mais: a graça de não ser um Judas, de não trair Cristo. Porque hoje eu vi o quanto sou fraco diante da tentação.

A luta interior é grande. Um lado meu quer a luxúria, o sexo pelo sexo, mulheres luxuriosas, caminho que na melhor das hipóteses termina no de sempre: auto-destruição. Na melhor das hipóteses, pois tem coisas ainda piores a que esse caminho leva. Outro lado meu sabe que esse caminho é sem futuro e que aos quase 36 anos (e 24 anos afundado nesse vício) eu preciso encontrar uma mulher para amar e construir família, tudo dentro da amizade com Deus, que tem me dado inumeráveis graças e melhorias na minha vida.

Enfim, É uma luta. Não é fácil. Mas estou de pé, graças a Ele, através da oração e dos Sacramentos da Confissão e da Eucaristia. Vamos em frente.

2 Likes

Animo irmão! Ate donde sei, pensamentos q voce rechaza nao sao pecados, e uma dica si te faz mal alguem melhor nao ficar olhando.
Q bom q voce tem 104 dias, eu estou no dia 1.
Vamos para frente.:raised_hands:

3 Likes

117 dias :white_check_mark::latin_cross:

Deixo aqui um versículo para nossa reflexão:

“Pedis e não recebeis, porque pedis mal, com o fim de satisfazerdes as vossas paixões.” (Tg 4, 3)

Quer dizer, se estamos pedindo e não estamos recebendo, é porque Deus está vendo que queremos graças para usá-las de forma errada, para o pecado.

Isso sempre aconteceu comigo. Sempre quis abandonar PMO para “pegar geral”, sexo fácil sem compromisso, etc. Abandonar a pornografia para exercer, digamos, uma sexualidade pornográfica.

Mudar isso é uma luta, não é fácil, só é possível com a graça de Deus. Mas acho que devemos mirar o amor e não o sexo, que será consequência do amor.

Quer dizer, só teremos a ajuda de Deus se quisermos trilhar o caminho Dele, que envolve a castidade e o sexo como consequência do amor. Até porque o sexo sem o amor é como a masturbação e a pornografia: é prazer sem conexão, prazer vazio, é pura descarga.

2 Likes

120 dias :white_check_mark::latin_cross:

4 meses livre pela graça de Deus.
Como esse vício me debilitou demais, sei que ainda não estou 100% recuperado fisicamente. Mas vou prosseguir.

3 Likes

138 dias :white_check_mark::latin_cross:

Efésios 2

1 E vós outros estáveis mortos por vossas faltas, pelos pecados*

2 que cometestes outrora seguindo o modo de viver deste mundo, do príncipe das potestades do ar, do espírito que agora atua nos rebeldes.*

3 Também nós todos éramos deste número quando outro­ra vivíamos nos desejos carnais, fazendo a vontade da carne e da concupiscência. Éramos como os outros, por natureza, verdadeiros objetos da ira (divina).*

4 Mas Deus, que é rico em misericórdia, impulsionado pelo grande amor com que nos amou,

5 quando estávamos mortos em consequên­cia de nossos pecados, deu-nos a vida juntamente com Cristo – é por graça que fostes salvos! –,*

6 juntamente com ele nos ressuscitou e nos fez assentar nos céus, com Cristo Jesus

4 Likes

142 dias :white_check_mark::latin_cross:

Liberdade:
Deus, através do Espírito e o nosso trilhar comprometido da religião, manda na Alma. E a Alma, fortalecida sobrenaturalmente, consegue mandar no Corpo e, por conseguinte, nos circuitos de dopamina.

Escravidão/Vício:
o Corpo clamando por dopamina manda na Alma, que, por negar o Espírito e se afastar do caminho de Deus, perde a liberdade de escolha. É aquela sensação pós recaída de “Não consigo dominar meu próprio corpo”. Uma inversão da ordem correta, o Corpo dominando a Alma.

4 Likes

150 dias :white_check_mark::latin_cross:

Marca inacreditável para eu que já considerei impossível abandonar este vício. Há menos de um ano eu estava considerando que a única saída para minha vida era o quê? Me jogar da janela? Meu grande motor de auto-destruição era a masturbação, que me puxava para a pornografia. Como eu iria me livrar da masturbação? Não existe bloqueador para M. Eu ficava imaginando que se eu perdesse meus braços, talvez eu seria livre, eu poderia começar a viver. Sonhava com algum dispositivo que prendesse meus braços e não me soltasse por algumas horas. Imaginava eu me algemando e jogando as chaves longe (mas como eu sairia depois? rs). E cheguei a comprar e usar um cinto de castidade com cadeado, o qual eu pensava ser meu grande libertador (!!!). Olha a situação: minha esperança de ser livre era estar preso. De um lado o cinto de castidade me deixou feliz porque ele talvez me impediria de recair. Doutro lado era um inferno urinar com aquilo. E logo eu descobri que ao dormir com aquilo (que era outro inferno ainda pior de tanto incômodo) durante a noite o dispositivo se soltava. Foi aí que eu vi que minha “liberdade” era falha. Logo abandonei essa minha “esperança de liberdade” através de uma prisão corporal falha e voltei a naufragar no vício. Eu sei que todo santo dia eu já começava derrotado (hoje sei: para os demônios). Ao acordar a força de vontade e a mente racional estão fracas, ao mesmo tempo o corpo não está dormindo o suficiente para se manter protegido de recaídas. Aquele estado em que você acordou mas não acordou. Ali era só qualquer demônio sugerir uma fantasiazinha com uma mulher qualquer e já estava eu tomando o primeiro gol antes do dia começar. Isso quando já não tomava uma goleada logo antes de começar o dia. Já começava o dia derrotado pela masturbação. Daí batia o desanimo e logo eu pegava as senhas dos bloqueadores no armário do meu serviço, levava pra casa e me afundava na pornografia, já que eu não conseguia largar a masturbação mesmo. Todo dia era um dia 0 pra mim. A vida era sempre um reiniciar o contador. Sem controle sobre meus pensamentos, que me levavam a começar o dia recaindo, começar o dia derrotado, culpado. Eu estava nas trevas.

Eu morri.
Eu vivi o inferno em vida.
Eu fui escravo de Satanás.
Eu já fui humilhado por mulheres na cama, por falhar, por causa da disfunção erétil induzida pela pornografia.
Eu já vivi o submundo em busca de uma dosezinha de prazer, dessensibilizado que estava por causa do vício.
Eu me destruí nesse vício, minha aparência é de ter quase 10 anos a mais do que tenho.
Eu nunca consegui amar ninguém, nem namorar ninguém.
Apesar de sempre ter estudado eu não consegui nada na vida. Todos projetos começados e abandonados.
Chegou uma época que eu estava tão dessensibilizado ao prazer (e portanto às mulheres) que cheguei a cogitar se eu não era gay.
Em suma, eu trilhei o caminho do pecado e só me dei mal. Consegui o que através do pecado? A morte, morrer em vida.

Talvez eu seja um dos caras que mais se destruiu nesse vício, porque a minha geração foi a primeira a ter pornografia ilimitada por banda larga. E nós demoramos muito para descobrir que existia algo chamado vicio em pornografia e masturbação, já que é um vício novo. Eu comecei a ver pornô ilimitado na internet com o quê? 14 anos. Fui descobrir que era viciado aos 28. Até então eu sequer sabia o que eu tinha. Estava morto sem saber porquê.

Agora eu deposito todas as minhas esperanças em Cristo. Eu morri, mas Cristo me ressuscitou. Eu quero trilhar o caminho correto agora, o caminho de Deus. Já vivi errado tempo demais. Meu único medo é de mim mesmo, que sou fraco e pecador. Mas a VERDADEIRA LIBERDADE que estou experimentando através de Cristo é algo sem palavras para descrever.

Essa vitória é toda de Deus. São 5 meses recebendo a Eucaristia, o Corpo de Cristo. A Igreja Católica existe para uma só coisa: a Eucaristia. E eu sou prova de que o ‘Pão Vivo que desceu do Céu’ - Cristo - tira o pecado do nosso mundo. A Eucaristia entrou na minha vida, o pecado do vício saiu.

Cristo veio para que a gente tenha vida. Ele é o Pão da Vida, que vence a morte, que é o pecado.

6 Likes

Você é um vencedor, irmão! Parabéns!

5 Likes

Que bom que voltou, irmão.
Estava me perguntando sobre você haha

4 Likes

Voltei, mano. Vamos nessa!

4 Likes

Dia 161 :white_check_mark::latin_cross:

Esses dias eu quase recaí. Estava alguns dias sem Eucaristia e já vinha de uns dias de enfraquecimento na oração, terço, me afastando de Deus. Aí teve um dia que após uma discussão, acordei de madrugada e praticamente no automático comecei a praticar M. Graças a Deus eu não conclui. No dia seguinte eu tive muitos pensamentos eróticos. Já comecei a ver da minha natureza torta dar as caras. Ainda bem tive a benção de poder receber o Sacramento da Confissão nesse mesmo dia, e Deus ali me deu forças para não mais pensar em sexo nem ter tentações de qualquer tipo. Agora estou tentando voltar a uma rotina de Eucaristia bem frequente, se possível todos os dias. Porque ficou claro pra mim que é esse encontro real e físico com o Cristo Vivo e Ressisitado o me dá forças para não sucumbir. Em certo sentido eu sou o mesmo viciado que não conseguia ficar um dia sequer sem se masturbar. Quando eu me afasto de Deus, essa minha natureza torta (que já era torta pelo pecado original mas que se tornou super torta pelos meus pecados nesses anos de vício), quando eu me afasto de Deus essa natureza torta e luxuriosa volta a dar as caras, já querendo prazer sem limites. Eu sou totalmente dependente da graça de Deus. Se por afastamento meu ou por pecados eu perco essa força sobrenatural, eu começo a me ver descambando e eu sei que vou terminar enfiando o carro num poste. Antes numa situação dessas onde de alguma forma eu me reaproximava do vício, eu não saberia o que fazer e fatalmente acabaria perdendo para as tentações e a carne clamando por prazer/dopamina. Agora eu sei a que recorrer nesses casos onde parece que nós vamos sucumbir ao vício novamente: ao Sacramento da Confissão. Eu tenho fé que Deus não vai deixar esse deslize que tive me puxar para o buraco de um retorno ao vício. Deus é bom e quer o nosso bem. Se eu fizer minha parte acredito que Deus vai me segurar, como me manteve de pé nesses 5 meses. Saiba disso, católico: por pior a besteira que você tiver feito, por mais fraco que você esteja, por maior que seja a sua tentação, temos sempre o Sacramento da Confissão, em que Deus ali concede a força que você não tem, para não voltar a pecar. Porque tenho fé em Deus, acredito que com oração, confissão e Eucaristia, Deus não irá me deixar cair. Se eu cair é culpa minha, porque de alguma forma virei as costas pra Deus. Não confio em mim. Mas confio em Deus.

2 Likes

A preguiça (acídia) está na raiz de nosso vício.

O amor exige doar-se, sacrifício, coisas difíceis, trabalhosas. Amar uma mulher ou amar a Deus exige doação, esforço, tempo dedicado, um sair do egoísmo.

A preguiça não quer isso tudo. Não quer amar. Quer uma vida cômoda, confortável, mediana, sem sacrifícios nem auto-doação, centrada no egoísmo.

Com isso se cai no tédio e no vazio. E PMO entra aqui com uma dupla função:

A primeira é tapar esse tédio/vazio que se sente quando se está afundado na preguiça e na preguiça espiritual (a acidia, preguiça de rezar, preguiça de ir à missa, preguiça e até tristeza de ter que amar a Deus).

A segunda é que a preguiça nos faz querer coisas fáceis, cômodas, e o prazer de PMO - embora destrutivo - é fácil e cômodo.

A preguiça e a acídia são portanto o oposto a tudo aquilo que é e que exige o Amor: sacrifício, auto-doação, esforço. O Amor traz a felicidade. A preguiça, o vazio e o tédio.

O antídoto da Preguiça é a busca da virtude da Diligência, palavra cuja raiz latina significa… Amor. Agir com prontidão, dentro de uma disciplina diária pensada previamente, à luz de Deus, para que se possa ter tempo para fazer cada tarefa com amor e por amor (a Deus e ao próximo). O que se faz com amor sai bem feito. O que se faz com preguiça, mal feito.

Veja que quem está afundado em PMO não ama. É tudo que a preguiça/acídia quer: não amar. O vício em pornografia e masturbação satisfaz essa demanda da preguiça: não amar (a Deus nem a uma mulher) porque amar dá trabalho, exige doação, esforço e sacrifício.

Peçamos a Deus todos os dias para nos livrar da preguiça e da acídia, a preguiça das coisas espirituais. Peçamos a Deus a virtude da Diligência e olhemos cada dever e tarefa diária como uma oportunidade de amar a Deus ou ao próximo.

Ao fazer isso estaremos matando a raiz do vício em PMO. Pode observar, geralmente quem se dá bem em enfrentar esse vício estabelece uma boa ordem em seu dia, enche de tarefas, não fica desocupado (desocupação é o reino da Preguiça).

Recomendo o breve livro A Preguiça de Francisco Faus.

3 Likes

163 dias :white_check_mark::latin_cross:

Não sou nenhum entendido, mas acredito que boa parte das nossas recaídas são porque aceitamos as sugestões demoníacas.

O demônio é uma influência intelectual, não é um bicho vermelho com um tridente e caldeirão embaixo da terra.

Às vezes estou estudando e “do nada” relembro uma cena pornográfica ou alguma mulher com quem já me envolvi, alguma cena que surge na mente sem ter nada a ver com o que estou pensando ou fazendo no momento.

No meu entender essa é a ação do demônio: infundir uma cadeia de pensamentos que visa a te levar (no nosso caso) à auto-destruição, à recaída.

Especialmente no nosso caso é muito fácil o demônio nos jogar pro buraco. Devido ao vício a gente já tem um Circuito de Recompensa moldado para a compulsão e repetição. Ele só precisa que a gente “entre na cena” que ele sugere, que a gente aceite a fantasia que ele nos propõe.

Quantas vezes não estávamos bem, tranquilos, e de repente “do nada” vem um pensamento erótico: uma mulher, uma lembrança de um vídeo, um tipo de fantasia… E nós ficamos saboreando esse pensamento, que logo passa para uma cena um pouco mais pesada, que logo cai naquela que é sua fantasia preferida… E quando você vai ver já está recaindo…

Os demônios são isto, influências intelectuais. Eles tentam infundir pensamentos em nossa mente, pensamentos que nos levam para o mal (como a autodestruição da recaída).

Eu geralmente já começava meus dias derrotado, recaído, por cair nessas sugestões demoníacas de cenas eróticas que me vinham á mente. Como já escrevi aqui: os demônios sambam na mente de um viciado em pornografia e masturbação.

Por isso é muito importante termos vigilância sobre nossos pensamentos. Os demônios vão colocar a casca de banana para a gente escorregar. Você vai estar tranquilo e de repente vai vir aquela sugestão te lembrando uma cena erótica tal… Se você embarcar nessa teia de pensamentos maléficos, vai para onde o demônio te quer levar: para a recaída.

Uma boa maneira de escapar desses pensamentos-armadilha infundidos pelos demônios na nossa mente é usar quantas vezes for preciso as orações jaculatótias.

Jaculatórias são orações curtas e fazem uma enorme diferença para nós. O vício em pornografia é também um vício em fantasias. Tá tudo ligado. Então, para não acabar recaindo, é preciso não cair nas fantasias que o demônio sugerirá.

Sempre que você perceber que você está tranquilo e do nada veio qualquer tipo de pensamento erótico ou pecaminoso, repita uma oração jaculatória: “Sangue de Jesus tem poder”. Repita algumas vezes, caso a tentação permaneça. Geralmente a jaculatória já afasta a tentação imediatamente. E aquela cadeia de pensamentos que ía te levar à recaída foi dissolvida por uma pequena oração de evocação do nome sagrado de Cristo.

Durante o dia os demônios vão colocar várias minas no nosso caminho, tentando implodir nosso progresso. Haverá inúmeras sugestões/tentações de cenas eróticas em sua mente, todas elas contendo um potencial enorme de te levar de volta à recaída, caso você aceite e fique degustando esses pensamentos. É preciso cortá-los de imediato esses pensamentos, através das orações jaculatórias.

Existem inúmeras, você pode pesquisar na internet. Eu gosto bastante dessa: “sangue de Jesus tem poder”. Acredito que passar a usá-la tornou meu reboot mais fácil e mais seguro.

Outra sugestão é recorrer ao Sacramento da Confissão, em que Deus nos vendo arrependidos (tem isso também: é pecado ficar consentindo nesses pensamentos de luxúria) nos dará a força para a gente não ficar caindo nesses pensamentos demoníacos. Finalmente a Eucaristia frequente e orações pedindo castidade a Deus também são armas importantes.

5 Likes

168 dias :white_check_mark::latin_cross:

Outra possibilidade de cortar a tentação e os pensamentos eróticos que surgem na mente, os quais se damos atenção nos conduzem facilmente a uma recaída: “Ó Cristo, daí me castidade, meu Senhor”.

6 Likes

185 dias :white_check_mark::latin_cross:

O que tem pegado para mim atualmente é que esse frio tem me dado uma preguiça enorme. Preciso reordenar minha vida e lutar contra essa preguiça terrível, que pode me colocar em risco quanto ao reboot. Acima de tudo preciso dedicar o início do meu dia às coisas de Deus, porque Ele coloca tudo em ordem.

2 Likes

Boa tarde.
Sua história é incrível, aprendi muito com ela.
Estamos aguardando seu retorno.

3 Likes

Muito obrigado.

Depois de mais de 6 meses livre, eu recaí.
Eu acredito que o fato de estar sedentário, sem praticar esporte há uns 3 anos, pesou para essa recaída. Nós não somos espíritos puros, nós temos corpo e ele influencia nosso humor. Eu estava sem lazer também. Aí junta o fato de eu estar muito em casa, sem lazer e sedentário, essa vida de tédio e sem prazeres é um convite à busca de PMO.

Bloqueei mais coisas aqui, mas esse processo sempre me convidava a recair mais. É bem complicado abrir bloqueador ou ficar testando. Mas agora estou com ainda mais proteção contra P. Cada vez que eu recair vou bloquear mais e mais.

Percebi que minha fraqueza é tanta que, pelo menos nesses 21 dias iniciais, eu tenho que recorrer ao sacramento da Confissão no mínimo duas vezes por semana.

Eu tive que relembrar isso: nesse sacramento você ganha a força que não tem. E eu ando bem fraco após essa recaída.

Hoje estou entre 17 e 18 dias. Estou buscando a graça de Deus novamente para voltar a ficar livre. Logo começarei esporte também.

2 Likes

Essa semana passada me confessei 3 vezes e Eucaristia frequente. Que eu sempre me lembre disto: Sacramento da Confissão dá a força para não mais pecar e mesmo que você não tenha pecado, pode confessar novamente um pecado já confessado, só para receber a força de Cristo novamente e evitar de recair no pecado.

Sobretudo nesses primeiros 21 dias, que sabemos serem os mais difíceis, quanto mais Confissão e Eucaristia, melhor.

Hoje 25 dias, pela graça de Cristo.

31 dias :pray: :latin_cross: :white_check_mark:

Tempos atrás eu havia tentado e caído lá pelo dia 15.
O diferencial dessa vez acredito que foi:
a) Ter bloqueado um celular antigo aqui que estava desbloqueado.
b) Uso intensivo, nos primeiros 21 dias, dos sacramentos da Confissão (2 a 3 vezes por semana) e Eucaristia.

Deixo aqui umas reflexões de um vídeo do Frei Gilson sobre a luxúria ( O Perigo Da Luxúria | 40 dias com São Miguel | Pregação | 4º Dia - YouTube )

“quando a gente relaxa na vida espiritual, a vida carnal cresce”

“como não cair nos pecados da carne? Encontrando algo maior para amar. Sem encontrar esse amor maior não é possível viver a castidade”

“Nossa Senhora é o refúgio dos pecadores. Quem quer ser casto, recorra a Maria”.

1 Like

O pecado da preguiça estava me tirando a graça de Deus. Mesmo eu confessando e comungando frequentemente mesmo assim estava tendo dificuldades com PMO.

Pedi para Deus mostrar o que eu precisava fazer para voltar a ficar longe deste vício e alguns dias depois veio a resposta. Encontrei um vídeo do Frei Gilson (vou ver se depois posto aqui) falando do pecado da preguiça.

A preguiça era o ralo por onde estava escorrendo a graça de Deus da minha vida. Comecei a pedir pra Deus a diligência (a virtude oposta á preguiça) e a acordar cedo, não dormir mais durante o dia, tentar lutar contra a preguiça e buscar a virtude da diligência. A graça de Deus desde então está comigo e não tive mais dificuldades com PMO por enquanto.

Deus odeia os preguiçosos. Não tem como ficar longe do vício com a graça de Deus, sendo preguiçoso. Qualquer pecado grave faz esvair a força sobre-humana que nos mantém longe do vício: a graça.

2 Likes