[29M] Jornada, Aprendiz

Se me permite dizer, não é mesmo uma boa ideia… A julgar pelo que acontece comigo, o forum é muito importante! Parabéns pelos dias de vitória!

2 Likes

Bom, voltei. Dezoito dias.

Ontem foi o dia mais difícil, meu aniversário. Não sei porque mas senti uma forte compulsão. No momento, não sabia muito bem o que não me impelia, o que me fazia resistir, e mais tarde, quando o problema passou (inclusive tendo que recorrer ao vontade!) consegui compreender realmente o que me fazia resistir ao problema.

E o que me fazia resistir ao problema? Justamente, o discernimento do coração, a capacidade de discernir o que é bom e o que é mau.

Aristóteles ensina que não é na mente ou na razão que fazemos escolhas, e sim, no coração. E a essência do exercício da escolha é justamente o exercício dessa faculdade, o discernimento.

Mas todo discenimento necessita também de um exercício de consciência, o que acabei por descobrir.

Vou desenvolvendo a ideia melhor conforme os dias passem. Mas houve realmente um salto qualitativo nessa guerra, ao menos da minha parte, quando descobri, ou redescobri, o discernimento.

Então, mudei de estratégia, pelo evento do meu aniversário e de toda atenção feminina extra que recebi nesse período. Dezoito dias, e rumo aos vinte e um dias.

Grande abraço a todos e a paz de Deus nos nossos corações.

2 Likes

Dezoito dias já é uma grande vitória, tempo de focar ainda mais no motivo de estar enfrentando tudo isso e seguir em frente! Fico feliz por ver a libertação se aproximando, Deus nos abençoe!

2 Likes

Vou tentar uma abordagem mais heideggeriana.

A rosa, amarela, dis-cerne com relação ao seu centro, que é maturidade sexual da espécie.

O tronco de uma árvore dis-cerne com relação ao seu centro, que é sistema vascular da árvore.

Em todos estes processos, na natureza, estão implícitos um processo de amadurecimento: da flor, para a reprodução, do tronco, para o surgimento de novos ramos.

No homem o dis-cernir está estreitamente relacionado com o seu amadurecimento moral, que é o fundamento da vida prática e dos deveres do indivíduo como cidadão e homem, da espécie homem.

Creio que tenha ficado mais claro. Perdoem qualquer incorreção. E espero realmente ter ajudado.

Grande abraço.

3 Likes

Bom, infelizmente tive uma recaída na masturbação. Como o app se propõe a nos livrar não só da pornografia mas também da masturbação, resetei o cronômetro.

Fiquei sozinho em casa e surgiu do nada um contato com uma pessoa com a qual tinha afeição, mas que eu até tinha me esquecido. Daí não consegui evitar. Pensando seriamente em bloqueá-la.

Quando completar 21 dias retorno. Até lá.

1 Like

Começando a realizar na minha mente que a masturbação também é um vício. Antes encarava isso como algo normal mas agora começo a perceber que isso também me causa dependência.

Outro hábito para extirpar da minha mente. Não somente a pornografia, pela qual hoje consigo ter, graças aos meus esforços, verdadeiro asco, mas também esse hábito de onanismo.

Não é a toa que a Bíblia fala do pecado de Onan. Realmente, mais de dois mil anos se passaram e eu dois mil anos depois realizando a mesma coisa, que onanismo é um vício como qualquer outro.

Algo a ser combatido, se não no mundo, em mim mesmo.

No começo do Enchiridion, ou o Manual de Epicteto, ele ensina que existem coisas que estão sob o nosso controle, e existem coisas que não estão sob o nosso controle. Dentre as que estão, Epicteto põe o desejo e a aversão, e o juízo de valor como exemplo. Dentre as que não estão, a posição social que ocupamos.

Mas é interessante que existe uma articulação entre juízo de valor e desejo e aversão: se julgamos algo ruim, atribuindo um valor negativo, criamos aversão. E se julgamos algo bom, atribuindo um valor positivo, criamos desejo.

E o que Epicteto recomenda? Que desejemos o que é conforme a natureza, que este é o caminho da liberdade e da felicidade.

A cada um cabe escolher o que quer desejar ou o que quer rejeitar. Mas escolhendo o que é conforme a natureza, estamos sempre fazendo a escolha certa.

O Manual é um livro cheio de ideias que complementam essa teoria do início. Por mais que digam que tem um caráter dogmático, é um livro extremamente útil.

Grande abraço.

Eu creio que, sinceramente, se abster de juízo de valor, para a pessoa com vícios, é se afundar cada vez mais na conduta viciosa. Um vício, como ensinam, sempre levam a outros piores, e é preciso sempre arrancar o mal pela raiz.

Meu exemplo aqui é o Caio Fábio. Apesar de não prestar muita atenção ao que ele diz, foi a primeira pessoa que ouvi claramente rejeitar o onanismo, desde o começo da adolescência.

Enfim, volto daqui há tempo. Espero que possa ajudar a alguém que esteja a procura do mesmo entendimento.

Boa sorte a todos.

Sem dúvida Aprendiz, escrevi um tópico sobre “alimentar a inteligência contra a pornografia” aqui no Rewire, vejo q isso é um passo importantíssimo, criarmos uma boa estrutura em nossa mente que seja coerente com a realidade por trás da pornografia. E sim pornografia é um vício, acho absolutamente improvável q nao se torne um na vida de quem inicia.

1 Like

Bom! Sem a mínima vontade de acessar pornografia. Primeiro dia desde a retomada do meu projeto, que está começando a se encaminhar para um projeto de vida, e sinceramente, os benefícios de se evitar esse tipo de coisa excedem em muito os “benefícios” que a pmo supostamente oferece.

Eu lembro que quando era mais novo tinha um medo excessivo de impotência sexual. Hoje vejo que existem satisfações muito maiores na vida do que cinco segundo de orgasmo. E não vale a pena jogar a vida fora por conta disso.

Eu sempre tive um desenvolvimento paralelo com relação à leitura e ao conhecimento no geral. Mas, mais uma vez recomendo, leiam Kant se não for muito complexo. Kant também é um professor de moralidade, e excede em tudo o que se pode pensar de moral, inclusive Aristóteles, ou a ética cristã propriamente dita.

Enfim, 21 dias sem pornografia e primeiro recomeço de dia sem masturbação. Me sentindo sem o peso que esse tipo de visualização traz à minha inteligência. Pensando melhor e sobre coisar melhores. E buscando uma vida fundamentada em melhores valores.

Apenas uma atualização: consegui ficar em casa sozinho sem masturbação. Mais um esforço de atenção do que qualquer outra coisa.

E tentando destruir na minha mente os fetiches e as fantasias que a pornografia inoculou. Com sucesso, e mais uma vez, esforço de atenção.

por curiosidade, quantos anos vc tem, e por quanto tempo já usou essa droga?

Tenho 29 anos. Creio que desde os 12, o que dá no total uns 17 anos, sendo que passei um ano sem, aos 20, se não me engano, período que frequentava religião. Mas o consumo mesmo foi bem irregular. Existem períodos que eu consumia mais e outros que não consumia absolutamente nada. Praticamente, em dois períodos: quando comecei aos 16 anos a estudar música no colégio, isso deve ter durado mais ou menos até os 20. E, dos 20 aos 22, 23, quando frequentava religião.

Acho que a coisa quando mais eu examino, mais se torna séria. Verifico que existem vários fetiches disseminados na cultura de hoje em dia, inclusive na política, e lidar com esse tipo de coisa seja o principal problema de quem começa o seu próprio processo de regeneração.

Então, comecei a examinar e a eliminar o fetiche da minha vida mental, bem como comportamentos sociopáticos e psicopáticos da minha própria conduta.

Criar anticorpo para prevenir esse tipo de coisa na minha vida, daqui em diante.

Poxa, uns 17 anos deve resultar em muitas horas de uso, anos msm… Mas sei tbm q vc deve ter tido uma vida além desses vícios, já ter feito muita coisa até hoje. Para vc é uma reconstrução bem maior que seu cérebro precisa, e q bom q vc não tá morto, não é essa a vida q as pessoas querem ter tido. Vc percebe muitos prejuízos da pornografia na sua vida? porque quer deixar? Talvez pela moral msm, como vejo q vc se preocupa, não é?.. Parabéns por estar nessa luta, é um ato de coragem e de honra no meu ver

1 Like

Minha preocupação é mais ética do moral. Ética é uma disciplina filosófica, a moral pertence mais a religião; porque em tudo o que eu digo incluo uma preocupação propedêutica, ou seja, filosófica. E, por mais que eu tenha uma grande boa vontade para com as pessoas de religião, minha preocupação com a pmo não inclue o problema abordado tal como a religião tradicional ensina, mesmo crendo que haja um imenso valor normativo e de precaução no ensinamento religioso.

Ética vem de ethos, que grosso modo significa maneira, modo de fazer. Eu sinceramente não penso como Maquiavel que os fins justificam os meios, mas que os meios são justificados pelos fins. Enfim, outra questão.

Creio que tenha ficado um pouco claro.

1 Like

vc vê q mulheres e homens envolvidos nas cenas pornográficas sofrem, por vezes são viciados em substâncias tóxicas para conseguirem gravar, muitos suicidam com o tempo e a exclusão do mercado , e estão constantemente sendo violentados, além da violação própria da intimidade deles sendo lançadas pelos ares… Onde vc vê como errado precisamente? (Para mim entender)

Não estou julgando errado. Disse que a minha preocupação é mais ética no sentido de encontrar um caminho fora da regra. Concordo com tudo o que você disse nesse post, é realmente um crime que pessoas destruam as próprias vidas em favor de fetiches e perversões sexuais. E acho que a nossa legislação é pouco dura quanto a isso, deveria haver muito mais rigor.

1 Like

A melhor estratégia é trazer consigo que a pornografia é nojenta, e a partir do momento que você decide largar esse vício imundo. Você é um homem de valor e precisa se valorizar. Literalmente; não gozar com o pau de outros.

Um verdadeiro mestre é um eterno aprendiz.

Nunca Fraquejar

2 Likes